Manuela Ferreira Leite vive acima das nossas possibilidades

188000 euros de rendimento num ano, acumulação de reformas? esse tempo acabou dona Manuela, está a contribuir para o endividamento do estado (que na sua cabecinha é a causa de todos os nossos males, o BPN não conta, são amigos, prontos). Então depois da reforma do Banco de Portugal ainda foi trabalhar para um banco privado e não prescindiu da reformazinha acumulada com a subvençãozita de ex-titular de um cargo público, sacrificando-se para ajudar a economia portuguesa?

Não? então está a viver acima das nossas possibilidades, dona Manuela. A engordar o monstro, sua marota. Assim terei de lhe chamar hipócrita. Também lhe podia chamar assassina, nome que se dá às pessoas que querem que outras pessoas morram sem assistência na doença para que possam gozar tranquilamente das suas reformas, mas não chamo dona Manuela, tal como não lhe chamo mentirosa por ter sido a campeã da treta do endividamento do estado como causa da crise (negócios como o da Lusoponte não contam, são amigos, prontos), porque hoje acordei com o meu lado machista muito acentuado e a uma senhora não se bate nem com uma flor, era ires viver com um salário mínimo durante três meses e depois conversávamos, dona Manuela, mas só depois, depois de experimentares a fome, a doença sem seguro de saúde, depois disso.

Comments


  1. Sabe João, é muito fácil dizer o que os outros precisam fazer, nem que seja passar fome. Agir não só de acordo com o que se prega mas em ordem com o que é necessário é só para alguns.
    Porque mencionou a questão da sáude, e voltando ao tema do encerramento das Urgências Hospitalares está na forja um estudo que aconselhará o encerramento de mais umas quantas. À luz da ideologia deste governo parece não haver limites a impor à população enquanto muito pouco se pede a quem mais pode.

    Está certo que isto é só um estudo, mas encomendado pelo governo com o objectivo de fechar urgências.

    Será que, encerrando os Serviços de Urgência de Vila Real, Passos Coelho, ainda assim, terá a lata de se candidatar por esse círculo?

    Acabe-se mas é esta urgência… de nos empobrecer.

    Cumprimentos.

  2. José Galhoz says:

    Talvez por começar a aperceber-se de que é mais uma a viver acima das nossas possibilidades, a Drª sentiu-se na obrigação de contrariar (muito levemente) a cacofonia dominante, afirmando que “o país corre o risco de entrar numa espiral recessiva”. Para uma economista encartada isto é o mínimo dos mínimos pois, apesar da economia não ser uma ciência exacta, o certo é que as mesmas medidas em contextos semelhantes conduzem a resultados idênticos. Sendo as nossas “grandes diferenças” em relação à Grécia a maior falácia da moda, o certo é que com as medidas em curso (descontando as futuras) teremos, praticamente, 100% de probabilidades de cair numa espiral recessiva.

  3. Observador says:

    E o Mira Amaral, o outro Amaral da Lusoponte, o Dias Loureito, o Melancia, o Jorge Coelho, o Marques Mendes e tantos outros? Estão a viver abaixo ou acima das nossas posses? Até o PR tem 3 reformas das grandes, o Sampaio tem, para além de todo o resto. uma fortuna todos os meses da Fundação Guimarães, ao Durão e ao Guterres saiu-lhes a sorte grande e ninguém diz nada. Arre porra que é demais!