Uma conspiração contra os trabalhadores?

O título é uma pergunta, apenas porque confesso que tenho um bocado de vergonha de, por vezes, dar por mim a acreditar em teorias da conspiração. Também não me sinto muito confortável com frases que parecem chavões retirados dos discursos da chamada esquerda monolítica.

O problema é a realidade, essa coisa que, tantas vezes, dá sentido à linguagem.

Como teoria da conspiração, não é difícil ver o PS como o partido que abriu caminho a tudo aquilo que se está a passar agora. Entre muitos outros factos que poderia escolher, basta lembrar o entusiasmo com que Manuel Pinho, o senhor dos corninhos, publicitou os baixos salários portugueses como sendo aliciante para o investimento chinês em Portugal. Entretanto, entre PECs, aumentos de impostos, reduções salariais e outras vitualhas, os trabalhadores portugueses ficaram com um poder de compra tão reduzido como o será o poder de venda de lojas e restaurantes que irão fechar.

No Expresso, que o João José inadvertidamente comprou, Mário Crespo, que tanto criticou José Sócrates, integra-se na conspiração cujo objectivo é reduzir a massa salarial dos trabalhadores portugueses a partir de 2014, com base numa política do facto consumado. Ao mesmo tempo, empresários e banqueiros rejubilam, antecipando o regresso a tempos em que o único direito do trabalhador era trabalhar.

Face a tanta coincidência, posso não acreditar em conspirações, mas que elas existem, existem. Em 2014, ano de eleições, a menos que acordem, os carneirinhos receberão um pequeno bodo e colocarão a cruzinha nos mesmos do costume.

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    Não me parece serem teorias da conspiração! Só os ingénuos acreditam que os subsídios de férias e de Natal alguma vez voltarão.


  2. É uma conspiração contra os trabalhadores, começada com Thatcher e Reagan e ainda em curso. E o desenlace vai ser uma guerra civil globalizada.

    • Joaquim Marques says:

      Normalmente tenho acompanhado as entrevista feitas pelo Sr. Mário Crespo
      na SIC/notìcias diariamente no horário 21 e 22 Horas. Quase sempre têm tido interesse para o meu dia a dia.
      Também tenho lido ao Sábado no Jornal Expresso, os artigos escritos por aquele
      Jornalista.- Contudo,no último Sábado- fiquei “chocado” com o que li naquele seu artigo- que vengonha – o seu pensamento e tendência para descriminar os Funcionarios e Reformados do Sector Público para os do Privado-Questiono?~
      será porque “ele” trabalha no Privado ?-( com o papo cheio) !!!!!
      …… penso que está na hora do Sr.Dr. Balsemão o mandar reciclar ou então
      dar-lhe uns patins.

  3. José Galhoz says:

    Acho que muito poucas pessoas duvidam já de que o objectivo último das políticas do actual governo é “fazer renascer” a nossa economia com o modelo de desenvolvimento dos baixos salários, nem que para isso tenham de pôr 95% da população a pão e água. O objectivo intermédio é “vender barato” a parte lucrável das funções do Estado à iniciativa privada, que começará logo a arrecadar lucros substanciais, à custa de investimentos que todos nós pagámos, ou viremos a pagar.
    Depois disto, chamar-lhes teorias da conspiração ou coisas semelhantes não passa de tretas inconsequentes.
    O problema é que os casos que foram levados às últimas consequências (Chile e Argentina) só foram possíveis com ditaduras militares, o que não parece agora muito viável em Portugal, ou mesmo na Grécia. Assim, embora a “guerra civil generalizada” possa estar ainda ou pouco atrasada, será possível, se a maioria quiser, ocorrer uma “resistência generalizada”, que crie dificuldades inesperadas aos “bons planos” que nos querem impôr.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.