Em defesa da Monarquia

O meu amigo Nuno Resende vai ficar todo contente com o título. Mas só com o título mesmo. Como sabem, o Nuno incluído, não sou Monárquico.
Confesso a publicidade enganosa. O post nada tem a ver com esta questão a não ser lateralmente.
Numa aula de 9.º ano, após falar não sei quantos minutos das Ditaduras e da sua implantação na Europa dos anos 30, lembrei-me de que talvez os alunos não soubessem o que era uma Ditadura.
Perguntei e confirmei. Não sabiam. Nem sequer suspeitavam.
Após deambulações várias sobre liberdade, partidos políticos, eleições e demais exemplos que lhes permitissem perceber o que é uma Democracia, fiz a pergunta do costume: «Então, qual é o contrário de Democracia?»
E levei com a resposta do costume: «Monarquia».
Ironicamente, é quase sempre a resposta dos alunos àquela pergunta.
Foi então que me vi na obrigação de defender a Monarquia. Não, a Monarquia não é uma Ditadura – e expliquei por quê, dando vários exemplos e fazendo notar que, à Monarquia, deve opor-se a República e não a Democracia ou a Ditadura.
– «Ó setor, mas se o povo não vota no Rei, então isso é uma Ditadura.»
Gostei da pergunta final. Deu-me uma réstia de esperança. Aquele aluno, pelo menos, dera mostras de algum pensamento crítico, de algum interesse pelo assunto. Que não, que não é uma Ditadura, apenas representa uma concepção diferente de organização de um Estado, disse eu.
Não fui mais longe porque, infelizmente, não valia a pena. O aluno em questão já nem sequer estava a ouvir. Infelizmente, e é aqui que quero chegar, vale cada vez menos a pena. Se os nossos alunos partem para 3 anos de ensino Secundário obrigatório sem saberem se Portugal vive numa Democracia ou numa Ditadura, então vão saber o quê no longo caminho que (n)os (des)espera?

Comments


  1. Lógico…
    Em “verdadeira” Democracia, a unica coisa que não se pode escolher é a Família…, hehehe, estou com o seu aluno…


  2. Pois e também porque se pode votar numa ditadura…é perfeitamente legal eleger um ditador..não necessita de ser eleito por voto senatorial

    e uma ditadura difere fortemente de uma tirania…

    e os anos 30 trouxeram muitos regimes autocráticos que não tiveram um cunho tão fortemente ditatorial como as ditaduras do proletariado de 1918…e seguintes

    ou a ditadura de Solano Lopez ou de Atanásio Aguirre no XIXº e outras tantas iguais

    se Getúlio Vargas era mais ditatorial que João Franco

    só os maus professores de histeria o sabem…


  3. e sequências familiares de democratas eleitos desde os bush aos sou ares…há tanto exemplo…uma partidocracia oligárquica não é bem uma democracia à base de ostras….


  4. Resumindo pra profe de histeria dou 3 Évoras e meia pelo arrazoado

  5. xico says:

    A única garantia de uma república está no trono e na coroa. Único árbitro possível para garantir o governo do povo para o povo.

  6. marai celeste ramos says:

