A Suíça é uma mentira

Um dos mais falsos neutrais países do mundo voltou hoje a mostrar a sua verdadeira face, impregnada de uma cínica xenofobia.

A Suíça é uma daquelas coisas estranhas que prefere nunca tomar posição, mas tomando-a sempre. Seja sob a capa do implacável negócio, onde o dinheiro é que mais ordena, seja sob a capa de uma qualquer igualdade. Como no caso dos minaretes.

A Suíça é uma mentira.

Comments


  1. Numa perspectiva mais abrangente não sei se o Ocidente não tem o direito de manter as chaves mestras da sua cultura. A verdade é que lá, nos países muçulmanos, nem pensar em “tocar os sinos a chamar os fiéis…”

  2. O Sá-é-o-Maior says:

    100 por cento de acordo..por isso sempre sobreviveram a tudo e nÔS nao!.. dal

  3. maria monteiro says:

    A Suíça como país neutral (será?) deveria ser capaz de saber viver em união de facto com as diferentes religiões

  4. Carlos Ferreira says:

    [Error: Irreparable invalid markup (‘<p […] <a>’) in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]<P class=incorrect name="incorrect" <a>Sr</A> José Freitas,</P> O Sr deve estar a falar por ignorância. Tomára nós aqui em Portugal termos uma democracia tão boa como na Suiça, onde as coisas funcionam, não são perfeitas mas comparadamente com Portugal !!!!. E acho muito bem esta decisão do povo, somos europeus e temos de defender a europa. Até acho que já temso gente a mais de outros continentes (África, Ásioa, Muçulmanos), que não fazem cá falta nenhuma. Se o Sr é um nostalgico desses continentes, vá viver para lá que não precisamos de pessoas como o Sr na nossa boa velha Europa. É graças a pessoas como o Sr que temos um aumento tremendo da violência urbana nas grandes capitais europeias, coisa que não se via há uns bons 20 anos atrás. E quanto à gestão dos capitais financeiros, tamáramos nós ter o dinheiro que têm os suiços, mesmo se este vem da droga ou de outra coisa qualquer, porque segundo o que eu sei, o dinheiro não tem cheiro, mas como nós já não sabemos gerir o nosso dinheiro, então como gerir o dinheiro dos outros. Sabe, na Suiça casos como o BPN ou o BPP já estariam resolvidos há séculos e todos os clientes já teriam reavido as suas poupanças. A bom entendedor.

  5. nuno granja says:

    assino por baixo…estou a tentar lembrar-me da data do referendo na Arábia Saudita que aprovou as chibatadas aos criados filipinos que sejam apanhados a professar a sua fétambém nãoi me lembro do referendo que aprovou a proibição dos infieis entrarem em Meca facto recordado a todos via aviso na estrada

  6. maria monteiro says:

    com o recente exemplo de Polanski na Suíça pois certamente que todos processos de pedofilia, casa pia, maus tratos, violência doméstica… estariam já devidamente resolvidos

  7. Carlos Ferreira says:

    Pois minha Senhora, não confunda os casos, o caso Polanski tem mais de 30 anos e a vitima já pediu o seu arquivamento. Daí a comparar a justiça portuguesa com a suiça é uma coisa que a Sra não pode comparar pois está na total ignorância sobre como a justiça é feita na Suiça, uma coisa é certissima, é 1000 vezes melhor do que esta aqui do terceiro mundo, e sobretudo, o s culpado são sempre condenados a grandes penas de prisão. E aqui quantos culpados vão ser acusados dos crimes indiciados, nenhum pode ter a certeza, A pequena diferença está ai, por isso é que a Suiça é um país extremamente rico e que Portugal é um país extremamente pobre. De uma vez por todas nós portugueses temos de saber o que queremos, um país rico e próspero ou então continuar como de há 35 anos para cá, é só isto que pergunto.

  8. Carlos Ferreira says:

    Ah, e já agora esqueci-me de dizer, fui para a Suiça quando tinha 14 anos, vivi naquele explêndido país até aos 31 anos, depois vivi 5 anos em França antes de voltar a Portugal, por isso penso estar numa posição de conhecimento em relação a esses países, coisa que muitos portugueses só conhecem por noticías completamente disparatadas dos jornalistas portugueses cheios de dores de cotovelo de não termos um Portugal à altura da Suiça.


