Atraso de vida

Portugal tem uma longa história e uma das suas curiosidades, decerto será a opção pela via férrea como meio de transporte moderno. Há cento e dez anos, tínhamos uma impressionante rede de caminhos de ferro. Assim, os infelizmente cada vez mais improváveis sucessores de Fontes Pereira de Melo, teriam a obrigação de colocar este transporte numa plataforma de primazia, estudando cuidadosamente aquilo que outros países fazem em matéria de mobilidade e poupança. Mas não, por aqui continuamos com a querida e velha mania do cata-piolhos, ou seja, da procura de um homem providencial em todos os escalões da sociedade, seja ele um gestor de fortunas, um “autoador” de multas que interpreta as normas a seu bel prazer, ou neste caso, um revisor que decida acerca dos direitos de um passageiro.

Esta notícia não devia existir, pois cada vez mais nos arriscamos a ficarmos a “ver comboios” em casa, brincando com um ou outro exemplar da Märklin.. De vez em quando, Portugal bem podia rever os conselhos, velhos de décadas, prodigalizados por Ribeiro Telles. Ainda vamos a tempo.

Comments


  1. O caminho de ferro foi desmantelado em favor dos camiões, foi o mercado e a burocracia do Estado a funcionarem.

    • O Doutor de Morgadios Telles? acho bem acho bem says:

      o mercado? o dos taxistas?
      foi a empresa estatizada toda secil e socel inclusive ter feito os fretes aos camiões de partidos vários

      valha-nos a santa quimigale que só metia 60% da carga em camião…senão o pessoal da CP paralisava o enxofre das pirites das minas do lousal e o nitrato do chile via grande porto de ÁGUAS pró fundas com galp ao pé

      é cu gasoil dava impostos e imposturas…

      é verdade que a CP andava com 150 greves por ano
      tamém ajudou…

      • O Doutor de Morgadios Telles doou as lezírias ao povo? says:

        e a transportadora do estado por gasolina e gasoil in camioneta nacionalizada Rodoviária Nacional tinha de ser rentabilizada pra meter mais 50 primos vermelhos ou azues como o chateau blanche


  2. Inventem uma PPP para os caminhos de ferro que a coisa depressa se moderniza. Triste país.

  3. Pimba says:

    Os portugueses abominam os comboios. Nas manifs contra o fim das SCUT väo milhares, nas manifs contra o fim de linhas väo dezenas, se tanto. Só 1/2 dúzia de carolas lutam para tentar que eles andem. E agora a luminária-mor deste (des)Governo PSD-CDS quer acabar com o Sud-Expresso, o Lusitânia, e o Porto-Vigo, as única ligaçöes ferroviárias de Portugal com a Europa.

    Mas a senhora da notícia também deveria ter um bocadinho mais de coiso-e-tal e tentar levar a bicicleta nos regionais, o revisor só a impede de a levar se näo houver mais espaço, o que nos Regionais raras vezes acontece.

    • O Doutor de Morgadios Pimba tirou a cp ao pobo? says:

      abominam deves andar fora dos quimoys da linha de cascaes e de syntra ó sousa…

  4. maria celeste ramos says:

    Sim tragam Ribeiro Telles para o aventar – a dizer coisas – eu darei o contacto e ele não sabe dizer “não” gastou toda a vida a fazer o mesmo – ou publicar escritos dele que muitos tem de uma vida inteira – e mesmo desenhos dele que andam por revistas – e que venham para o aventar – ele estará sempre aberto a divulgar o que sebe e não cabe numa enciclopédia mas que ninguém lê nem vem em blogs

    • O Eurico o Presbitero das Cheias? Bolas pá gaija.... says:

      Bolas pá o belhote tava já balhelhas quando dava aulas em évora quanto mais com 90 annus a mais…

      thalassa por thalassa prefiro o produto branco

      lava mais branco

      o que sebe e não cabe numa enciclopédia lava mais preto….
      exceto o joão araújo que era mais servil
      já o jorge…dinossauro excelentíssimo do Partei como o Telles d’Albergaria ao menos não teve sobrinhas a ficar com as sobras do Thierry-rousseau nu Brejão…

      escritos dele …uns comem os figos
      agente só come a aviar caviar

      • O Doutor de Morgadios Telles? acho bem acho bem says:

        o que sebe e não cabe numa sabedoria popularucha foi escorrido nas cheias de 83…nas de 60…era uma estrella em ascensão dentro dos morgados-douthores da lezíria

        ele e o Mariano dos morgados do sud…do deserto…

  5. Hegemonia? nã...tamos é fraquinhes says:

    ó camarada thalassa há 110 anos não havia estradas só caminhos de cabras queria que andassem adonde se nã fosse o chemin de fer…

  6. Eu mesma says:

    De facto, lamentável. Até gosto de andar de comboio e ainda alimento o sonho de fazer o circuito do Douro e Trás-os-Montes via férrea mas estou a ver o caso muito mal parado. Podíamos ser um dos países europeus com a melhor rede de comboios mas anda tudo maluco com joguinhos de bastidores, disputas mesquinhas de poder e psicoses de grandeza (vide a grande estupidez do TGV).
    Hoje em dia, se não são os atrasos por causa das greves ou porque o senhor maquinista partiu uma unha, são os horários sem pés nem cabeça que obrigam as pessoas a fazerem uma engenharia a contra relógio das suas vidas. Tudo por causa do maldito nepotismo partidário que (des) governa Portugal há décadas.
    Gostaria também de deixar um alerta para o monopólio de certas empresas de autocarros nos concelhos de Oeiras, Cascais e Sintra, que cometem abusos destes e piores. Por exemplo, a regra é só existirem autocarros de hora a hora, os percursos não têm pés nem cabeça e o preço dos bilhetes/passes anda muito perto da agiotagem.
    Autoridade Metropolitana dos Transportes de Lisboa, onde andas tu?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.