Marchais, esse precursor de Le Pen


Sabe-se o que aconteceu quando da reforma eleitoral promovida por Mitterrand. Visando enfraquecer a direita “clássica”, introduziu o sistema proporcional, aliás mais justo que esta ridícula ficção das duas voltas. O PCF, até então incontestado dono dos banlieu, caiu dos 20% para uns residuais 5%, passando-se o seu eleitorado com armas e bagagens para as hostes da Frente Nacional que atingiria perto de 15% dos votos.
O discurso de Le Pen, nada mais é senão a continuidade do posicionamento político do precursor PCF. Entretanto, o conhecido “barão” de Lavos já terá iniciado o processo de canonização da indefesa criança Mohamed.
* A pedido de um leitor, aqui segue uma tradução mais que imperfeita:
“Há que pôr fim à imigração oficial e clandestina. É inadmissível fazer entrar novos trabalhadores imigrados em França quando o nosso país conta com quase 2 milhões de desempregados franceses e imigrantes” (palmas seguidas da voz da locutora que informa ser o PCF contra a construção de um centro cultural islâmico). O porta-voz do PCF em Rennes, diz o seguinte:
“Verificamos que não se trata de um centro cultural que está em construção, mas de facto é uma mesquita e uma escola corânica. Nesse sentido o senhor Maire de Rennes (um socialista) apoiou a ideia (não estou a entender todo o discurso, lamento). “Nós não mudámos de opinião, somos pela separação da Igreja e do Estado e de forma alguma o dinheiro público deverá servir para construir”… (aqui também não consigo entender o que o homem diz, uma vez mais lamento).
E regressa Marchais, desta vez de dedo em riste pela moral:
“Colocamos o problema da imigração. Será para utilizar e favorecer o racismo. Procuraríamos acarinhar os mais baixos instintos. Assumimos a luta contra a droga e isto porque não queremos combater o alcoolismo que é apreciado e corrente na nossa clientela. Para a juventude, eu escolho, sim, eu escolho o estudo, o desporto, a luta e não a droga” (salva de palmas).
E Marchais passa então a atacar os socialistas, irmanando-os à direita nas questões relativas ao respeito pelos trabalhadores, etc, etc. O discurso parece um bocado desconexo, sem seguimento (há partes certamente recortadas do todo, claro). Enfim, uma espécie de Jerónimo de Sousa avant la lettre.

Comments

  1. xico says:

    Talvez uma tradução? O meu francês não chega para o entender. Além disso o vídeo já não está visivel.


  2. Que diabo, é uma língua latina e o vídeo está bem visível.
    O meu amigo NCB decidiu fazer campanha pelo Mélenchon, o que só lhe fica bem. O Marchais e o PCF demonstram a sua xenofobia, já se sabia. Mas Mélenchon não é a mesma coisa, nem o Front de Gauche o velho PCF.

  3. Ivo da Silva says:

    Para quem sabe história da Politica Francesa, até acha piada a esta análise. Mas, para quem não sabe é uma grande confusão. Qual é 0 interesse ????

  4. xico says:

    Escusava o senhor João José Cardoso, rabalhusco, vir com tal resonda e patachadas. Bem conheço a minha ignorância e até fiz alarde dela, mas não sou mentiroso. Se não vi o vídeo foi porque por momentos não apareceu. Se não consegui atremar o homem não foi por não ser versado em latinices, que não sou, mas por não entender sotaques do lado soviético. Mas sempre lhe digo que escusa de se artejar não lhe dê uma chorrica e fica que nem uma nojência.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.