Um mundo de elefantes brancos

Que o Brasil ande deslumbrado com a sua nova condição de potência emergente, parece-me natural. Que o deslumbramento o leve a cometer os mesmos erros de muitos “novos-ricos”, parece-me pouco inteligente.

Há uma certa tendência para o exagero e para a celebração de nacionalismo bacoco na organização de grandes eventos mundiais. Os exemplos de Portugal, da África do Sul, etc., etc., deviam estar presentes quando o sonho se torna megalómano.

Mas acima de tudo, instituições como a FIFA ou UEFA deveriam ser mais contidas no plano das exigéncias, em vez de se portarem como uma espécie de FMI dos eventos e imporem condições tão exigentes que, para atingirem os fins a que se propõem, deixam agonizantes (ou, pelo menos, muito mais depauperados) os países que os acolhem.

Comments

  1. Ana Paula Fitas says:

    Caro A.Pedro Correia,
    Fiz link… e agradeço.
    Um abraço.

  2. Olá, Ana Paula,

    Vou ver 🙂

  3. jorge fliscorno says:

    A FIFA e a UEFA conterem-se naquilo que lhes trás o ganha-pão-de-ló-com-cobertura-extra-especial-de-raras-iguarias? Não me parece.

  4. José Aaron Sevier Junior says:

    Sou canadense e meu pai é brasileiro e minha mãe portuguesa. Estou no Brasil faz algum tempo. Acho que existe uma grande desparidade da imagem que o país tem na europa e da realidade. Portugueses estão a pensar que o Brasil é uma ex-colonia emergente, de auto-estima fragil, politicagem e miséria generalizada. Ledo engano. O país tem intituições fortes e uma participação democratica que Portugal e boa parte da europa nem sonha.Dai os problemas da FIFA.
    Essa coisa de dizer que o Brasil esta deslubrado é puro desconhecimento do que foi , de como esta e com devem país.
    Quanto ao nacionalismo brasileiro vou dar um exemplo: UFC RIO. Evento estúpido de esporte cujo o público foi a parte mais alienada da classe média. Eu trabalhei na organização jundo com muitos portugueses e vi o quanto os organizadores ficaram pasmos quando o público vaiava qualquer palavra dita em ingles.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.