Não há empreitadas grátis

lemos

No sábado o Expresso noticiava a propósito do programa de recuperação das escolas que coube ao Grupo Lena a melhor fatia no bolo das adjudicações de empreitadas: 89 285 milhões de euros, seguindo-se a Soares da Costa com menos de metade.

No mesmo sábado o Diário As Beiras inventava um “Dossiê Regresso às Aulas” composto por uma entrevista a Valter Lemos, cinco páginas, pela opinião dos sindicatos significativamente intitulada “Sindicatos ‘de olho’ nas eleições” uma página (a única disponível online), e outra sobre o preço dos livros escolares.

Qual é a relação? Antes de se lançar no jornalismo diário a nível nacional, o grupo Lena adquiriu a empresa Beirastexto, que juntou a  outros jornais regionais que já possuía. Adivinharam: a empresa Beirastexto é a proprietária do Diário As Beiras.

Mais um caso de amor com amor se paga. Da entrevista, além da repetição das mentiras  rotineiras, destaco o final: inquirido pela jornalista sobre o conselho que gostaria de deixar a um sucessor, Valter Lemos responde:

Não sou de muitos conselhos, nem tenho essa arrogância. Ainda tenho muito trabalho para fazer e não pensei nisso. Espero que o resultado das eleições seja favorável ao partido que está no Governo e espero que as questões de política educativa possam ter continuidade no sentido da melhoria de resultados.”

O sublinhado é meu. A preocupação também.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    É bem verdade não há almoços grátis e empreitadas ainda menos e, é por isso, que os grandes grupos empresariais de uma maneira ou outra controlam empresas de comunicação social.

  2. dalby-o-calmo says:

    e os politicos também..ou melhor meros candidatos a imagens do que é um politico ..este devia também ir PRESO!

  3. dalby-o-calmo says:

    uma cara vale mais do que mil peidos..ai desculpem …do qu emil palavras!


  4. […] não se consegue arranjar imagens, visto não existir na edição online, fica aqui ligação para o post do Aventar onde se abordar o evento digno das maiores […]

Deixar uma resposta