E quem não vê caras pode ver corações?

Por volta dos meus 14 ou 15 anos, vivi um curto período de campeã de concursos radiofónicos. Com o beneplácito e a colaboração da minha mãe, que deve ter achado que melhor isso do que meter-me nas drogas, fartava-me de ligar para tudo quanto era concurso de rádio e em poucos meses amealhei dezenas de prémios, nenhum deles de grande valor monetário, mas todos muito bem-vindos. É justo dizer que nenhuma dessas vitórias teria sido possível sem a introdução em nossa casa de um telefone de teclas, supra-sumo da evolução tecnológica nesse início da década de 1990, e sem as enciclopédias que o meu pai comprara nas Selecções do Reader’s Digest, e nas quais eu encontrava num ápice resposta a questões como “quem inventou o nónio?” ou “que rio banha Praga?”. E assim, em poucos meses, a minha mãe – que se juntava a mim aos fins-de-semana – e eu ganhámos óculos de sol, bilhetes para espectáculos, vinis, CDs, tortas de noz e bolos-rei, e muitas outras coisas de que já não me lembro. Por essa altura eu não tinha locutores favoritos (viria a ter, anos depois, o Aurélio Gomes), mas a minha mãe apreciava em particular o galã radiofónico de uma estação do Porto, que falava com voz de cama, e a quem ligavam algumas senhoras que, entre sussurros melosos, confidenciavam que estavam a ligar da banheira, num banho de imersão com pétalas de rosa, e coisas semelhantes. Um dia ganhámos um concurso promovido pelo dito senhor, e tocou-me ir levantar o prémio. O meu pai, que nessa tarde estava livre, acompanhou-me e a minha mãe, que tinha de trabalhar, roeu-se de inveja mas fez de conta que tanto lhe fazia.

Fomos recebidos por um matulão de cento e tantos quilos, vestido com uns calções de explorador, com umas unhacas a sair das sandálias, e que para meu espanto tinha a mesma voz do locutor sexy. A primeira coisa que me ocorreu é que se trataria de uma partida, um estranho ventriloquismo que faziam para troçar com os ouvintes ingénuos. Não era, claro. Era mesmo ele. Se as senhoritas da banheira o pudessem ver, meteriam a cabeça na água e deixar-se-iam afogar. Felizmente o meu pai, deliciado com a descoberta, estabeleceu a conversa diplomática que havia que estabelecer, já que eu fiquei muda, assombrada pela voz que saía daquela cabeça à qual era claro que não podia pertencer. Nesse dia desisti dos concursos de rádio. E prometi que nunca mais quereria conhecer qualquer pessoa a quem eu tivesse imaginado antes, intuindo já por essa altura que esse encontro estaria condenado ao desencanto. Claro que viria a quebrar essa promessa anos depois, mas isso é outra história. Vem isto a propósito de eu ter visto aqui há dias, no Facebook, a fotografia do nosso Adalberto Mar, enfant terrible do Aventar, perpetuamente do contra, ágil a deitar abaixo qualquer uma das nossas paixões musicais, literárias, cinematográficas, desportivas, arquitectónicas, digam vocês (isto em português não soa tão bem quanto “you name it”, verdade?) e que tem um ar tão cândido e de boa pessoa que eu até pensei que devia haver engano. Onde estão o bigode mefistofélico, os cabelos revoltos de endemoninhado, o olhar incendiado pela indignação, a turbulência que o faz GRITAR-NOS com o Caps Lock ligado? Como é possível que a foto que nos surge seja a de um simpático moço em passeio pelas ruas de Aveiro? Isto de partilhar um projecto com alguém a quem não se conhece o rosto ou sequer a voz espicaça a imaginação e faz-nos hesitar entre o desejo e o receio de chegar mais perto. Claro que os outros também são aquilo que pensámos deles, o que avaliámos de acordo com experiências passadas e às quais eles muitas vezes são alheios, o que imaginámos e interpretamos, o que intuímos e inferimos, e julgamos com ou sem justiça. Mas essa também é a graça de nos relacionarmos com aqueles cujo rosto não conhecemos, não é?

Comments

  1. Adão Cruz says:

    Penso que sim Carla. Eu sou cardiologista, mas do coração de carne e não do coração dos sentimentos, embora este não me passe ao lado. Por isso e pela minha experiência, creio que a cara, bonita ou feia, é, não raras vezes, uma espécie de cancela que imdede a entrada.

  2. Adão Cruz says:

    Isto pelo lado da cara. Pelo lado da “não cara”, pode ser mais fácil entrar, pelo que se ouve, pelo que se sente e pelo que se intui.

  3. Adão Cruz says:

    Isto pelo lado da cara. Pelo lado da “não cara”, pode ser mais fácil entrar, pelo que se ouve, pelo que se lê, pelo que se sente e pelo que se intui.

