Novas oportunidades têm que continuar – todos o o dizem!

Maria de Lurdes Rodrigues tem um mérito – foi uma Ministra da Educação Eucalipto. Secou tudo à sua volta. Em torno do seu mau feitio e da sua péssima gestão da comunicação conseguiu queimar programas que eram (são!) bons e necessários ao país.

Dois foram absolutamente simbólicos: as novas oportunidades e o magalhães.

Um e outro foram usados (tornaram-se?) como símbolos da governação de Sócrates e acabaram por sofrer com isso. Projectos singulares, com um enorme potencial que acabaram por ser ridicularizados na Praça Pública.

No entanto e mesmo correndo o risco de mexer com o senso comum do leitor, vou defender as Novas Oportunidades como um projecto fantástico e apresentar, para início de discussão, estas questões:

– o Ministério avançou com o programa. Se ele fosse mau poderia não ter havido candidaturas, certo? Mas, houve e houve de entidades privadas, de organizações da sociedade.

Mas, poderia ainda ter acontecido outra coisa: as entidades poderiam ter sugerido, mas as pessoas, o público alvo, poderia não se ter candidatado. O que aconteceu? Ora nem mais: milhares e milhares de pessoas participaram nas Novas Oportunidades.

E, apesar de se terem candidatado, poderiam não ter participado ou até desistido. Mas, mais uma vez, o povo ignorante, pouco atento à opinião publicada, fez-se à vida: um milhão e trezentos mil portugueses concluíram as Novas Oportunidades.

Que outro projecto nacional envolveu tantos portugueses?

Talvez por isso a OCDE escreva o que escreve.

Comments

  1. Tito Lívio Santos Mota says:

    O Magalhães era “piroso” porque não tinha aquelas coisinhas que o ipad dos filhinhos de quem faz a opinião nos jornais e partidos tem.
    O Novas Oportunidades não servia para nada para os Doutores que são em Portugal, como os chatos nas cuecas dos incautos.

    Mas ambas as coisas serviram para que crianças pobres tivessem acesso à internet e pudessem comprar um computador e as NO permitiram aos “cábulas” do secundário e aos filhos de quem não é doutor, aproveitarem a maturidade que anos de trabalho lhe deram para recuperar o tempo perdido.

    O único problema de Portugal é ter demasiados iPad e ainda mais Doutores.
    Sem isso era um país desenvolvido onde estas duas coisas seria normais.

  2. marai celeste ramos says:

    Pior do que isso é que a actual oposição de direita nunca serviu para nada a não ser para deitar mesmo abaixo com a mais profunda maldade e desonestidade como se fosse brincadeira de malandros e meter a mão no pote que foi esvaziado com ódio – não há pobre que não tenha TV e mão que não fala tudo para a criança ter essa porcaria de Ipad – é recente o tempo em que os doutores “católicos” crticavam que em cada barraca houvesse uma antena TV pois quem não tem dinheiro não tem vícios – e bastou ver a legrai das crianças para ver a sua alegria no seu magalhães mesmo que tivesse defeitos mas nada a direita fez, nunca, para fazer melhor – nunca fazem melhor – destroem o que está para tr´s – não melhoram nada – as criticas só serviram para tudo desertificar – parecem invejosos pois nunca o invejodo medou nem quem ao pé dele morou – a gora é preciso uma DATA especial dentro dos conformas par dar ÁGUA às vacas e pastagens – se houvesse fogo já haverai bombeiros a ditribuílas e regar pomares e pastos ou encher tanques e depósitos – dó depois “em abril águas mil – em 2011 e 2012 não houve “abril” – é preciso é cumprir calendários mas quaiS ´eagoar quetenho sede – diz a vaca e o pasto – mas não se vê e se nãotêm dinheiro peçam-no ou vão buscar onde há – peçam aos xineses

  3. kalidas says:

    Educação, Ciência, Cultura para quê, se foi essa mistura explosiva ocidental que nos trouxe a crise? Ou não é verdade, que é a cultura que rege a economia? O problema é que o homem foi do Ábaco ao Magalhães, demasiado depressa.