  9. Eu não acredito nada no multiculturalismo, acho que quem vem para a Europa deve viver segundo a cultura e as leis da Europa. E uma coisa me parece certa. Aai haver sempre uma cultura preponderante num dado território. É melhor que seja a nossa

  10. Carlos Ferreira says:

    100% de acordo consigo, é só ver o que se passa com os africanos em Portugal, eu nunca os considerarei como povo amigo pois tive 2 membros da minha família que estiveram no ultramar e foram feridos, ligeiramente graças a deus, e agora vêm para aqui impor-me essa gente, nunca na vida, são pretos ponto final. E mais grave é que os portugueses ainda não se aperceberam que aos poucos eles vão tentando dominar-nos, comigo só por cima do meu cadáver, se for necessário tomar de novo as armas para os expulsarmos de Portugal, serei o primeiro na linha da frente


  11. Se as pessoas vêm para cá para se livrarem da miséria na sua terra, não podem querer impor-nos os principios de que estão a fugir. Isto parece-me uma questão de bom senso. Mas como já ouvi, publicamente, numa reunião, defender-se que os atentados de Inglaterra e Espanha, eram actos heroícos e que o único crime tinha sido o do polícia, que inadvertidamente, matou um jovem brasileiro, já espero tudo…

  12. Carlos Ferreira says:

    Daí a minha revolta para com as democracias europeias que vêm em primeiro o proveito financeiro e depois o proveito dos povos. Tentam impôr-nos culturas completamente diferentes com a desculpa que temos de os aceitar pois são uns coitadinhos que fogem à guerra. Mas quem criou essas guerras ?. Pois a minha visão vai mais longe e eu digo que se não fossem os interesses destas economias europeias em fazerem negócio com esses países e não nos impunham nada.

  13. maria monteiro says:

    Pois também não falo propriamente por ignorância porque conheço a Suíça de três maneiras: como turista; porque os três filhos do nosso rendeiro foram trabalhar e viver para a Suíça, agora já com filhos adultos e netos continuam a ser visita de todos os anos de nossa casa onde vamos pondo a “escrita em dia”; porque o pai do meu filho, sendo médico, passa algumas temporadas na Suíça a tratar de pernas, cabeças partidas…. enfim conhecimento dum país neutro visto e sentido por muitos olhos que não só os meus

  14. graça pimentel says:

    José Freitas, concordo em absoluto consigo e o que me desgosta e me deixa verdadeiramente preplexa são as opiniões dos comentadores (masculinos, presumo pelos nomes) anteriores, marcadas pela intolerância e falta de respeito para com seres humanos que, na maioria dos casos, se encontram em situações desprotegidas como tal propícias a uma forte exploração e desumanização, tal como os emigrantes portugueses, no final do século XIX para o Brasil e sobretudo durante as décadas de 60 e 70 do séc. XX para a Europa (França, Alemanha, Luxemburgo e Suiça, destinos preferenciais) ou mais recentemente, já em pleno séc. XXI, em Espanha e na Holanda. Lamentavelmente ao fim de 35 anos, verifica-se, pelo menos no caso dos comentadores em questão, que falta cumprir-se ABRIL

  15. Carlos Ferreira says:

    Sendo assim, não compreendo como se pode ter opiniões tão disparatadas daquele país, é preciso dizer que eu já saí de lá há 16 anos, mas ainda hoje estou totalmente arrependido, se puder voltar para lá, vai ser com o maior prazer pois aqui em Portugal não há futuro e sobretudo, ninguém faz nada para melhorar este país. Mas uma coisa que é genial na Suiça e que deveria também existir cá em Portugal é o sistema de democracia directa, onde o povo é rei e senhor de querer o que bem lhe apetece. Talvez com este sistema não haveria tanta corrupção e negligência em Portugal.

