Linha de Leixões:

Ter razão!

No tempo devido (Junho, data do anúncio da introdução de passageiros na linha de Leixões – Ermesinde) a Câmara Municipal da Maia reclamou a necessidade de construção de um apeadeiro nas Arroteias/Pedrouços para ligar a linha de Leixões ao Metro no Hospital de S. João. É com alegria que vejo a CP atender essa reclamação justa que vai permitir ligar Pedrouços (Maia) e Ermesinde (Valongo) à linha do Metro e assim justificar o investimento que está a ser realizado:

«Linha de Leixões: comboios vão parar «à porta» do metro (fonte: ESTA)

Os comboios de passageiros da linha de Leixões vão efectuar paragens, a partir de 2010, junto ao hospital de São João, Porto, para facilitar a interligação com a rede de metro, revelou hoje o administrador da CP Ricardo Bexiga.

Um dos pressupostos que alicerçou a decisão politica de abrir a linha aos passageiros tem por base precisamente o objectivo de «potenciar a intermodalidade», sublinhou o gestor, em declarações à agência Lusa.

Além do apeadeiro nas imediações do Hospital de São João – que ficará ligado à estação de metro por uma via pedonal de cerca de 200 metros – será construído um outro junto à Efacec, em Leça do Balio. Otília Sousa, da CP/Porto, disse que estes apeadeiros estarão operacionais em 2010, «talvez em Maio».

A construção do apeadeiro junto ao Hospital de São João foi reivindicada em Junho pela Câmara Municipal da Maia, que defendia este e outros ajustamentos no projecto como forma de criar um transporte público alternativo «em zonas onde vivem largas dezenas de milhares de pessoas e onde o Metro não chega».

Comments


  1. já agora confrontar isto com a conversa que gravei no inicio do ano com antónio alveshttp://oportoemconversa.wordpress.com/2009/03/17/conversa-com-antnio-alves-podcast/


  2. Mas tudo o que é bom acaba e Linha de Leixões lá fechou outra vez. Na minha opinião, a linha só não tinha passageiros porque as principais estações nunca chegaram a sair do projecto.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.