Blasfémias: A Morte Anunciada…

Primeiro foi o Mata-mouros, depois foi o Blasfémias, as minhas referências em termos de blogosfera.

O Blasfémias, com mérito e inteligência chegou a blogue nacional de política mais lido em Portugal e, julgo eu, assim continua. Porém, está muito diferente.

O actual blasfémias é uma sombra daquele que eu me habituei a ler diariamente. Nos últimos meses está fraco, muito fraco. As caixas de comentários estão um verdadeiro nojo com uma imensa multidão a despejar ódio e ressentimento, em especial contra o CAA, a alma do Blasfémias. Eu tenho um grande respeito pelo Gabriel Silva, pela Helena Matos, pelo JCD, pelo Pedro F., entre outros blasfemos e uma profunda amizade pelo CAA mas o actual blasfémias é uma sombra daquele que foi o meu blogue preferido. Hoje prefiro ler o Delito de Opinião, por exemplo.

Sinceramente, com semelhante mau ambiente naquelas caixas de comentários e com a nítida redução de postas diárias, é preferível fechar e partir para outra, por muito que custe. Se o Pedro Arroja foi um erro de casting e o João Miranda um imenso bocejo, a actual situação das caixas de comentários do Blasfémias é a antecipação de algo que já se tornou nítido para todos excepto, talvez, para os blasfemos: o Blasfémias, o nosso Blasfémias, morreu. RIP.

Comments

  1. António Cunha says:

    Concordo com tudo.


  2. […] falta de solidariedade no blasfémias é uma realidade que devia envergonhar quem lá escreve e que ESTA minha posta sobre o fim do Blasfémias é cada vez mais […]


  3. Concordo contigo, Fernando. Embora preferisse não concordar.

Deixar uma resposta