O Dragão em fúria


Pedroto, “o Zé do Boné”, foi o primeiro a perceber que o FCP perdia os jogos ainda estava em cima da ponte que liga a Gaia. Começou por aí, mostrar aos jogadores que era no campo que se ganhava ou perdia. Um belo dia, foi a Inglaterra com a Selecção, “que íamos ser cilindrados, eles começavam a correr e nós nem víamos a bola Ah! sim? podem correr à vontade desde que não tenham a bola” e nasceu aí o “futebol à portuguesa”, pertinho uns dos outros que os bifes em pequenos não abundavam. Os Ingleses deitavam fumo pelas orelhas. Se bem me lembro, ganhamos por um a zero. A bola deslizava de uns para os outros e os grandalhões nem a cheiravam.
Quem não percebe que Pedroto e Pinto da Costa estão na base do futebol que nos faz ser admirados no mundo, não percebe nada. É mais fácil chamar nomes aos árbitros. Pinto da Costa foi o primeiro a perceber que para os jogadores profissionais crescerem tinha que haver profissionais a dirigir. E ele entregou-se com “amor” à tarefa. Sim, com amor porque as paixões, fugazes, deixa-as para as namoradas.
É assim que se faz um grande clube, campeão europeu conhecido em todo o mundo, ganhador. Os novos jogadores que um após outro “pegam de estaca” é porquê? Porque tem uma rede de “olheiros profissionais” e tratados e dirigidos como profissionais! Os Benfiquistas e os Sportinguistas querem acreditar em “bruxas”? O Dragão agradece!

Comments


  1. Lá está. Para os derrotados, ano após ano, é preferível atirar as culpas para os outros que olhar para os erros próprios. É preferível acreditar nas bruxas, nas alegadas manobras, na tentativa de controlar os organismo da Liga, do que trabalhar de forma organizada e planeada. Veja-se o Benfica: muda de treinador como quem muda de camisa e todos os anos há um corropio de jogadores a entrar e a sair. Assim, não é possível desenvolver um projecto de qualidade. Quando foi a última vez que o Benfica foi campeão? Recordo-me: Tinha Trapatoni como treinador, ficou campeão na última jornada com mais um ponto que FC Porto e Sporting e o Porto (na sequência da sangria pós Liga dos Campeões e num ano de asneiras) perdeu 21 (21!) pontos em casa.


  2. Esta posta do Luís Moreira é um tratado de sabedoria. Totalmente de acordo!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.