  4. João J. Cardoso says:

    Tenho umas estórias parecidas, do tempo em que fazia rádio numa rádio. Bem, acho que nunca causei uma surpresa dessa dimensão a uma ouvinte (até por falta de peso da minha parte), mas que a voz engana, ai engana sim senhor.


  5. O mistério das vozes sempre foi uma das grandes magias da rádio de outros tempos. Hoje é mais difícil, embora haja ainda alguns desses casos. Quem ouve vozes não vê caras e muito menos corações.

  6. maria monteiro says:

    Cada um é igual a si próprio… pessoalmente não me gasto a imaginar o aspecto físico de quem está por detrás do microfone, do livro, do blog,,… Têm um nome e o rosto aparece sempre associado à própria dignidade e grandeza de viverem…

  7. Luis Moreira says:

    Eu acho que quem escreve como e o que escreve a Carla só pode ser uma pessoa bonita ( agora não venham todos a correr a dizer o mesmo cheios de inveja…)

  8. Ricardo Santos Pinto says:

    Já escrevi aqui uma coisa do género. http://aventar.eu/2009/05/06/os-dias-da-blogosfera/ Para mim, foi sempre a grande magia da rádio.E a mim, Carla, como me imaginas?

  9. dalby says:

    Merci bien, Carla, como venho só de vez em quando aqui acabo por perder alguns comentários que me dizem respeito, e que a Doce e generosa Maria, acaba de me enviar posteriormente..Pois Carla obrigado, SIM ESSE SOU EU EM 2007 NUMA DAS MINHAS CIDADES FAVORITAS E COM UMA MOVIDA INCRIVEL AVEIRO É UM SONHO!! E PRAIAS NUDISTAS DA COSTA NOVA TUDO UM MUST ACTUALMENTE!! mas em relação às fotos… sempre foi assim, eu sempre disse que era doce e singelo..no aspecto…uma ovelhinha de look..embora lhe tenha mandado umas fotos mais ousadas numa praia da costa de Barcelona, com recantos divinos, vou la agora finais de setembro..quando só os ricos voltam, depois da populaça histérica ter partido!!! e mandei lhe outras que fariam inveja a Adão e Eva. (o aventar não tem de ver pois é um blog muito puritano e sério!!!!!!) ADORO O MEU PRÓPRIO CORPO e por isso de vergonha nenhuma. Aliás até dá-me uma vontade de rir quando se diz que a definição de gay é gostar do seu proprio sexo..então todos os homens portugueses seriam bixas trichas quadrixas e as mulheres hiper super multi lesbicas pois quem nao gosta do seu pirilampo mágico e do seu xouxou??!!Numa daquelas praias, e mais uma vez tive direito a ser repreendido por um casal «luisiano areeiro», defensor dos bons costumes, a quem eu disse que a porcaria toda estava na cabeça deles…E que se não gostassem de ver um homem como eu a «comunicar» com alguém da Argentina (hummm que beleza…!! era das artes!!!), e não não era futebol argentino o que eu estava a jogar, que não andasse a espiar praias nudistas..Além de tudo eram centenas de pessoas nuas, que fossem para a parte não nudista..Aquilo deu um fru tamanho em pelna praia, comigo a dizer «va se foder, estupidos d em..» etc etc passei-me pois fui apanhado no pior..no antigo sentimento de culpa judaico-cristao..o que eu digo aqui ou dizia aqui sao sonhos de criança com a ferocidade com que me atirei ao casal eram altos enormes…..fiz uma peixeirada…que houve um levantamento contra o temível casal, ela de topless ele enorme, alto e ameaçador….a custa da peixeirada fiz novas amizades, advogados, estilistas, policias(!!) e uma modelo todos em pé e NUS a defenderem-me (claro que nus éramos todos iguais..mas deu para fazer novas amizades e ate para enviar posteriormente amigas e amigos lá para casa deles)..o meu colega Mané que tinha ido comigo num summer course estava MORTO ja que é o meu oposto, e a pessoa com quem eu brincava gelada, eu nem a Rosa Mota e o marido a realizarem-se mas de histérico aos gritos era portugues espanho ingles…passei-me quando em plena Catalunha me vêem na minha direcção com um ar punitivo «Aqui, that NOOO porque ..there are many people that dont like…!!! assim a quererem dizer em duas linguas punir-me ..ahhhhhhhhhhhh passei meeeee!!! Mas Foi girissimo, embora um pouco constrangente..porque estavamos todos nus a abanar os guisos todos e a mandar vir..Os acusadores não..um casal , ela de topless ele de fato de banho classico altos, nao sei se catalaes …depois foi a paz novamente e o ‘cafe del mar’ voltou, e eis eu ali nusinho sobre o meu colechao insuflável..