  16. Carlos Ferreira says:

    Minha Senhora, vivi 22 anos em países europeus e nunca fui discriminado por ninguém, agora que voltei a Portugal há 10 anos, aqui sim fui discriminado pelos da minha própria raça. E quanto aos comentários, só lhe peço que abra os olhos do que vai à sua volta, e vai ver que eles são mujito bem feitos e sobretudo muito realistas, porque quando a obrigarem a andar de burqua vestida depois irá chorar para a TVI no jornal de sexta-feira, ah já me esquecia, já não existe.


  17. E há interesses demográficos, gente que trabalha mais barato, que aceita trabalhos em más condições. Estou consigo, não parece ser uma boa troca. Tratá-los bem quando são necessários e temos trabalho para eles, tudo bem. Mas não parece que os principios das sociedades Ocidentais sejam matéria de troca.


  18. Graça, nada disso. O que eu digo é que devem ser tratados como pessoas, com as mesmas condições dos nativos, direitos e deveres, não podem é impor a sua (deles) cultura, sistema político, religião. São coisas totalmente diferentes. E olhe que os muçulmanos têm uma visão histórica de impor a sua religião ao resto do mundo. Vem no Corão…

  19. Carlos Ferreira says:

    Finalmente alguém de sensato, e que vê as coisas como elas estão e como deverão ser tratadas. Atenção, não se trata de racismo porque somos todos humanos e temos todos o direito de viver e prosperar, mas porquê não ir ensinar essa gente a evoluir nos seus países ou continentes de origem, em vez de os fazer vir para cá onde não têm nem a mesma cultura nem o mesmo ritmo de trabalho, eu acho que são mais um fardo para as sociedades europeias do que uma vantagem, porque se reparar bem, a nivel de consumismo não valem nada, porque estão de tal maneira agarrados à sua cultura que a única coisa que lhes interessa aqui é o seu ordenadeco mensal.

  20. Carlos Ferreira says:

    E não me venham cá dizer o contrário, um negro vê e verá sempre o portuguÊs como o colonizador e o escravagista, por isso eles teram sempre um ódio muito grande para connosco, só os nossos plíticos e alguns iluminados que andam por ai é que tentam impingir-nos o contrário, pensam que somos todos estupidos.

  21. maria monteiro says:

    mas Luís e o que é que os católicos andam a fazer com a sua evangelização, com as suas missões em Africa….?

  22. maria monteiro says:

    tal como os brancos foram um fardo para as sociedades africanas, asiáticas…

  23. Carlos Ferreira says:

    Mais uma vez está muito enganada, pois nós os brancos fomos para esses continentes numa de descoberta, e levámos connosco muito conhecimento e tentámos fazer evoluír esses povos, coisa que estes sempre recusaram e hoje vesse o que se vê, com a cumplicidade dos nossos governos e de muitos iluminados que andam por ai, e talvez quando nos apercebermos já será bastante tarde e deveremos se calhar pegar outra vez nas armas para os expulsar. Só digo uma coisa, vejam a história, não me está apetecer nada ter que levar com os árabes mais 600 anos.

  24. graça pimentel says:

    Caro sr. Quer levantar-se em armas para correr com os «pretos» e, será o primeiro a fazê-lo, segundo diz, quando afinal é descrimanado pelos da sua própria «raça»? Desculpe que lhe diga, mas vai uma grande confusão nessa sua cabeça. É fácil espalhar o pânico e o ódio entre as pessoas, a culpa é sempre do outro, seja ele quem fôr. O papão aparece nas vossas opiniões, transformado em preto ou em muçulmano que virão (esquecem-se que sempre estiveram cá, o primeiro como escravo, conquista dos descobrimentos, o segundo, de livre, nestes territórios, passou a escravo, ou perto disso, com a designada (mal) reconquista cristã) para nos atacar a todos e, sobretudo a nós mulheres, seres, também nas vossas cabeças mais frágeis, ao não termos os nossos valentes lusos para nos protegerem, seremos de imediato «encerradas» em burcas (e não burqua). Não são as burcas que nos «encerram» mas sim as práticas e ideias de pessoas (também coincidentemente, maioritariamente masculinas) que o fazem.

