A cidade de Ceuta é espanhola?


Sim, é.
Vejam aqui. E aprendam alguma coisa com esta casa de má fama.

Comments

  1. A. Pedro says:

    Não percebo o alcance do teu post, Ricardo. “Tecnicamente”, pese alguma contestação marroquina, Ceuta é um enclave espanhol, como Gibraltar é um enclave britânico e Macau era um enclave português até há pouco tempo (chamava-se, se a memória não falha, território sob administração portuguesa, o que vai dar no mesmo). Acontece que os espanhóis não gostam da situação de Gibraltar, os marroquinos não gostam da situação de Ceuta e Melilha e (já agora) os sarauís não gostam da situação do Sahara Ocidental.
    Acontece que esta última é a única que prefigura uma ocupação e uma realidade verdadeiramente colonial, sem justificação nem peso histórico, equiparada à ocupação de Timor Leste pela Indonésia.

    O que achei espantoso, clicando no teu link, foi o escudo de Ceuta. Será mesmo esse o actual?

  2. Ricardo Santos Pinto says:

    O alcance do meu post? Nada do que parece que estás a pensar. Apenas isto: poucos sabem que Ceuta não é efectivamente uma cidade marroquina. E sei-o por motivos profissionais, embora a canalhada não seja exemplo para nada.
    E mais: só me lembrei disto porque hoje o Ceuta vai jogar contra o Barcelona para a Taça de Espanha. E é treinado por um português.


  3. Este post é como a Russia aos olhos de Churchill: It is a riddle, wrapped in a mystery, inside an enigma; 🙂

  4. rafael says:

    Viva – correcto seria dizer que Ceuta é um enclave marroquino, exclave de Espanha. E assim por diante que o uso da palavra enclave segue incorrecto em todos os meios.

  5. Manuel Silva says:

    Donde se infere que Gibraltar é uma cidade inglesa!

  6. Frederico Mendes Paula says:

    Caro Ricardo
    Ao ler o teu post (ou do link a que dele se tem acesso) fiquei confuso e pensei _ será que ele quer dizer que Sebta é portuguesa? Fiquei ainda mais confuso quando comentas que “Ceuta não é efectivamente uma cidade marroquina”. Pois eu posso garantir-te que Sebta é uma cidade do Reino de Marrocos ocupada pelos espanhois. Por enquanto, porque a história mostra que o colonialismo tem sempre um fim. Foi conquistada aos marroquinos pelos portugueses em 1415, que a perdem para os espanhois após a batalha de Alcácer-Quibir em 1578. Após a restauração Portugal nunca mais a recuperará e reconhece a soberania espanhola sobre a cidade em 1668.
    Pedro _ os 163 anos de domínio português deixaram lá marcas, como atesta o link que o Ricardo colocou. Uma delas são as armas da cidade.

  7. joão Nunes says:

    Ceuta é efectivamente uma cidade de Espanha, por si e pela vontade dos seus habitantes. Se não tivesse sido assim, já era Marroquina e miserável, como tudo o que abandonámos.
    A História dos Povos não é o que se quer, é o que é.
    Nenhum cidadão de Ceuta ou de Melilla, quer deixar de ser Espanhol.
    O respeito que se demonstra ao manter o Brazão original, é mais uma prova do respeito que não temos, mas felizmente outros cultivam.

  8. A. Pedro says:

    João Nunes, à primeira parte do seu comentário não respondo porque nem sequer vale a pena.
    Quanto à última “O respeito que se demonstra ao manter o Brazão original, é mais uma prova do respeito que não temos, mas felizmente outros cultivam” tome lá um exemplo desse respeitinho que os outros cultivam: “Español: Escudo de la ciudad de Olivenza (Badajoz- España) versión basada en la representación gráfica oficial adjunta en el anexo 1 del DOE con corona mural y sin coronar el olivo. El escudo de Olivenza según el DOE tiene el siguiente blasón:De gules, una torre detrás de un lienzo de muralla, todo de oro; de entre ambos sale un olivo verde que queda resaltado de la torre, timbrado con la Corona Real española. Al timbre, Corona Real cerrada. Fuente: DOE/24 de Octubre de 2000/Número: 123” http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Escudo_de_Olivenza_%28corona_mural%29.svg

    Falta saber se a bota é que não bate com a perdigota, ou se é a perdigota que não bate com a bota.

