As caravanas dão votos?

Por acaso, alguma força política acredita que obtém votos por fazer caravanas de apoiantes? Os iluminados que em muitos concelhos promovem essas paradas antiquadas parecem achar que sim. Pode ser defeito meu, mas eu acho que não.

Não estou a ver um eleitor, mesmo que indeciso, fazer uma opção de voto pelo carro alegórico melhor decorado, pelo hino eleitoral com sonoridade mais agradável ou, apenas, pelo número de carros que compõem o cortejo.

Além de poluição sonora deveras desagradável, o que por si só deveria implicar um ‘cartão amarelo’ gigante nas urnas, as procissões políticas transformam-se numa perda de tempo para que tem de amargar atrás dos carros e motos que apoiam e transportam o andor, isto é, o candidato, que vai acenando ao povo à espera de benesses eleitorais na hora de colocar a cruzinha.

Mas lá regressa a questão: será que uma caravana deste tipo equivale a um só voto ganho? As forças políticas acham que por fazer este tipo de acção de campanha convencem alguém? Terão assim tão fraca conta do povo? Acharão que são os eleitores tão estúpidos que vão decidir o voto por uma alegada demonstração de força ao percorrer diversas ruas fazendo barulho? É a isto que chamam o debate de ideias?

Comments

  1. Carla Romualdo says:

    Mas não te parece que as tuas palavras poderiam aplicar-se à maioria (vá lá, para não dizer todas) das acções de campanha? Só se fazem para que a comunicação social as noticie e assim se chegue a mais gente.

  2. Luis Moreira says:

    Debate de ideias, não! Mas quem não aparece,esquece! Por aí,sim!


  3. Sim, aplicam-se à maioria das acções de campanha. Embora ache que as caravanas, por não haver sequer um contacto mínimo com os eleitores, são sobretudo inócuas no que à captação de votos diz respeito. E o curioso é que a maioria da comunicação social não liga a ‘caravanas’, por faltar esse contacto com os eleitores.


  4. […] seguimento do Post anterior do José Freitas, avanço com uma dúvida (certeza?) que tenho há muito tempo: As arruadas dão […]

  5. maria monteiro says:

    Nos casamentos e baptizados contabilizam-se prendas, nos funerais contabilizam-se lágrimas (mesmo que sejam de crocodilo), nas campanhas políticas contabilizam-se… carrosos votos contabilizam-se … nas sondagens


  6. Concordo…mas…a verdade é que, quando grandes, dão ideia de uma dinâmica de vitória que, por vezes, é necessária.


  7. Outro exemplo, caro Zé, hoje participei numa, daquelas grandes, tipo gigantescas (falavam em 1200 carros!!!) e a verdade é que vi o povo a sair à rua, a pendurar-se nas janelas, a gritar por uma bandeira/caneta/t-shirt. Vi isso, como vi a raiva de alguns que ficaram presos na mega confusão de trânsito mas…a maioria, essa, veio à rua, à janela, acenar e pedir um brinde.Provavelmente, como este é o povo que temos, temos pois de ter caravanas…

Deixar uma resposta