    O Magalhães foi à Índia duas vezes, em toda a sua vida e, não era alentejano.

  4. Jaime Marques says:

  5. O grande erro das Novas Oportunidades foi certificar um aumento do nível da aprendizagem em massa, mantendo o mesmo nível de aliteracia…
    Na sua essência o Programa seria perfeito, na idealidade, mas na concretização…


  6. Pois Maria de Lurdes foi a mais afectada pela falta de respeito pelas hierarquias, ó setôr tá a mandar-nos calar e vocês chamam nomes piores à ministra….pois
    O satôr o Carnaval dos professores dura todo o ano…

    Bom novas opurtu n’ idades é a educação placebo ideal
    aumenta a auto-estima
    aumenta assim a probabilidade de susexo no mundo do travalho e em outras terminações
    e podia-se gastar muito pouco a fazê-la e com os mesmos resultados

    contras: burocratizou-se e complexificou-se um processo que deveria ter sido simplificado

    cursos E.F.A de 2 anos foi o pior das novas oportunidades
    consumidores de tempo e esgotantes, com turmas pequenas que se esfumavam rapidamente dos 30 para os 15 alunos e com um rácio de profe por aluno de 1/3 ou 1/4 nas melhores


  7. O facto de ser uma certificação em massa fez os CNOS por auto-biografia ou por trabalhos em áreas específicas DR-1 DR-2 falhaste esta….quê? FALHASTE ESTE TEMA PORQUE…
    ó setôr (Formador possuidor duma folha algures) tá a gritar comigo e com fundo vermelho?

    ESTOU A GRITAR COMO? NEM SEQUER ESTOU A FALAR CONTIGO…

    Aprende-se muito nos CNO’s atão sobre os protocóis da net…

  8. António Duarte says:

    Exercício um bocado demagógico, o deste post. Nem faltam os pobrezinhos e a internet à borla, como se tudo isso não tivesse sempre de ser pago, nem que seja pelo contribuinte.
    Mas imagine-se que em vez de lançar o programa dos magalhões o governo agarrava na rotativa das notas, se ainda a tivéssemos, e começava a fabricar dinheiro e a entregá-lo, com os mais variados pretextos, aos cidadãos.
    Diríamos que a medida era boa porque ninguém tinha recusado o dinheiro oferecido?


  9. E aumenta a rapidez no teclado, estimula a cópia e a propagação de vírus, é muito muito
    bué de fish (e para quem tem português para estrangeiros conhece húngaros, romenos, médicas ucranianas e psicólogas que dizem que lá é que é bom e nós somos uns brutos.

    Logo é uma experiência arrebatadora e a melhor educação-placebo possível
    Muito mais barata do que a Faculdade de Letras ou os Cursos de Comunicação Social
    principalmente porque o pessoal parte com expectativas muito mais baixas….


  10. A internet das escolas estava sempre ligada, muitos dos cursos dos CNOS eram presenciais, (os cursos E.F.Adultos)quanto aos restantes possuidores de magalhães (poucos diga-se de passagem) ou não( com cabovisão e internet prós putos ), pagavam a própria internet
    $)
    nã ?
    X(


  11. De resto o $ tem sempre um valor subjacente, é contraproducente imprimi-lo a partir do nada…havia até putos dos 23 aos 60 que queriam discutir o Krugman na DR de economia…DR 4 ? ou 5%?
    pois tinha as suas potencialidades mas o custo era elevado …mas muito menos do que formar um puto que fica retido (é plumbado) umas 6 ou 7 vezes em 12 anos
    e chega ao 12º com 24…
    isso é impossível direis
    Ora putos fora da escolaridade obrigatória no 7º (25%) idades dos putos 16, 16, 17 e 18 em Janeiro 16 16 17….é raro mas infelizmente acontece

    metem-nos nuns cursinhos que são uns CNO’s disfarçados pra fazerem o 9º
    logo qual a deferença…sei não sô joão


  12. Ora bem… nada como entretenimento para substituir a Educação…a sério, claro. Essa não interessa…

    «(…)Assim para atingir esse objetivo, foi necessário criar, proteger e utilizar novas armas, como o futuro o dirá, uma classe de armas tão subtil e sofisticado no princípio de funcionamento e aparência pública e têm o nome de “armas silenciosas “.