(costumava insuflá-lo todos os dias de costas para toda a plateia da praia, em movimentos de encher sobe e desce, era O ESCÂNDALO TOTAL, mas porra estavamos em BARCELONA, até me vieram pedir a bomba emprestada, inveja era tanta!!Acabeo por conhecer intimamente depois a pessoa qu eme pediu emprestado a bomba de encher o colechão!!!..E assim os catalães, e os franceses, suiços, brasileiros, australianos e americanos ricos que tinham casa naquela belissima praia a sul de Barcelona viram que OS PORTUGUESES SÃO MODERNOS, PÓS MODERNOS, SOFISTICADOS, ALEGRES E BEM DISPOSTOS, REGATEIROS E QUE A BANDEIRA PORTUGUESA TEM A HASTE BEM HASTEADA!! E eu estava com um look radical rapei a cabeça deixei pera e bigode ..assim look muito bEAR!!!AQUELA FOTO de bandeira com duas amigas, aliás três mais um que nos tirava a foto, foi no concerto inesquecivel da Alexiou, grega, a quem Madrid se rendeu nos concertos de Verano de La Villa, ao ar livre (antes de ter descido para Barcelona)…e onde fiz uma choradeira assim que ela começou a cantar e a recordar-me os concertos onde tinha ido vê-la acompanhado de kardoula MOY quando estivera em Atenas a viver uns tempos, e ficou tudo a olhar para mim pois eu chorava compulsivamente que nem a canção ‘chorona chorona’ do António Calvário/Marco P(a)OLO..os colegas não sabiam o que se passava e eu lá contei àquela amiga gira que está a meu lado, Beatriz,psicóloga ainda por cima e onde fico em Madrid sempre que vou lá…(Basca!) e com uma irmã terrivel que me punha na linha!!! Ainda por cima, pobre daquele actor que faz de enfermeiro em «Tudo sobre minha mãe» do Almodovar, desde a fila na bilheteira que estava digamos…. «a tentar captar a minha atenção», modéstia a parte, todos olhavam para ele, ele olhava para mim. Ele Estava com uma amiga, mas deve ter-se assustado, pois tinha-se sentado perto de mim no concerto, os bilhetes sao unicos, lugar unico, ao ar livre, e ele, com olhares furtivos e sorrisinhos atrevidos….quando me viu a chorar que nem o LUis quando nao tem femea ao fim de 6 meses ininterruptos, assustou-se concerteza!!!!..Mas o melhor estava para vir..A Alexiou começou a tocar e a cantar musica dançante grega…uiiii passei-me! Eu que sou um Fred Astaire NATO!..Agarrei na nossa bandeira, a TV Madrid estava lá..corri com uma das colegas, descemos, começamos a dançar na frente e eu dou um beijo na bandeira portuguesa que tu Carla vês na foto, e onde colocava o «material todo» (cu e frentes! ao deitar-menas piscinas nudistas de La Elipa e Barrio dele Pilar, era uma toalha sobre a relva e a bandeira portuguesa….era uma maneira de promover a nossa nacionalidade no meio de tanto mundo!!!! TERRIVEL que sou fora de portas!!! Assim ninguém teria de ter timidez para me perguntar como é o sol em Portugal!!!) e beijei a bandeira e atirei-a bem forte ao palco à cantora…..havia de ver… FOI SUBLLIIIMMMMMEEEE EM PLENA CAPITAL DO IMPÉRIO HSIPÂNICO, A Alexiou agarrou na bandeira, e tipo ‘saia’ arrasta-a à saida do encore…ERAM APLAUSOS, RISOS E ASSOBIOS POR ELA PROVAVALMENTE NÃO SABER QUE LEVAVA A VOAR , arrstando-a, saindo do Palco…A BANDEIRA DE PORTUGAL, E NÃO DE UMA QUALQUER REGIAO OU MESMO DE ESPANHA,,,OS MEUS COLEGAS E AMIGOS ESPANHOIS E ESPANHOLAS DISSEREM «FUÉ DEMASIADO… FUE DE OSTIA!!!» CLARO QUE FOI ÚNICO!!! MADRID A APLAUDIR A TRIUNFANTE HARRIS ALEXIOU DE PÉ E ELA A IR-SE COM A MINHA BANDEIRA ONDE ME DEITAVA NAS PISCINAS NUDISTAS E A DIZER ADEUS ..AMEIIIIIIIIIIIIIIIIIIII!BEM CARLA, PELO MENOS QUANDO VIRES A FOTO DA BANDEIRA JA VAIS SABER ONDE ELA PÁRA….ATENAS! FOREVER AND EVER, COM E SEM DEMIS ROUSSOUS!DALBY, o da foto no FACEBOOK com ar de inocente…comme il faut!!!

  10. tastdfdd says:

    FUÉ DEMASIADO…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.