Sócrates faz parte do problema

Hoje no Público, Vasco Pulido Valente, vem dizer o que aqui há bastante tempo, venho dizendo. As coisas para o país seriam bem mais fáceis sem Sócrates!

 

Com o PS mas sem Sócrates, seria possível encontrar áreas de concordância, convergências, entendimentos que não são possíveis hoje e que ajudariam e muito na governação. Sócrates tem inimigos, pessoas que não lhe perdoam quatro anos de governo de "quero, posso e mando" e a quem tratou mal .

 

Ninguem quer partilhar com Sócrates esta situação miserável, a caminhar para a bancarrota e muito menos a continuar políticas que se revelaram desastrosas como mostram os resultados.

 

Depois, as suspeitas em que se envolve ou em que o envolvem, minam a credibilidade e a capacidade de resolver problemas, arrastam consigo a credibilidades de outras figuras do Estado, como é esta patética " revelo, não revelo" que o PGR protagoniza.

 

Obrigado a recuar em políticas que há seis meses eram intocáveis, e por fraqueza, não por vontade própria, vai rapidamente perder a iniciativa política e daí à paralisia, vai um passo.

 

Quiz governar pela propaganda e para isso arranjou multiplos combates com a comunicação social, tentando amansá-la, no que resultou casos atrás de casos,  espremidos até ao absurdo, no meio de uma situação económica dramática.

 

Em democracia é possível enganar muitos durante algum tempo!