A Bola: ascensão do erro ortográfico

Ainda sou do tempo em que se podia aprender a escrever lendo jornais, sendo A Bola um baluarte da correcção e da vivacidade da língua, ou não tivessem lá escrito homens como Vítor Santos e Carlos Pinhão.

Como benfiquista, ainda não estou convencido do valor absoluto de Matic, embora tenha a certeza de que é melhor do que Javi Garcia, pela simples razão de que este já não faz parte do plantel. Como amante e aprendiz da língua portuguesa, desgosta-me que se faça referência à “ascenção” do médio benfiquista. Desejo-lhe, no entanto, para bem do Benfica e da ortografia, uma “ascensão” fulgurante.

Comments


  1. E os jornais não têm correctores ou revisores de texto, ou lá o que seja?!

    • Maquiavel says:

      É isso que sempre me pergunto. Pois se até ao escrever nesta caixa de comentários o navegador me avisa os erros ortográficos, que raio de suporte lógico terão estes “jornalistas”? Um processador de texto de 1980?


  2. Como dizia Scolari: “E o burro siu eu?”


  3. Como dizia Scolari: “E o burro sou eu?”

  4. André says:

    O processador de texto deles já tem o Acordo ortográfico de 2015. Não sabem? A Bola é muito à frente.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.