O TGV é uma fraude ! Serve a quem?

O governo socialista já veio admitir publicamente que o TGV não vai avançar antes das eleições de Outubro. Mais uma vez o povo travou as derivas absolutistas de um governo que não merece a nossa confiança.
Há um coro de vozes de gente sabedora e independente contra os megaprojectos de que este governo tanto gosta.
A viabilidade económica não é possível, o país não tem extensão territorial nem população suficiente para viabilizar o TGV!
O TGV custaria 8 mil milhões de euros ( mais os 40% habituais de derrapagem) para alcançar uma velocidade de 250 Kms/hora. Nos últimos dez anos investiram-se 1,5 mil milhões de euros com os pendulares que alcançam uma velocidade de 220 Kms/hora!
O governo, seguindo a sua propaganda mentirosa, vem dizendo que a velocidade atingiria os 350 Kms/hora. Sabe-se agora que em todo o mundo só há uma rede onde essa velocidade é atingida. Entre Tóquio e Shangai que distam 1 600 Kms em planícies praticamente desertas!
Como sempre, presos ao rídiculo, vamos ter um TGV de 350 Kms/hora que uma hora depois do arranque já saiu do território….
É preciso as pessoas perceberem o que está em jogo. Todo este dinheiro será pedido ao exterior, a taxas cada vez mais altas , numa economia estagnada e que não vai crescer por muitos anos. Nos próximos 30 anos as gerações seguintes vão empobrecer com esta dívida gigantesca!
Agora o argumento é que toda a UE tem TGV. Pois tem! Mas tambem tem governos responsáveis, economias crescentes, dívidas controladas, o povo a viver bem, enfim países ricos!
É preciso dizer não ao TGV, à terceira Ponte, às autoestradas em duplicado! Nós já somos o país com mais autoestradas por habitante, se isso fosse determinante, seríamos um país rico.E não somos! Somos um país pobre!

Comments

  1. maria monteiro says:

    Não interessa o que os outros têm mas sim… o que nós podemos ter. Só assim faremos dum país pobre um… país rico.

  2. Luis Moreira says:

    Veja que já está tudo a recuar.o lamentável que estes grandes investimentos nada têm a ver com as necessidades do país…

  3. dalby says:

    Eu até achava que tinham razão, mas costumo ouvir muito a opiniãoda minha amiga Teresa que está na Unesco, em Paris, e ela disse-me que se tinha de compreender que estamos memso numa periferia e que faz todo o sentido em termos um bom comboio que nos leve confortavelmente para o centro..eu agora também já concordo com ela, embora também compreenda as vossas preocupações…mas se não gastarmos no comboio, para onde vão parar os milhões?

  4. Luis Moreira says:

    Qual dinheiro? não o temos! esse é um dos problemas.Quem quer ir para a Europa vai de avião ou de carro nas autoestradas. Os países nórdicos estão ligados à europa? Por autoestrada ou por TGV? É só golpadas!

  5. dalby says:

    i eu bato neste Luisinho do Areeiro, mas eu bato-lhe tanto, está sempre a contrariar-me em tudo!! Eu não gosto de andar de avião, vou sempre de comboio que são uma bosta…é tudo tão longe…

  6. maria monteiro says:

    Pois de Lisboa para Paris sempre utilizei o comboio ou a intercentro/eurolines e nunca tive razões de queixa. O que custa mesmo é chegar a Paris (mas também é só um dia e uma noite) a partir daí o longe fica muito mais perto…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.