  9. joão Nunes says:

    A. Pedro,
    Eu pedi-lhe alguma resposta?

  10. A. Pedro says:

    Certo, João Nunes, não pediu.
    A primeira frase do #8 fica assim: João Nunes, não comento a primeira parte do seu comentário porque nem sequer vale a pena.
    O resto mantenho.
    E, não querendo fazer disto coisa importante, não me venha dizer que não me pediu para comentar, já que ninguém lho pediu também a si.

  11. joão Nunes says:

    A. Pedro,
    O post é seu?

  12. A. Pedro says:

    Não, João Nunes, o post não é meu, você sabe de quem é.
    Mas o Aventar é um blogue livre – nem sequer moderamos os comentários – onde qualquer leitor pode comentar, concordar, discordar, contestar, acrescentar, “comentar comentários”, etc., mantendo urbanidade elementar.
    Jogar ping-pong também se pode, basta que haja dois jogadores. Eu é que não jogo mais.

  13. xico says:

    Frederico Mendes Paula
    Ceuta foi perdida para os espanhóis após Alcácer Quibir? Históricamente e legalmente Portugal nunca foi espanhol e nem Ceuta, durante o domínio filipino. Ceuta não aclamou D. João IV e aí passou para a Espanha.
    Quanto ao colonialismo, não me parece que o contexto seja o mesmo. O colonialismo tem muito a ver com conceitos do século XIX.
    Pois se em Alcácer Quibir fomos em auxílio do rei de Marrocos, deposto, para ajudá-lo a recuperar o trono? E mesmo perdida a batalha, não perdemos Ceuta!
    Ceuta tem o direito de escolher, como Olivença e como Gibraltar.
    E se formos com essa coisa do colonialismo, lembro-lhe que Constantinopla é colónia dos Otomanos há menos tempo que Ceuta dos ibéricos. Vê onde nos leva estas coisas…

  14. Frederico Mendes Paula says:

    Xico _ de facto, após Alcácer Quibir Portugal perdeu a independência (pelo menos foi isso que ouvi dizer) e foi anexado pela coroa espanhola, incluindo as suas praças fortes. após a restauração de 1640 as autoridades de Ceuta nunca mais aceitaram a soberania portuguesa e Portugal preferiu reconhecer a soberania de espanha sobre a cidade do que lutar por ela. quanto ao direito de escolher, não é bem assim. a maioria da população de Ceuta é espanhola, como a maioria dos habitantes de Gibraltar são ingleses (não vá haver um referendo). isso não significa que não seja uma cidade de Marrocos ocupada por Espanha


  15. Quanto ao brasão de Ceuta, creio que tal se deve menos à “tradição” portuguesa, que a uma certa forma de tornear o Tratado de Lisboa (1668. De facto, a Espanha apenas fez apear o escudo nacional das suas armas, após a paz de 1715, comprometendo-se Filipe V a deixar de usá-las, como até aí e sem qualquer direito, tinha feito. Por outro lado, notem a bandeira municipal de Ceuta: é copiada daquela que ondeia – por vezes é apeada 😉 – na varanda da Câmara Municipal de LIsboa. Esta foi instituída nos tempos em que o conde de Lippe foi o comandante-em-chhefe do exército português, tendo o marechal sido inspirado no seu desenho, pelas bandeiras dos regimentos do exército prussiano. Uma cruz negra dos cavaleiros teutónicos, sobre fundo branco. Aliás, cavaleiros destes houve que participaram na tomada de Lisboa aos mouros, daí o pretexto.

    Conhecendo bem o espírito de “desinteresse amistoso” que desde sempre vingou para lá da fronteira, esta é uma forma – o escudo de Ceuta – de ser contornado o direito internacional. De facto e se assim o entendesse, o Parlamento espanhol podia acrescentar este escudo às armas do país. A gente de S. Bento nada diria, tão “iberdrolizada”está!

  16. xico says:

    De facto ficámos espanhóis, mas não de jure.
    Se Ceuta é uma cidade do reino de Marrocos, Constantinopla é o quê? Uma cidade da república grega sob ocupação otomana?

