Eucalipto "globulus"

O “globulus”, é para dar uma certa ideia de ciência, mas o que é certo é que é a espécie de eucalipto que nós temos cá e a que é mais utilizada na indústria do papel.Tem uma particularidade tramada, é que “bebe” tudo o que encontra ali à volta, seca tudo, não há lugar para mais vida.

Nos anos 70 plantou-se esta árvore em tudo o que era terreno para fazer face à indústria que então crescia no país. É uma actividade económica muito importante em conjunto com o Pinho que também é matéria prima para a mesma indústria. Dizem os entendidos que esta indústria foi “empurrada” dos países mais ricos por causa da tremenda poluição que causa, não só destruindo os terrenos , ao nível do plantio, mas tambem ao nível do ar e dos rios com a poluição produzida pelas fábricas.

Conhecidos os perigos, o plantio foi-se “circundando” aos terrenos onde mais nada se produz não se evitando, contudo, que algumas manchas persistam em terrenos férteis.

Comments

  1. maria monteiro says:

    às vezes a quinta estação (a dos incêndios) dá conta dos eucaliptos «globulus»….Se não resultar, e como são naturais da Austrália, faz-se o convite para regressarem à sua terra natal.

  2. mjrijo says:

    É verdade que os eucaliptos secam a terra. É verdade que foram-se os nossos pinhais para passarmos a ter uma paisagem de eucaliptos, mas vejamos: Nessa época, como agora, o que se via era incêncios anuais que faziam prejuízos enormes, tanto materiais como ceifaram muitas vidas humanas. A Alternativa de muitos agricultores foi arrendar os seus terrenos às empresas de celulose, e estas sim, a bem da verdade, sempre olhavam pelos “seus” eucaliptos.
    Agora, Maria Monteiro, o que me chocou na sua intervenção, foi aludir a incêncios, para acabar comos eucaliptos. Isso é crime, e um crime sem perdão. Há vidas que se perdem; todos os anos os bombeiros lutam meses a fio contra esses malditos incendiários. E quando os apanham, no dia seguinte estão na rua. Existem mínimos não é?

  3. maria monteiro says:

    ora aí é que está, os eucaliptos e os incêndios dão muito dinheiro a ganhar… com tantos hectares ardidos anualmente espanta-me como é que ainda existe alguma coisa para arder.
    Claro que quem se trama são sempre os bombeiros ou quem é apanhado pelo fogo descontrolado

  4. mjrijo says:

    Os incêndios tanto nos eucaliptos como em piunhais e soutos, dão muito dinheiro a ganhar. Nunca duvideu que havia grandes interesses por parte desses fogos postos… mas eu vivi “in loco” vários desses incêncios. Não sei se vive na cidade ou na aldeia, se já vivenciou essas situações, mas são aterrorizadoras. E foi por isso que comentei o que disse. Penso que em incêncios, e incêncios ser solução para o que quer que seja… nem a brincar se diz.

  5. maria monteiro says:

    já vi o Parque Natural da Serra de S.Mamede a arder (fogo posto, lixo, matagal… tudo serviu para se instalar o inferno)

    Quando falo de incêndios e da quinta estação do ano não estou a brincar… assim como há a época balnear (onde muita gente continua a pôr em risco a vida dos nadadores salvadores), a época das férias (onde muita gente, na estrada, continua a pôr em risco as suas vidas e a dos outros), a época dos incêndios (onde muita gente resolve o saldo da sua conta bancária sem olhar aos prejuízos materiais e físicos dos outros) mas para o desgoverno (qual eucaliptal) não há época, todos somos tratados abaixo de cão e já nem reagimos… a nossa vida vai secando num presente sem futuro.

  6. mjrijo says:

    Nisso estamos totalmente de acordo

  7. cy goes says:

    Sobre o eucaliptal já vai para 2 anos fiquei em choque quando numa vindima familiar, no cimo de um monte, nas serras de Chaves (concelho) encontrei o dito cujo.
    Por que não carvalhos, amieiros ou outra qualquer plantação nativa?
    Até junto a uma das saídas da A24 no mesmo concelho… Exemplo de destruição da flora e fauna da região. E do país.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.