OS SUMARÃES ALUMINOS

.
ENVOLTOS EM POLÉMICA HÁ TEMPO DE MAIS
.
.
.Ciclicamente as coisas vêm à baila.
Paulo Portas encomendou dois submarinos alemãs e não o deveria ter feito.
Fez um contrato mal feito e não o deveria ter feito.
Deixou que outros roubassem cerca de seis milhões de contos ( dos antigos, dos bons) ao Estado Português, fruto de comissões mal entregues.
Foi uma nódoa na governação.
Etc., etc., etc..
Sempre que o homem ganha alguma notoriedade lá voltam as acusações. Mas é bom de ver que este processo já é mais velho que o do Freepot e ainda não acabou. Mas como estamos em Portugal, nada é de estranhar.
O sr Portas parece que nunca foi chamado a prestar declarações sobre o assunto. parece incompreensível, não é verdade? Se o sr tem tanto de mau comportamento, de acções ilegais, porque raio não foi ainda chamado?
Nestes últimos dias ficou a saber-se que o contrato de compra dos submarinos e das contrapartidas, desapareceu. (?!?!?!) No mínimo, é esquisito. Como é que desaparecem papeis importantes dos que o nosso Estado tem de guardar? Documentos importantes que indicam quem deve o quê e como?
Agora surge a polémica sobre a hora e o minuto do aviso da concessão ao consórcio ganhador, vários dias antes do despacho do Ministro. É importante? Seria se o aviso surgisse antes do concurso, ou algo parecido. Agora já depois da decisão tomada, mas antes do despacho?
Não podem ver uma camisinha lavada!

.
JM
.

Comments

  1. António Martins says:

    Qualquer pessoa que saiba de contractos públicos sabe que as propostas são abertas, publicamente 60 dias antes da adjudicação, para se verificarem as BAFO – Best and finnal offers. É por isso normal que, face aos critérios de decisão que são públicos e transparentes, se saiba antecipadamente a quem vai ser adjudicada uma obra. Se a adjudicação é de Setembro, desde Julho que já se devia saber quem iria ganhar. Não percebo como é que o Público, jornal sério e profissional, não se deu ao trabalho de verificar a lei. Talvez amanhã reconheça o erro na secção – O Público errou.

  2. Luis Moreira says:

    As contrapartidas são, elas próprias, uma negociata, porque não há quem controle a sua concretização. Segundo um deputado socialista da comissão de contrapartidas, há muitas centenas de milhões de contrapartidas nunca concretizadas, e deu exemplos. Parece que havia contrapartidas para a Efacec e vendas de produtos como a cortiça e texteis. E eu a julgar que o que interessava era a transferência de tecnologia. Um fartar!

  3. Francisco says:

    Perfeitamente de acordo, não podem ver uma camisa lavada. Cambada. É só bota abaixo. Acho que a nossa comuinicação social está por trás de todas estas intrigas e conversas de “gaja”. Assim não dá.

  4. Francisco says:

    Perfeitamente de acordo, não podem ver uma camisa lavada. Cambada. É só bota abaixo. Acho que a nossa comuinicação social está por trás de todas estas intrigas e conversas de “gaja”. Assim não dá.

  5. Ricardo Santos Pinto says:

    E em relação ao Sócrates, também, Francisco? Ou só funciona para o Portas?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.