  25. Anónimo says:

    Meu caro sr. A questão não está no Alcorão ou na Biblia, mas sim nas interpretações que são feitas aos chamados livros sagrados e consequente nas leis e práticas que, directa ou indirectamente, são produzidas em nome de, como se de verdades absolutas e inquestionáveis se tratassem. Já imaginou o país sem o colorido das várias culturas que se cruzam diariamente? Pois é, volta-se ao 24 de Abril de 74. Todos enriquecemos, enquanto pessoas, se nos deixarmos cruzar com essa grande heterogeneidade que hoje, felizmente, existe em grande parte do país.

  26. graça pimentel says:

    Peço desculpa, o comentário anterior é meu, esqueci-me de colocar o nome. Acontece

  27. maria monteiro says:

    Se já festejamos em tantos pontos do país a cultura árabe, a cultura africana, a cultura indiana…

  28. luispt84 says:

    Não compreendo esta discução toda. O Carlos diz que já viveu na Suiça e conhece a realidade lá. Eu já vivi com 3 raparigas africanas (todas catolicas) e nunca tive problema nenhum. Eram pessoas normais e se calhar mais cosmopolitas que o senhor. Vivi depois com 3 arabes (de países diferentes) e nunca me tentaram impingir a religião deles. Discutiamos sobre religião por vezes, mas nunca me disseram que eu me deveria tornar muçulmano. Eu sempre lhes mostrei que apesar de ter tido uma educação católica, não ligo a nenhuma religião e isso não afectou a AMIZADE que tenho por eles e eles por mim. Para não dizer que as tais raparigas católicas com que eu vivi, também eram amigas chegadas desses rapazes, e nunca ninguém sentiu a sua identidade ameaçada. É óbvio que isto não foi em Portugal ou em França, onde as pessoas são extremamente racistas. Foi no Reino Unido (Londres), onde as pessoas são, de facto, protegidas contra descriminação.Não digo que não haja fundamentalismos, mas isso há em todas as culturas.E quantos aos minaretes… Não me afectam de todo, não tenciono lá entrar enfim…Só para acrescentar: Uma coisa que eu tenho reparado, muitas pessoas que são árabes ou africanas que nasceram e cresceram em França, nunca se sentiram francesas e muitas delas, emigram para o Reino Unido. Já pensou porquê? Porque aqui, não são descriminados pela sua identidade cultural ou pela sua nacionalidade. E muitos dizem, em França eu não eram felizes e nunca se sentiram integrados, ao contrário do Reino Unido. Pense porquê.


  29. Os muçulmanos residentes na Suiça são sobretudo proventientes da Bósnia, do Kosovo e da Turquia. Quer mudar as fronteiras da Europa para fazer vingar a sua tese, ou admite que a ignorância é sua?


  30. Ó Carlos Ferreira, fomos numa de descoberta? De descoberta do caminho marítimo para o massacre, o roubo e a escravidão?Se você visse a História como ela foi talvez soubesse que a probabilidade de ter ascendência norte-africana é bastante elevada.


  31. Para quem diz que “tamáramos nós ter o dinheiro que têm os suiços, mesmo se este vem da droga ou de outra coisa qualquer, porque segundo o que eu sei, o dinheiro não tem cheiro”, é estranho dizer depois que na Suíça “casos como o BPN ou o BPP já estariam resolvidos há séculos”. Pela sua óptica, estes casos não seriam resolvidos nunca. Aliás, na Suíça, caso com bancos e dinheiros quase nunca são resolvidos.Quanto à nostalgia: sou Europeu com gosto e por isso apreciador de um intercâmbio de cultura, de matriz tolerante e de convivência serena. Não gosto de intolerantes, seja de que religião forem.

  32. O Sá-é-o-Maior says:

    Bem, nem vale a pena eu dizer qual a minha opinião sobra uma boa percentagem dos árabes e da cultura árabe..valha a comida, a música e a beleza física ..e já não é pouco… MAS PORQUE JÁ HÁ ALI ACIMA JÁ DEMASIADO BARULHO EU VOU ANTES POR AQUI: POR MIM VENHAM A MIM TODOS OS POVOS ÁRABES MUÇULMANOS PORTUGUESES INGLESES FILIPINOS (NAO AQUI NAO) NEGROS PALESTINIANOS JUDEUS..NÃO SOU RACISTA!!!!!!