    E que tal esta democrática ditadura a que se assiste e com consequências directas ???
    E que tal em duas semanas de frio terem morrido 3 mil pessoas de mais de 63 anos só porque ?? porque o quê ? de hospitais e centros de saúde democraticamente encerrados e extintos, de medicamentos muito mais mais caros e sem comparticipaçãop da ADSE em cada vez menos espécies ?? E que tal a taxa moderadora de 10 euros ?? E que tal quem vive só e é velho e vive longe do centro de saúde e fica ali – ali como ??? E que tal sabendo antecipadamente que o inverno foi rigoroso e se sabe que os virus gripais andam à solta, e não houve prevenção nem a Santa Casa da Misericórdia ou outra instituição, que sabe que há 14 % de velhos e disse o quê e fez o quê ?? Abafe-se, avinhe-se e abife-se ?
    Que prevenção, que atenção, para os que mais probabilidade têm de sofrer com o frio ??
    Não há já um levantamento desta classe etária mais frágil e, nela, os de mais dificuldades económicas ?? Desde quando em apenas duas semanas de pode aceitar que morrem mais do que 3 mil portugueses, mais do que no verão quente de 2003 em que morreram muitos, mas muitos mais morreram ainda em França que é pressuposto sem um país mais “atento” ?? Democracia e ditadura ?? o que é isso depois de 1975 ??
    O que está a suceder ao meu país já que no fim dos anos 50 a esperança de vida não passava dos 53 anos e a partir do fim da década de 80 a esperança de vida aumentou tanto e já é mais do que comum atingir os 83 anos esperando-se que o SNS se tenha preparado para a realidade dos VELHOS que têm direito a ser velhos e a serem cuidados com mais atenção, já que serviram o país a vida inteira não importa como o fizeram, mas fizeram ?
    Então o DG da Saúde disse que foi uma mutação do vírus H1 ?? E daí ?? não era expectável ?? não há virus que não mutem, que eu saiba – E não falo em vacinas e na paranóia da vacinação para a H1N1, mas sim, de outro tipo de prevenção que compete à classe médica alertar sem ser apenas pôr mais roupa em camada ? e comer mais e melhor ?? Não sei – não é previsível assim – pelo menos poderiam ter dito que os maiores de 83 anos não deveriam sair de casa e que “alguém” os visitasse a saber de que precisavam para viver sem ter de enfrentar o frio, mesmo que a gripe se apanhe em casa ?? – será ?? – para que serve a democracia ? E quem morreu ?? os mais velhos independentemente da classe socio-económica ou não ?? ou indiferentemente ? Seria importante saber já que desde a gripe “asiática” que matou tanta gente no mundo, se comparou com a gripe espanhola (que fez uma razia no mundo) se concluíu que surtos violentos de gripe são cíclicos (daí o mêdo da H1N1) – e foi tudo esquecido – o que é a medicina preventiva que não previne nada e o que estudam e sabem os médicos de hoje neste mundo tão frágil em que o clima muda nunca se sabe quando sem “cumprir” as estações, a alimentação é de agroquímicos, tanta habitação que não é ainda aquecida ?? E os 3 mil que morreram em fevereiro 2012 foi onde se há tanto velho a viver perdido por esse país que nem a GNR ainda fez o levantamento de todos, embora o ande a fazer e visitar para não se sentirem tão mais sós ainda (reportagem SIC jan 2012) ?? Não serão já os “velhos descartáveis” ??? dentro e fora da cidade ??? Creio ter havido há pouco tempo uma observação infeliz de eis ministra das finanças, presidente do PSD falar sobre os doentes que precisam de fazer hemodiálise, dos quais disse uma certa barbaridade ??? estão mais perto de morrer ??? e é só esperar ?? Se calhar é por isso que este ano, só este ano, se decobrem pessoas dentro de casa e desta cidade, que há muitos anos ninguém viu nem procurou e Deus já tinha levado em silêncio e sem nenhum acto de contrição de nenhuma instituição de solidariedade – ai que este país está a embrutecer — democraticamente – é mesmo PIG mas por outras razões das que foram aventadas

  7. kalidas says:

    “A Monarquia é como um navio magnífico, com todas as velas içadas, pronto a navegar, mas que depois embate contra uma rocha e se afunda para sempre.
    .
    A Democracia é como uma jangada. Nunca vai ao fundo, mas que raio, temos sempre os pés dentro de água”.
    .
    ” Fisher Aims – 1829. Juiz e reácionário americano.

Trackbacks


  1. […] exemplo, não só no Assim Mesmo, no Ciberdúvidas, na Sábado e no Expresso, mas também cá por casa, em trabalhos académicos (cf. Zenhas, 2004  e Dias, 2011) e […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.