Deus, a ordem das parcelas nem sempre é arbitrária

Não me apetecia muito, mas republico o vídeo onde no dia seguinte encontrei todo o charme de uma operação claramente montada pelos sindicatos radicais e esquerdistas da PSP, no seu afã de discretamente afirmarem ao mundo a irmandade Portugal – Grécia:

O charme está em este ser anterior ao que o Expresso publicou, desmentir o vandalismo puro e duro, ser portanto ligeiramente interveniente, coisa que é complicado, sobretudo quando dá erro, admitir no Expresso.

Claro que tudo isto é muito complicado, tanto que também um jornalista como o Frederico Duarte de Carvalho se enganou, mas como bom jornalista chegou à verdade a que todos temos mesmo direito (ena, referi um dos piores jornais portugueses de sempre). É a diferença entre jornalistas que escrevem no seu blogue e serviço editorial dos grandes jornais. Testemunho dos factos, portanto.

A vida, tudo a ela, bem o sabemos, é complicada, Rodrigo Moita de Deus, sobretudo quando no meio se mete uma justíssima entronização num órgão que sem dúvida mereces.

E já agora, hoje quero que ganhe o Benfica, mas estou aqui entretido a ver um jogo onde atrás da bola andam portugueses.

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Não me admiro nada que tenha sido a polícia ou para-polícias a começar – isso nem sequer é inédito – e quando ouvi Soares a dizer mais do que uma vez que podia haver inesperados não gostei que o dissesse porque há sempre quem aproveito do lado mais indesejável

  2. Tiro ao Alvo says:

    Aqueles insultos também são montagem?
    Acho que deviam acabar esses cursos profissionais ligados ao áudio-visual…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.