Pornografia (10)

O exercício da actividade política – paga com o nosso dinheiro – não tem quer “moral, basta que seja “legal“.…

p.s.: ao preço a que estão as viagens de avião para Paris (França), troco este deputado pela Inês Medeiros

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    QUE AUTORIDADE MORAL TEM ESTA GENTE SEM HONRA NEM ESCRÚPULOS PARA PEDIR SACRIFÍCIOS AOS MAIS DESFAVORECIDOS ECONOMICAMENTE?


    • Autoridade moral: pouca ou nenhuma.
      Autoridade legal: toda; se está na lei, está na lei… e toda a gente sabe quem fez a lei.

  2. MAGRIÇO says:

    Lembrei-me agora que o PSD tinha mostrado grande indignação e votou contra o pagamento das viagens de Inês Medeiros. Não é bonito ser coerente? Acabo de ler, também, que a assessoria de imprensa do Ministério da Administração Interna afirma que o subsídio é legal. O meu subsídio de Natal não é? Temos sempre que mostrar alguma originalidade: agora temos um governo que pratica o terrorismo social!


  3. O subsídio é legal, e eu concordo. Se é legal, é legal.
    O ser moral ou indecente ou obsceno, isso é outra conversa.
    Quanto á coerência: conhece algum político coerente?*

    * deve ainda haver um ou outro. O último que conheci chamava-se Fontes Pereira de Melo e morreu no século XIX.

    • MAGRIÇO says:

      Pois! Mas o seu subsídio de Natal também não é legal? A menos que não seja afectado pelo corte…

  4. MAGRIÇO says:

    Meu caro, não fazia ideia de que era tão “antigo”!

  5. como por cá se says:

    Então o homem em vez de alugar uma casa ou viver num hotel investiu numa casa.
    Por ser inteligente deve ser penalizado?
    Se o homem vender a casa já pode receber o subsídio e ninguém diz nada.
    Sejam mais construtivos.

  6. José Castro says:

    A casa em Lisboa já a tinha; já a casa de Lisboa constava com o2ª morada há muito.
    Portanto, não “investiu” numa casa em Lisboa.
    Tudo legalmente vergonhoso.