O dinheiro do futebol não tem cor… nem rasto…nem ética!

“Passe de João Moutinho foi vendido a empresa gerida por membro suplente do conselho superior do FC Porto e recomprada a fundo gerido por empresa em que está um ex-dirigente do Sporting.” (in Público, p.4)

O Público sugere que o dinheiro se perdeu numa rede de fundos.

Não me parece. Os estudos mais recentes mostram que existe uma distância significativa entre os recursos disponíveis para os clubes portugueses e para os seus adversários europeus. No entanto, no plano desportivo, essa diferença não é, antes pelo contrário, visível.

Com dificuldades em aceder ao crédito, os clubes Portugueses vão buscar dinheiro onde ele existe.

A transparência? A ética?

Está na Holanda! À venda no Pingo-Doce!

Comments

  1. mortalha says:

    vou ter de criar uma offshore para receber o meu ordenado sem cortes? :\

  2. Miguel says:

    Os clubes Portugueses sempre foram buscar dinheiro onde ele não deveria existir. Desde dívidas perdoadas pelo estado, a estádios ridiculos que ainda estou a pagar.

    O futebol entretem os que precisam dele para “ter” algo na vida.

  3. kalidas says:

    Moutinho, um Hedge Fund, um Big Short? Não, João Moutinho é um profissional do futebol lusitano, que pelo seu desempenho em campo, merece o nosso respeito, o dos trabalhadores portugueses. Vive consequentemente dentro das suas possibilidades, contudo pessoas há, que à custa de Moutinho vivem ou querem viver, acima das suas possibilidades.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.