  33. Carlos Ferreira says:

    Pois é Sr José Freitas é graças a pessoas “tolerantes” como o Sr que em Portugal neste momento é um perigo saír à rua a partir de uma certa hora do dia, onde a taxa de criminalidade violenta subiu de uma forma nunca vista. Eu acho que a tolerância existente está a ficar muito intolerante. Quanto aos casos que citei no comentário, pois meu caro, se fosse na Suiça os culpados já estavam à que tempos na prisão a cumprir uma longa pena e todos os clientes já tinham reavido as suas poupanças e não precisavam de andar a fazer greves de fome às portas de uma agência, actos que são dignos de um país do terceiro mundo como é Portugal. Acho que os portugueses não conhecem lá muito bem o sentido da palavra “democracia”, acho que eles a confundem com a palavra baldocracia “, porque é o que temos neste país. Mais me dá razão quando diz que os muçulmanos da Suiça são do Kosovo e companhia, claro isso eu sei, ainda por cima são refugiados de guerra que tiveram a sorte de serem acolhidos pelo país  que como vocês adoram dizer “abriu a porta aos nazis”, mas isso também tem um sentido de explicação. Quanto aos refugiados eles deveriam estar contentes de ter um porto de abrigo e sobretudo, deveriam integrar-se ao máximo na sociedade suiça e não viverem em guetos, e sobretudo andarem pelo país a semear terror com assaltos violentos e violência gratuita. Eu acho incrivel como as pessoas vêm estes imigrantes que vêm de culturas completamente diferentes das nossas chegarem aqui e tentarem impôr a deles, e não reagem, até acham interessante misturar as culturas. NÃO Sr José Freitas, eu sou europeu, os meus antepassados passaram muito para construir um continente europeu com prosperidade, paz e avanço tecnologico não é para esta gente chegar agora, invadir e aproveitar-se de tudo, se quiserem ajuda, fiquem lá no país deles que nós vamos-lhes explicar como é que funciona e como eles devem evoluír no tempo, não é com a emigração massiva que vamos resolver o problema, e garanto.lhe que não sou racista bem pelo contrário, mas cada coisa no seu sitio. NÃO SOU OBRIGADO A LEVAR COM MAUS CHEIROS DENTRO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS E O MAU CHEIRO DA COMIDA DELES, e sobretudo andam sempre a criticar o nosso modo de vida, se não estão contentes voltam para a terra deles ponto final.

  34. Árabes só mesmo nas partes de baixo says:

    Oh amigo Carlos você está mesmo assanhado contra os pobres e inofensivos muçulmaos e árabes!!!!! Olhe que ao menos a comida deles é boa!!!!! maria dos tubos


  35. São todos muito tolerantes e boa gente, mas o que me trás aqui não é o que estão a discutir. O que eu digo é que os principios em que assenta a cultura e o Estado de Direito Ocidentais não deve ser posto em causa por quem vem para cá trabalhar.Vejam o caso dos minaretes. Eles podem erguer minaretes e as raparigas andar de lenço muçulmano na cabeça, mas o crucifixo não pode estar nas escolas!!! O que é isto? eu que discrimino?

  36. O Luis é o maior, ah grande cabeça! says:

    LUIS DISSESTE TUDO AGORA, AH GRANDE HOMEM GRANDE CABEÇA..NEM É PRECISO DIZER MAIS NADA! dalby

  37. o mais bem educado e meigo do clube says:

    Oh Luis sabe o que é? Como se chama a esses/essas que atacam o crucifixo nas salas de aula mas nao os mineretes etc etc ? COBARDES! NÃO OS TÊEM NO SITIO! TÊM MUITA LETRA MAS GOSTAVA DE OS /AS VER A DEFENDER CAUSAS NESSES PAÍSES! OU PROVAVELMENTE PORQUE LÁ EM CASA MANDAM ELAS NOS CONINHAS!!! E PIOR..É O MESMO ESTILO DE FILOSOFIA DO PS…BATEM NOS PROFS BATEM NOS TRABALHADORES,,,,MAS QUEM POE O DEDO NOS MENININHOS??!! ISSO É QUE ERA BOM! NAAAA QUE ELES TÊEM MEDO  DOS MENINOS que estes NAO LHES DEVEM NADA E PARTEM TUDO SE PRECISO FORQUE NAO VAO PRESOS..UMA CAMBADA GLOBAL TOTAL DE COBARDES É O QUE ESSE CIRCO É!! TODO COBARDES COBARDES! DAL


