Vamos continuar a apertar porque está a resultar

Que ninguém tenha dúvidas, porque a realidade está aí para o mostrar: o Governo em geral e o Nuno Crato em particular já perceberam que o Monstro está a acordar.

Os Professores estão a começar a levantar-se – foi a Manif da semana passada, as vigílias desta semana, serão as concentrações regionais da próxima semana e tudo o que for preciso, porque está a resultar.

Durante meses, o homem desapareceu. Ninguém o via!

Numa semana apareceu mais do que o animal atrás do Pinto da Costa. Após a Manifestação de Lisboa, ainda tentou continuar escondido, mas em cima da marcação das Vigílias fez uma conferência de imprensa e divulgou um comunicado.

É também por isto que não entendo o Paulo, que continua a ter um Umbigo do tamanho do mundo: se é dos sindicatos é porque é do PCP, se é dos professores é porque é do bloco. Posso deixar um desafio – será que queres sugerir alguma forma de luta? O que fazer a seguir?

Meia dúzia de professores com o recurso ao facebook conseguiram colocar ontem milhares de pessoas na rua  e com a pressão mediática a subir de tom eis que surge o rebuçado – “Calma pombinhos! Tenho aqui nas minhas mãos umas migalhas… Dá para alimentar, vejam lá, sossegadinhos” terá pensado o Sr. Nuno Crato, mas à falta de melhor lembrou-se de dizer que quer os Professores Contratados no Quadro.

Sabemos todos que esta é uma afirmação de grande validade científica porque com os milhares de professores com horário zero (isto é, professores do quadro sem serviço nas escolas), o que o nosso país precisa é de vincular professores contratados e também sabemos todos que isso vai acontecer pela mão deste governo.

Sabemos TODOS. Nós e a FNE! E se calhar por isso é que um dia destes a FNE, a troco de uma esmola, vai assinar algum tipo de acordo com o MEC… Trocos.

Mas, laranjinhas, fixem isto – o Monstro está a acordar. E se caiu um, podem cair dois…

Pensem nisso ao som do Monstro

Comments

  1. OpalavrosoÉumGrandessíssimoFilhoDaPuta says:

    Apoiado

    • palavrossavrvs says:

      João, faz-me um favor. Censura este troll-ei. Obrigado.

      • Poys Poys el PIBe Engorda comu o Arsénico says:

        Porque é que esta gente usa anglicismos e mitologias alheias?
        O problema Jan Paul II é a falta de educação e o respeito que uns exigem mas não dão.
        Como disse uma puta duma directora de escola (presidente de comissão instaladora..é o mesmo) nós somos pedagogos
        Mas essa pedagoga sessentona tinha um cartaz a chamar à Isabel Alçada (que anteriormente era boa e gastou 70 contos a comprar os livros da dita para a bibliotheca) grande vacca

        Que curiosamente era a alcunha que os boys lhe davam
        logo é triste querer ser exemplo
        quando não se é exemplar
        Tive 2 horas por semana com 1 aluno para dar apoio…no ano inteiro…uma aluna que veio 1 vez mas dá no mesmo

        2 horas por semana a 20 euros por hora 8 horas das 80 por mês…..ou 88 tanto faz

        A recusa de reformar e querer que os outros paguem o aparelho do estado sem nele trabalharem

        só funciona com gulag’s ou com decapitação na praça pública
        por heresia republicana

        • Poys Poys el Professoratto Engorda comu o Arsénico says:

          logo se o palavrossáurio e não sauro pois saurópodes só em brasuca são sauros…
          é tão intolerante como o outro
          porque é que o soporífero ministro e professor palestrante massudo é pior do que os seus colegas?

          são da mesma massa…todos incapazes salvo uma pequena (muito pequena minoria) o resto é gente bruta incapaz de compromissos quer tenha poder quer seja falho dele

          o facto de quererem ser tyranossáurios e rex absolutistas
          é normal em quem usa o estado como se fosse seu

          Os meus funcionários os meus professores os meus alunos

          somos a classe mais paternalista depois de médicos e advogados (obviamente os juízes são hiper-paternalistas tal como os restantes nas altas esferas do governo naxionalle)

          Boçês deprimem-me…infelizmente as FP-25 tamém nã eram grande allternativa…apesar de serem uma lufada de ar fresco no cinzentismo nacionalista maníaco-depressivo

  2. Anabela Magalhães says:

    Certíssimo, João Paulo! Contem comigo.

  3. eyelash says:

    finalmente, alguém!

  4. Aurora says:

    Contem também comigo.

  5. maria celeste ramos says:

    Já anda uns passos que bom apesar de tante dúvida – mas anda

  6. Isabel says:

    Ao ataque… escorraçar à escória deste país!

  7. O Palavroso é um grandessíssimo Filho da Puta da direita onanista says:

    .