  17. marize says:

    Muito me admira o nível intelectual de vocês portugueses, “irmãos” portugueses…o português(a língua) também é de se admirar,verdade!
    Bem a cerca do assunto em questão fico com a resposta do senhor “rico”(Frederico?)Mendes Paula..Sebta(inclusive foi o único quem escreveu a grafia correta!!!)é uma cidade sim do Reino de Marrocos ocupada pelos espanhóis…Sr. João Nunes por favor , lastimáveis pensamentos…”miserável como tudo que abandonamos”…talvez um pouco de complexo meu por ser de uma terra que outrora foi colônia de Portugal, sou brasileira sim e com muito orgulho…saiba que não somos miseráveis e nem tão pouco os marroquinos o são…Miseráveis estão vocês com um território tão pequeno, uma confusão política, roubalheiras, falidos assim como a Espanha…E na vossa crise(a partir de 2008) o Brasil(e também Marrocos) pouco sentiram esta crise, aliás nem aconteceu em nossos países…Brasil continuou sua produção e geração de novos empregos ao contrário de vocês “europeus” desempregados em massa…e no Marrocos a produção e consumo mantiveram-se em bom nível e inclusive abertura de novas empresas, chegada dos TGVs em Marrocos etc…Graças à Deus Brasil foi “abandonado” por vocês Sr. João Nunes e no Marrocos vocês pouco permaneceram…Bem meu “poturguês” é ruim perdoem-me…sou brasileira!!!

    • claudio battista pinto says:

      Miseráveis, confusão política, roubalheiras, falidos….. ainda bem que não temos esse tipo de problema aqui no Brasil ! Deve ser horrível viver em um país assim, menos mal que, aqui no Brasil, vivemos em um paraíso de prosperidade, sem corrupção, crimes, violência urbana, fome, desigualdade, etc, etc….Além disso, a geração de novos empregos é notável, “só” temos 12 milhões de desempregados, é coisa pouca ! Melhor que o Brasil somente o Marrocos, que é um outro paraíso na face da Terra.

    • claudio battista pinto says:

      Desculpe, eu me enganei ! Na verdade, são 13, 5 milhões de desempregados no Brasil ! País rico é outra coisa !


  18. Valeu !! Marize

    Concordo totalmente contigo !

    Morei 2 anos e meio em Portugal (sou filha de português) e pude conhecer Ceuta, Gibraltar,
    Tetouan, inclusive fiquei “noiva” em Algeciras (Espanha)
    A 1ª vez em 2009, fui a Ceuta e ao Marrocos (Tetouan) e a 2ª vez em setembro/2010 fui a Algeciras e Gibraltar ! Gostei muito destes lugares e tirei muitas fotos !
    Amei Ceuta e Gibraltar ! E Tetouan foi uma viagem inesquecível !
    Pretendo um dia poder voltar por estes lugares com meu novo amor…

    *acabei o meu noivado com o portuga

    • João Rosa says:

      Se não estou equivocado, foram os PORTUGUESES que acharam as TERRAS DE VERA CRUZ e os habitantes eram ÍNDIOS. Para essa senhora BRASILEIRA que me parece anti-Portugal e chamou PORTUGAL e nós portugueses de pequeninos, saiba que o “seu” Brasil é grande foi porque estes “pequeninos” o souberam defender de outro reino, neste caso, a Espanha. Quanto à preocupação dessa senhora sobre a economia pobre de Portugal versus a economia “milionária” do Brasil, cara senhora, o seu Brasil continua muito pobre, eu vi, eu tenho testemunhado nas minhas várias viagens ao “seu Brasil”. Quer esta senhora goste ou não goste o vosso primeiro imperador era português de gema. A língua que os brasileiros falam é o português, por acaso existem algumas diferenças em alguns termos ou até nomes dados a certas coisas, mas isso é natural, pois dentro de um mesmo país existem essas diferenças de terra para terra. Se a senhora acha que não fala português, não é porque a língua oficial do Brasil não seja o português correto! É simplesmente porque a senhora não sabe falar corretamente a língua de Camões. Muito mais há para dizer, mas acho que já falei o suficiente por agora.
      Sou português com muito orgulho, nascido em Guarulhos…BRASIL.

