Crónicas do Penedo IV – Não vale a pena explicar, Hugo

hugo

Foi algures na década passada que a propósito de uma calúnia de que fui alvo um velho amigo, lendo um texto meu, me mandou uma mensagem com a seguinte frase: “Não expliques. Os amigos não precisam e os inimigos não acreditam”. A partir daí, sempre que fui alvo de uma calúnia segui essa velha máxima. Ainda há dias, mesmo estando relativamente longe, um velho companheiro de muitas lutas ligou-me para me informar de uma outra que corria. Depois de termos trocado umas boas gargalhadas recordei-o dessa velha máxima. Hoje, deambulando pelas redes sociais, dei de caras com uma grave calúnia que atingia um grande amigo, o deputado Hugo Pires do Partido Socialista.

Tinha sido um erro jornalístico do semanário Expresso. Se a coisa fosse no futebol daria azo às mais incríveis teorias da conspiração envolvendo os clubes adversários, o jornal e os poderes ocultos que Octávio Machado tornou famosos. Como foi na política e neste país ela confunde-se com o futebol, a coisa foi (e é) parecida. Bem, se me permitem, não vou por aí. O erro foi já assumido pelo Expresso e li num comentário no facebook o antigo director do jornal, Henrique Monteiro, a assumir o erro. Não o conheço de lado nenhum mas sempre tive a ideia que é um homem e um jornalista sério e honrado, por isso não vou entrar em teorias da conspiração.

O que sei é que o Hugo Pires não precisa de se explicar. Nós, os amigos, sabemos bem que o Hugo é um homem e um político sério, honrado e que sempre serviu os superiores interesses de Braga e dos seus eleitores. Não precisa da política para ter uma carreira (é arquitecto de profissão e posso testemunhar como cliente, para além de amigo, como sendo um grande profissional – a sua última obra, das que conheço, foi o Buraquinho no Porto e as mais recentes notícias sobre o local comprovam o que acabo de escrever). Não precisa da política para viver e, sei-o bem, estaria bem melhor fora dela (e como a família agradeceria…). Mesmo assim, a política esta-lhe no sangue. É das coisas que mais gosta de fazer. Foi, durante alguns anos, vereador na Câmara Municipal de Braga e no seu último mandato enquanto vereador da maioria socialista(terminou em 2013) assumiu inúmeros pelouros. Tendo em conta que era (ainda é) muito novo, ter-lhe sido dada tamanha responsabilidade significa muito. Foi o homem de Braga 2012 Capital Europeia da Juventude. E a partir daí nunca mais as Capitais Europeias da Juventude foram iguais. Revolucionou o conceito, plantou muitas das sementes que hoje dão belos frutos em Braga, foi o “pai” da “Noite Branca de Braga” e hoje é deputado e um dos mais importantes responsáveis da vida interna do PS. Não foi por acaso que António Costa lhe entregou uma das mais complexas responsabilidades que se pode ter na organização de um partido.

Por isso, meu caro Hugo, nesta hora em que impera a calúnia e que estás a ser alvo de uma campanha típica da “portuguesinha e pequenina” inveja, não percas muito tempo em explicações. Nós, os teus amigos, sabemos bem quem és e de que fibra és feito. A ti, aos teus filhos, ao teu pai e à tua irmã, um abraço enorme, do tamanho da distância física que hoje nos separa. E toma em atenção uma coisa que é clássica na política: os teus adversários estão do outro lado, os teus inimigos estão no teu lado.

Um forte abraço!

Comments

  1. Nascimento says:

    Se a calunia vem de um jornaleiro ex mao-mao ( mais um…) com a KOLIDADE do energúmeno H. M. atão tenho que acreditar que o senhor em causa é KORRUPTO…ou foi ,ou virá a ser, ou….isso.

    ps. é evidente quem o é que o ranhoso pertende atingir. É por estas e outras que eu sou um Democrata. Ou seja, tanto dou um ganda abraço e uma beijoca, como um murro nas fuças aos F. P , e adoro ser ordinário para os cinicos ex-qualquercoisa…

  2. Vila do Conde says:

    O senhor H.M. foi célebre “paineleiro” que no consulado de Maria lurdes Rodrigues quando perguntado sobre uma coisa do momento respondeu:
    “Eu não sei nada sobre educação mas…!” e lá falou. Para mim ficou definido

  3. Rui Moreira says:

    Post parvo. Explicando. Antes de mais, eu tenho o Hugo Pires por um homem honesto, não é isso que está em causa. Mas “não vale a pena explicar”? Só por acaso: o Hugo Pires foi e é eleito pelo povo. Admito que não tenha de explicar aos amigos nem aos inimigos, pelas razões aduzidas no post, mas pergunto: E OS OUTROS, PÁ? É claro que deve explicar e acredito que vai explicar!