  38. O Carlos verá sempre um negro como um negro, eu vejo um negro como um humano. É aí que está a diferença.


  39. «São pretos e ponto final». Penso que está tudo dito com este comentário. Viveu muitos anos na Suíça, Carlos Ferreira, mas pelos vistos não foi suficiente para ter alguma abertura de espírito, educação e civismo. É tão trsite a Suíça proibir a construção de minaretes como o Reino Unido ter «ajeitado» os curriculuns escolares à medida dos muçulmanos. Claro que os povos que vêm do exterior têm de se adaptar e de respeitar a cultura do país que habitam. Mas também é verdade que o povo receptor deve respeitar e permitir todas as outras culturas.


  40. É claro que não estão em causa as pessoas, o que está em causa é a adulteração dos costumes e principios da terra que acolhe. Isso de dizer que somos muito amigos, porra, somos todos, apropriam-se da bondade como a Igreja se apropria de Deus. Não foi aqui que se afirmou que os crucifixos deveriam sair das escolas a bem da igualdade religiosa? Andamos aos tiros nos próprios pés? A liberdade é demasiado preciosa para ter aí uns loucos à procura de 11 virgens…

  41. Finalmente posso morrer feliz! says:

    Depois de ter lido os comments do Mr Carlos «são pretos», e dos do ‘compagnon de route’ Luis Minarete posso partir descansado, pois finalmente ENCONTREI UM POISO E DESCANSO PARA O meu caro LM (NÃO CONFUNDIR COM OS CHARUTOS)! «LUIS E CARLOS EU DECLARO-VOS MAN TO MAN (NÃO CONFUNDIR COM O MAN HUNT!) POIS DE REPENTE FEZ-SE LUZ! NUNCA VI DOIS HOMENS A CONCORDAREM UM COM O OUTRO TÃO BEM! e de repente! E ..DE REPENTE..AH FEZ-SE LUZ..!AQUI ESTÁ , PARA SÓCRATES VER, A 1ª UNIÃO HETERO IDEAL PARA HOMO VER E IMITAR NO FUTURO CASAMENTO GAY! LUIS E CARLOS , CARLOS E LUIS, E O RESTO SÃO PRETOS! JEJEJEJEJEJEJEJ ABRAÇO Viva a Suiça mas também viva a savana que é quente quente quente…. Imperador de Rio Tinto

  42. fredo says:

    bem dou total razao ao sr carlos que viveu na suica eu tambem vivo na noruega ja vivi na holanda e em todo lado é a mesmo coisa.nao percebo 1 coisa com tantas religoes no mundo nenhuma se mostrou mais problemactica violenta que a muculmana.todos os países muculmanos sao extramamente sub-desenvolvidos…e mais deixo aki 1 video que recomendo a toda a gente ver antes de opinar sobre os muculmanos.1 video k retrata como os cristao sao tratados no Egypto http://vodpod.com/watch/546711-unreported-world-egypts-rubbish-people (http://vodpod.com/watch/546711-unreported-world-egypts-rubbish-people) depois de verem o video manda as vossas wise opinions pro blog.ultima coisa sr carlos que viveu na suica eu subscrevo o que disse e dou importancia porque o sr ja viveu na suica enquanto a maioria dos ilumindados deste blog se for preciso nunca lá estiveram.e mais respeitem a decisao de 1 povo é a democracia no seu esplendor


  43. Caro Fredo,Respeito a opinião do povo suíço, mesmo que não goste dela. Afinal, todos os quatro (4!) minaretes estariam a fazer confusão a um povo tradicionalmente intolerante e que nem uma festa em casa do vizinho autoriza.Claro que, infelizmente, há muitos muçulmanos violentos, como os há noutras religiões. Claro que levar à letra o Corão é tão estúpido como levar a Bíblia à letra. Cumprimentos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.