  19. João Rosa says:

    Se não estou equivocado, foram os PORTUGUESES que acharam as TERRAS DE VERA CRUZ e os habitantes eram ÍNDIOS. Para essa senhora BRASILEIRA que me parece anti-Portugal e chamou PORTUGAL e nós portugueses de pequeninos, saiba que o “seu” Brasil é grande foi porque estes “pequeninos” o souberam defender de outro reino, neste caso, a Espanha. Quanto à preocupação dessa senhora sobre a economia pobre de Portugal versus a economia “milionária” do Brasil, cara senhora, o seu Brasil continua muito pobre, eu vi, eu tenho testemunhado nas minhas várias viagens ao “seu Brasil”. Quer esta senhora goste ou não goste o vosso primeiro imperador era português de gema. A língua que os brasileiros falam é o português, por acaso existem algumas diferenças em alguns termos ou até nomes dados a certas coisas, mas isso é natural, pois dentro de um mesmo país existem essas diferenças de terra para terra. Se a senhora acha que não fala português, não é porque a língua oficial do Brasil não seja o português correto! É simplesmente porque a senhora não sabe falar corretamente a língua de Camões. Muito mais há para dizer, mas acho que já falei o suficiente por agora.
    Sou português com muito orgulho, nascido em Guarulhos…BRASIL.

    • claudio battista pinto says:

      Mais uma “ótima” notícia para o milionário Brasil. Segundo a última pesquisa de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano/ONU) estamos entre os 10 países com maior desigualdade de renda. Realmente, nada como viver em um país rico. Melhor, só o Marrocos !

  20. claudio battista pinto says:

    O milionário Brasil ?!?!?
    Essa senhora deve estra brincando !
    O Brasil é pobre e continuará sendo
    Comparar o Brasil com Portugal só pode ser uma brincadeira de mau gosto !
    ah, sou brasileiro,nascido em Santos

    • Lu Pisarro says:

      Claudio Battista Pinto…
      Já moraste em Portugal ?
      Prefiro 10 vezes mais morar no Brasil do que em Portugal !

      Obs: sou neta de espanhol e filha de papai português (do bonito Porto) com mamãe brasileira e amo Portugal !
      *morei 3 anos em Portugal

      A segurança realmente é melhor em Portugal, mas o povo é que faz toda a diferença no Brasil…
      P.S. e olha que provavelmente irei morar em Oslo em breve
      *coisas do coração❤

      Eu amo o meu Brasil !!!!

      • claudio battista pinto says:

        Não, nunca morei em Portugal. Mas, por conta do meu trabalho em navios de cruzeiro, por 17 anos, conheci todo o mundo, inclusive Noruega e Portugal. Eu, ao contrário, prefiro mil vezes viver em Portugal, e olha que eu moro em Ipanema/RJ. Concordo com vc, o povo é que faz a diferença e o nosso povo é um lixo. Quanto a Oslo, onde estive mais de 40 vezes, tenho certeza que vc será recebida de braços abertos……desde que seja casada com um norueguês !

        • Lu Pisarro says:

          Lixo ? Não tire os outros por ti… Cláudio !
          Se te achas um lixo isto é problema teu !
          Tem cada idiota…

          • claudio battista pinto says:

            Comparar o Brasil com a Europa !
            Tem cada idiota…

          • claudio battista pinto says:

            Melhor que Lisboa somente Casablanca/Marrocos !

        • Lu Pisarro says:

          Se por força das circunstâncias tiver que morar em Oslo irei, mas sempre voltando ao meu amado Brasil.
          É mais fácil ele se encantar com o Brasil do que eu pela fria Noruega…

          Ah ! Tá explicado. Nunca moraste em Portugal…

        • Lu Pisarro says:

          Mude pra lá então !
          O Brasil não perderia nada…
          “Idiota és tu que te julgas lixo”
          Nunca morou em Portugal e fica falando asneiras.
          Adeus !

          • claudio battista pinto says:

            além de tudo, malcriada, quem começou a me ofender foi vc ! Eu nunca morei em Portugal e vc nunca deve ter morado no Brasil ! Vc sabia que o Brasil é um dos países mais violentos do mundo ? Que são mortas mais pessoas aqui do que em qualquer guerra pelo mundo ? Que o nosso índice de IDH é um dos mais baixos ? Que a desigualdade está entre as mais altas do mundo ? Que as nossas universidades estão entre as piores do mundo ? Em que país vc vive ? Quanto a vc não gostar do povo português, talvez tenha sido alguma desilusão amorosa, vai saber?

      • claudio battista pinto says:

        “Brasil ; Ame-o ou Deixe-o”

    • Lu Pisarro says:

      Claudio…
      Comparar administrar Portugal com o Brasil, território, população, etc…
      Não dá, não é ?

      • claudio battista pinto says:

        Não estou a perceber, o que tem a ver, a extenção territorial com a dministração ? O Canadá é maior que o Brasil e é ótimo, a Guatemala é do tamanho de Portugal e não vale nada !

Deixar uma resposta