O abraço do Presidente

img_4188

Há quem afirme conhecer pessoalmente o Presidente da República e assegure que o seu Abraço ao homem em sofrimento foi genuíno, porque Marcelo Rebelo de Sousa é mesmo assim, fraterno, espontâneo, empático.
Não duvido.
O problema não está no Abraço. Está em fotografá-lo.

Abraço

No Abraço, não é nos braços nem nas costas, nem nas mãos a bater nelas, que está o sentido do gesto. É nos dois corações que se aproximam.

Um abraço para o deputado social-democrata Rodrigo Ribeiro

Rodrigo Ribeiro

Na sua página de Facebook, o deputado do PSD Rodrigo Ribeiro publicou esta fotomontagem com a legenda “Nós não esquecemos nem perdoamos…NÓS PAGÁMOS.“. Dedicado ao deputado, deixo aqui uma selecção de abraços e outros momentos de ternura, testemunhados por Santos, Estrelas e por todos os portugueses ao longo dos últimos anos. Estou certo que a esmagadora maioria dos portugueses não esqueceu, não perdoou mas, como vem sendo habitual por cá, pagou e não bufou. José Sócrates, António Costa, Cavaco Silva, Dias Loureiro, Pedro Passos Coelho, Alberto João Jardim, Luís Filipe Menezes, Marco António Costa, Teixeira dos Santos, Durão Barroso, Vítor Constâncio, Paulo Portas… Quanto pagamos nós por todos estes abraços?

Um abraço senhor deputado!

Abraço 1

Abraço 4

Abraço 5

Abraço 6

Abraço 7

epa04865535 President of PSD (Social Democratic Party), Pedro Passos Coelho (R), greets the CDS-PP (Social Democratic Party) president, Paulo Portas (L), in Lisbon, Portugal, 29 July 2015, during the presentation of the coalition electoral programme for the upcoming legislative elections that will take place 04 October. EPA/MARIO CRUZ

O abraço fraterno de Soares e Isaltino

Soares Isaltino

(foto: Expresso)

Segundo Mário Soares, Isaltino Morais foi injustiçado, algo que se compreende se considerarmos que, dos iniciais sete anos a que foi condenado por branqueamento de capitais, fraude fiscal, corrupção passiva e abuso de poder, o simpático ex-autarca acabou por ser condenado a apenas dois, tendo permanecido enjaulado por apenas 14 meses, período esse que, segundo o seu advogado, terá sido ilegal. É realmente muita injustiça junta. E Soares, esse pólo aglutinador das esquerdas da Aula Magna, apreciador de Contos Proibidos e um dos rostos da renovação liderada por António Costa não podia deixar de dar um abraço fraterno a esse ícone do boa gestão autárquica, que nem da gestão dos seus discursos se esqueceu. Todo o bloco central num só abraço.

Casa da Música – Todos Convocados

Quem não gosta de abraços? Este é já amanhã, às 15h30. Vamos?

A fotografia é esta

Uma outra versão corre mundo. Prefiro esta. Tem o enquadramento perfeito das fotografias ícones deste tempo: [Read more…]

A história de uma fotografia


Ou melhor, de um abraço, fotografias ficaram muitas.

Aventário

Há dias em que me apetece comemorar (que, em Latim, quer dizer ‘lembrar em conjunto’). No momento em que me estiverem a ler, estarei a almoçar na minha cidade na companhia de alguns dos companheiros de blogue. Estarei a comemorar.

Tenho bastante dificuldade em fazer parte de colectivos, talvez porque padeça do vício da hesitação, talvez porque me falte um certo arremesso de generosidade apaixonada. No entanto, nunca me senti tão integrado num grupo como no Aventar.

Para isso contribuiu, em primeiro lugar, a amizade antiga com o João José Cardoso. Logo a seguir, senti-me confortável graças ao acolhimento de todos os outros. Finalmente, a minha primeira participação num convívio prandial fez-me associar nomes a caras, a pessoas, e o conforto, o aconchego aumentou.

Contudo, a verdade é que o gosto por fazer parte deste grupo não se deve apenas a amizades ou a empatias ou a almoçaradas, por muito fundamentais que sejam. Aqui, sinto-me desafiado a tentar ser melhor, por desejar estar à altura de todos os que fazem o Aventar, o que não é fácil diante de tanta criatividade, de tanta iniciativa, de tanta capacidade de intervenção cívica, factores visíveis, por exemplo, na tradução do Memorando de Entendimento ou na publicação do vídeo com que o Ricardo Santos Pinto lembrou as promessas de Pedro Passos Coelho.

O que mais me espanta, no entanto, é o desejo de dar voz a todos os quadrantes, em sentido contrário à tendência que todos temos em juntar-nos às nossas tribos políticas ou outras. É por isso que os esquerdistas que infestam o blogue clamam por vozes de direita, é por isso que os portistas desejam que os benfiquistas escrevam, é por isso que os republicanos querem ler os monárquicos, mesmo que nos digladiemos nas caixas de comentários ou no correio interno.

Tinha mais coisas para escrever, mas já estão aqui a encher-me o copo. À vossa!

Mais um 2010

(adão cruz)

Com um abraço a todos

Um abraço

(adao cruz)

 Este quadro é um abraço a todos os aventares. Eu não me importo de ser o cãozinho!