Morreu o Manuel António Pina

Caramba…

O que se escreve nestas alturas? Lembra-se o Homem, o escritor, o criativo, o cidadão.

A primeira coisa que me ocorreu foi um dos últimos trabalhos que fiz com os meus alunos em torno do livro “O tesouro.”

Estamos de volta ao país das pessoas tristes, hoje ainda mais triste pela partida do Pina.

Comments

  1. Carlos de Sá says:

    E agora? A que crónicas se agarrará a nossa sede de justiça?

  2. conceição says:

    a mim lembra-me o homem simples e bom, na sua atitude perante a vida!!!
    Também o recordo numa escola bem pobre…há muitos anos…lembra-me os piratas…até sempre…

  3. Armindo de Vasconcelos says:

    Não morreu, apenas se libertou da lei da morte, na voz do Poeta. Porque pessoas assim, de facto, não morrem, apenas atravessam a ponte para a outra margem.
    Hasta siempre!


  4. “…assim chega o viajante à tardia idade

    em que se confundem ele e o caminho.
    “.
    Como tu dizes.

    Até sempre Manuel

    mário

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.