Quem se mete com a República um dia leva

O Governo vai propor aos parceiros sociais a eliminação do 5 de Outubro e do 1.º de Dezembro, da lista de feriados obrigatórios, anunciou hoje o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira. in Público

Não me vou repetir, não é por denunciar a mentira 100 vezes que a máquina de propaganda deixa de a transformar em verdade.

Comments

  1. marai celeste ramos says:

    Grão a grão o pais desmorona – na lingua – no TUA – na fiscalidade – na economia – na agricultura – na habitação centenária – e nem sequer é pelo menos visivel – a invasão de espanha ou frança ou brasil – é INVASÂO INTERNA – se não se soubesse que os portugeses são “moles” não se iria destruir lingua e dia nacional – até a história está a ser apagada – mas dá-se dinheiro a jardins


  2. Ainda bem que retoma o assunto. Vale a pena desmontar as “verdades” impostas e expor as mentiras dissimuladas… Quando nos impingem que reduzir feriados contribui para melhorar a produtividade, ou estão a mentir ou são incompetentes…

    Qualquer operário fabril sabe que fazer parafusos à mão implica mais esforço e menos resultado do que usar a máquina adequada. Qualquer empresa gerida por “burgessos” é menos produtiva do que outra gerida com inteligência, criatividade e jeito.

    No entanto, os argumentos da competência, da inovação e criatividade, do profissionalismo e rigor, tem colhido poucos seguidores. Mesmo quando governantes e patrões levantam a “bandeirola” da produtividade, os representantes do trabalho (e comentaristas “independentes”) encolhem-se assim meio comprometidos… Como se tivessem a ver algo com o assunto…

    Produtividade não é “problema” dos trabalhadores nem se revolve com mézinhas, “corta feriados” e “meias horinhas”. Resolve-se com boa gestão e é acima de tudo um desafio para quem tem a responsabilidade de gerir negócios e organizações.

    Corta feriados quem usa o poder com a prepotência de nada respeitar exigindo uma contrição pública aos que não tem culpas a expiar. Nem se dão conta que estão a estrangular um dos países mais carentes da Europa. Sim, o tal que apesar da “fartura” das ultimas décadas, nunca se equiparou aos restantes parceiros da UE (com excepção dos benefícios dos quadros dirigentes…).

  3. Menshevik says:

    Comcordo!
    É inadmissível que, de uma só vez, se tente acabar com o 1 de Dezembro (Restauração da Independência) e com o 5 de Outubro em que se assinala a Assinatura do Tratado de Zamora, onde Portugal foi reconhecido como País, em 1143.

  4. Viriato Patriota says:

    O governo quer eliminar os feriados de 1 de Dezembro, que comemora a Restauração da Independência em 1640, e de 5 de Outubro, que comemora a Implantação da República em 1910. Estes dois feriados têm um profundo significado patriótico. Querem fazer-nos esquecer assim o amor ao nosso país, o nosso sentimento patriótico. Passos Coelho e os ministros do seu governo são traidores à Pátria, Tem que se lhes fazer o que se fez ao traidor Miguel de Vasconcelos que, em 1640, servia o rei de Espanha: foi defenestrado, atirado pela janela do Paço Real de Lisboa para o Terreiro do Paço.
    Passos Coelho está a trair os portugueses, porque está ao serviço de interesses económicos estrangeiros e, portanto, merece o mesmo destino de Miguel de Vasconcelos: ser atirado por uma janela fora do Parlamento! E os traidores do seu governo devem ser eliminados de imediato!


  5. É simbólico e coerente.
    Para quê celebrar a independência do nosso país, se o estão a desmantelar e vender em peças a potências estrangeiras?
    Para quê celebrar a implantação da república, se os ideais republicanos já foram há anos substituídos pelos interesses de grupos e organizações ao serviço de uma espécie de oligarquia que tudo corrompe?
    Infelizmente, pouco há a lembrar nesses dias simbólicos.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.