A Prisa agora já pode vender ou alguem pode comprar?

Todos sabiam quem era a Prisa, o que fazia, o que representava, de que força política era próxima. E, no entanto, comprou a TVI que começou por ser “entregue à Igreja”, repare-se, “entregue” e quem entrega tambem tira e condiciona e abre portas e fecha portas como se viu com a tentativa PT.

Afastar Moura Guedes era condição para que o negócio se fizesse? E Eduardo Moniz? E a licença para o 5º canal?

A verdade é que já há muita gente interessada em comprar e um negócio destes não se faz sem a benção do governo. Emagrecer e limpar empresas antes de as vender/comprar é normal, faz parte das acções necessárias para que o negócio seja bom para ambas as partes. Mas não faz parte dessas acções esbanjar activos e o jornal da Manuela era o programa com mais audiência da estação. Era um activo, a audiência trazia publicidade e é daí que as televisões vivem.

Tambem é verdade que com esta estratégia o preço da estação baixou, mas isso seria maquiavelico, baixar o valor da TVI para que alguem dê um passo em frente. Esse valor vai ser suportado fifty/fifty? Podem ter sido razões de higiene, calar aquela voz, por ser mais prejudicial do que benéfica no global?

Mas então está em causa a liberdade de expressão, vergada ao poder dos negócios.

E a pergunta mantem-se. Agora, em plena campanha para as eleições? Ingenuidade da administração? Mas alguem acredita nisso? A administração tira do ar a jornalista porque seria pior dar-lhe mais dois fins de semana ? Ou o que ela sabe e pode tornar público é uma bomba relógio?

Lembre-se que no fim de semana anterior tinham saído notícias em vários jornais que indiciavam que o processo Freeport estaria no fim e com Sócrates ilibado.

Hoje o Presidente do Sindicato dos Magistrados vem dizer que o processo Freeport só estará fechado em 2010!

Eu não ponho o meu esbelto pescoço no cepo, mas essa de ser a oposição a armar uma cilada, convencendo a maioria da administração a tomar essa decisão estúpida, nesta altura, só pode ser brincadeira!

Comments

  1. Zé dos Reis says:

    Uma rectificação necessária, o Jornal de 6ª não era o programa com mais audiencia da TVI. Nem de perto nem de longe. Basta consultar os dados da Marktest, o que é a única maneira séria de analisar a coisa.Em primeiro lugar as novelas tinham, teem, muito mais audiencia. Depois há normalmente um ou dois programas informativos, reporter TVI, por exemplo, com maior audiencia que a MMG em praticamente todas as semanas desde Maio, confesso que não confirmei para trás, nem é preciso, não interessam aqui as audiências que o programa teria ha 4 ou 5 meses atrás.Depois há o Jornal Nacional dos outros dias, e, contando de maio em diante, em cerca de 50% das semanas consegue suplantar a audiência de MMG. Note-se que as diferenças entre os dois é normalmente de poucas décimas a favor de um ou outro.Acrescente-se que o Jornal de MMG tinha produção autónoma com 11 pessoas a trabalhar para o programa, o que faz com que a relação custo/audiência só era comportável enquanto MMG dormisse com o patrão.Resumindo, MMG até

  2. Luis Moreira says:

    Zé Reis, o ponto não é esse, mas que se tratava de um programa dos mais citados em jornais e revistas e dos mais comentados.E tudo isso são audiências…

  3. Sergio Gaspar says:

    Sé lo que hicieron este verano…..Na sequência da demissão em bloco da Direcção de Informação o ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, pediu à administração da TVI para dar uma “explicação cabal da decisão” de suspender o Jornal de Sexta, apresentado por Manuela Moura Guedes e desafiou também a estação a “publicitar já” quaisquer informações que tenham a ver com o PS. O ministro dos assuntos parlamentares sabe que a PRISA, não faz favores ao PS com ou sem (OE), recordamos um episódio relatado no El Mundo, em que “por supuesto” uma emissora pertencente ao Grupo Prisa, a emissora “Los 40 principales” apelava ao voto no PSOE no dia do acto eleitoral. A “difusión de cuñas publicitarias” foi denunciada pelo PP, tendo sido justificada pela emissora como “error informático, absolutamente involuntario”.A mudança na TVI pode ser justificada, como um acto de gestão, no entanto o “timming”, não abona a favor da isenção …. Se é CENSURA não sei no entanto cito o nosso PM “Sei o que fizeste no verão passado…”Link para a noticia do El Mundo: http://www.elmundo.es/elmundo/2009/06/26/espana/1246034225.html


  4. Oh Zé dos KINGS, já vi que te preocupa muito os números, mas não a mim! SOU RICO e os números pouco me interessam…A essência do caso é o facto da originalidade do programa..nem tudo o que rende ou não rende tem de ser questionado, senão já não haveria pessoa viva num hospital ou programa em português….isto é como os hipermercado hard discount, vende-se umas coisinhas baratinhas que cobrem as que se compram caras… MANUELA MOURA GUEDES FOI A VERDADEIRA VENCEDORA DAS EUROPEIAS, E O SEU ESTILO É O ÚNICO SEM HIPOCRISIAS, RUDE OU NÃO, NÃO ESTAVA CÁ COM PENAS, o PS, o governo llevaram e com a classe de nos fazer sorrir…E se vamos a contas, e ao que dá ou não, o nome ‘Zé dos Reis’ também não ia dar grandes audiências, e no entanto a gente até te deixa viver e respirar!!! ISTO, RESUMINDO, É ASSIM: A NELITA M GUEDES JÁ SABIA QUE TINHA DESAFIADO O PODER, E QUE MUITO ESTAVA EM QUESTÃO, há uma luta titânica, e o JNoite quer estivesse a dar audiências de Lidl, ou não, era «O NOTICIÀRIO» e de tal maneira bugia que deu no que deu…QUANTO A ELA DORMIR COM O PATRAO, É O MARIDO, E MAIS, SE DOIS PESOS PESADOS FORAM DERROTADOS IMAGINEM O MONSTRO QUE ESTÁ POR DETRÁS, POR ISSO, OH ZÉ DOS FRANGOS ..POUPA-NOS COM AS TUAS CONTAS TIPO «CONCURSO A ENGENHEIRO DO ANO»!!! OH RICARDO, EU VOU TER DE DESISTIR, ESTES GAJOS TIRAM-ME DO SÉRIO, EU PAREÇO UM BOMBEIRO….MAS JÁ NÃO POSSO MAIS, ESTES FRANGOS DE CRIAÇÃO SÃO MUITOS…. SÃO MUITOS…. E EU NÃO POSSO MAIS A TER DE IR A CORRER A RESPONDER A ELES TODOS !!!SÃO MUITOS, RICARDO, MUITOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.