  8. Fernanda says:

    Há quem acredite que a forma de luta mais eficaz deve ser por “nichos”, ou seja:

    – No tempo de MLR, os professores titulares deviam recusar-se a sê-lo (1º nicho)

    – Depois, ainda no tempo desta ministra, os professores avaliadores deviam recusar-se a sê-lo (2º nicho)

    – Agora, deviam ser os directores a bloquearem o início do ano lectivo, não entregando os horários aos professores (3º nicho)

    Estas foram e continuam a ser “formas de luta” defendidas por alguns (muito poucos, mas ainda assim alguns, com alguma visibilidade).

    Para não alongar mais o texto, penso que não será necessário explicar como estas lutas de nichos/sectores muito particularizados não terão impacto algum, antes pelo contrário, bastando conhecer minimanente o sector.

    Mais ainda, critica-se tudo quanto seja uma luta generalizada – manifestações, greves, etc- porque não têm efeito, porque são manipuladas, porque estão ao serviço de agendas partidárias.

    Ao mesmo tempo, são criticadas movimentações mais espontâneas – vigílias, etc – porque estão ao serviço de agendas partidárias.

    Confuso, não?

    Pode parecer, mas não é.

    É uma questão de organização.

    Mas também não só.

    • Poys Poys el Professoratto Engorda comu o Arsénico says:

      não é confuso é uma visão de um mundo burocrático que se avolumou nos últimos 30 anos e em grande

      á quem acredite que a forma de luta mais eficaz deve ser por “nichos”, ou seja:..

      – No tempo de MLR, os professores titulares deviam recusar-se a sê-lo (1º nicho)

      – Depois, ainda no tempo desta ministra, os professores avaliadores deviam recusar-se a sê-lo (2º nicho)

      – Agora, deviam ser os directores a bloquearem o início do ano lectivo, não entregando os horários aos professores (3º nicho)

      Estas foram e continuam a ser “formas de luta” defendidas por alguns (muito poucos, mas ainda assim alguns, com alguma visibilidade)….

      MLR odrigues desta ministra…é sintomático…
      felizmente tou fora…

    • Fernanda says:

      Não é sintomático. Foi pensado.

  9. Fernanda says:

    Isto é um bocado como o “telework”.
    Há sempre alguém que prefere uma luta “from the comfort of the home”, provavelmente em pijama e com o frigorífico ao alcance por vias do calor.


    • não há uma grande diferença entre isto
      Candidatura – Concurso de Mobilidade Interna
      Disponível de dia 16 até às 18:00 horas de Portugal Continental de dia 20 de julho de 2012
      .Universo de códigos de agrupamentos e escolas para manifestação de preferências

      e o pessoal que foi para o canadá ou para moçambique no ano passado
      e os que estão a dar escola na grã-bretanha a 800 e 700 libras mensais….
      há aqueles que nem lutam e preferem conformar-se com o mundo´
      ´
      se o milho seca porque não chove ou porque um incêndio o crestou até à raiz luta-se contra o quê?

      em escudos ou em euros não suportamos o estado é simplex

  10. Fernanda says:

    “O que fazer a seguir?”

    Para além das acima referidas por alguns, há outras formas bem interessantes que li por aí.

    Aqui vai:

    Os professores, em todas as escolas, não leccionam matéria, uma espécie de “empastelanço”. Uma espécie de aula de substituição sem plano de aula….

    Esquecia-me de referir o seguinte quanto ao “bloqueio” operacionalizado pelos directores: Os horários não eram distribuídos, mas os professores organizavam actividades para os alunos…..

    Eu não quero adjectivar muito isto, talvez só …estas formas de luta são um bocado bacocas, não são?


    • em todas as escolas é uma generalização

      há professores muito bons que ensinam muito mais que o programa

      e há-os em todos os grupos…e há também outros…

  11. Fernanda says:

    Nuno Crato deve ter andado a ler estas lutas propostas. Daí o sorriso com que se apresentou hoje na comissão parlamentar.

    Boa noite.


  12. nuno crato é um tipo bem intencionado cheio de ideias inconsequentes que não tem muito por onde se virar

    79% da massa vai para salários e subsídios
    retirar 21% para manter o estado a consumir…o que ninguém já quer pagar nem os próprios funcionários do estado

    vai ser engraçado 2013 de certezinha
    pode ser que chova

  13. Poys Poys el Professoratto Engorda comu o Arsénico says:

    na verdade a preferência pelo latinório no sáurio e pelas mães que tudo fazem pelos putos no outro sauron parecem o resultado de um mau conselho de turma na concelhia

  14. Poys Poys el Professoratto Engordou com o Arsénico says:

    a resultar no quê?
    se o escudo vier ficas com o poder de compra de 77 em duas semanas e voltas a comprar bmw’s dos anos 70…

Trackbacks


  1. […] Vamos continuar a apertar porque está a resultar […]


  2. […] num ano é algo que se aproxima do reinado de quem sabemos, mas temos até medo de falar. Mas o monstro acordou e não vai dar para […]


  3. […] A resistência nas Escolas é o último reduto de Esperança de um povo que continua a ser roubado todos os dias e que vê na classe docente um exemplo. E, se, um governo de maioria absoluta caiu às mãos da luta dos professores, outro se poderá seguir! E olhem que avisei há muito tempo. […]