    Em conclusão, o objetivo da pesquisa económica, como é feito pelos líderes do capital (bancos) e os bens e serviços de indústrias, é o estabelecimento de uma economia totalmente previsível, previsível e manipulável.

    para alcançar uma economia totalmente previsível, os elementos das classes mais baixas da sociedade devem ser trazidos para um controle total, ou seja, para serem colocados na rua, sob o jugo, e atribuídos a deveres sociais de longo prazo desde tenra idade e muito cedo, antes que eles tenham a chance de fazer perguntas ou dúvidar sobre a propriedade da matéria. Para atingir essa conformidade, a unidade familiar das classes mais baixas, deve ser desintegrada por um processo de aumento das preocupações dos pais.

    .
    A qualidade da Educação dada às classes mais baixas deve ser das mais pobres, de modo que o fosso da ignorância possa isolar as classes inferiores das classes superiores, e esta seja e permaneça incompreensível, para as classes mais baixas. Com tal deficiência, que os melhores elementos das classes mais baixas, têm pouca esperança de retirar o lote que foi dado na vida. Esta forma de escravidão é essencial para manter um certo nível de ordem social, paz e tranqüilidade para os dirigentes das classes superiores.(…)

    http://marecinza.blogspot.com/2012/02/armas-silenciosas-para-guerras.html


  13. O nosso azar, é que alguém nos vendeu para iniciativas piloto…


  14. Pois tinha um arrazoado giro mas foi censurado

    Não existe vera nem falsa educação…a educação é um simples artifício humano que se apanha em memes e mnemónicas

    2011 m. liepa 2 d., šeštadienisNA FALSA MEMÓRIA DAS PALAVRAS ENFORCA-SE A RAZÃO
    ظة الثمن UM SUBSÍDIO PARA O AL ZHEIMER EM QUE NOS AFOGAMOS

    SÓCRATES DIZIA QUE TINHAMOS UM ENSINO DE EXCELÊNCIA MUNDIAL

    MAS VAI TIRAR UM CURSO EM PARIS

    UNS GAJOS DIZIAM QUE IAM FAZER UMA REVOLUÇÃO

    MAS O QUE QUERIAM É VIR ACAMPAR DE BORLA NO ROSSIO

    E TENTAR BATER O RECORDE DE MERDA DOS POMBOS


  15. isto dir-se-ia é educação falsa para encher…mas não é

    qual os afluentes que com o Ocresa enchem o rio X?

    o rio X é o ___ maior de Portugal (ponha um número de 1º a 3º

    A linha de Benguela é uma das ____ dos caminhos de ferro de angola

    Diga o nome dos reis da 4ªdinastia

    Nomeie o 2º presidente da república portuguesa

    calcule a raiz quadrada de 28 com cálculos não use a calculadora

    ora o vero ensino não existe porque é tudo ensino e aprendizagem

    matar um coelho prantar umas couves fazer um bolo de nabiça


  16. o pessoal aqui por algum défice da sua educação

    censura os restantes porque acredita estar a preservar a boa educação…

    a educação de excelência

    quando toda a educação é placebo

    tirar um curso em Oxford não aumenta a capacidade de um bruto em entender o mundo em que vive

    decorar trechos da Odisseia ou adorar mnemónicas musicais
    o povo é quem mais ordena..

    é naif…pois é impossível um grupo humano ter alguma proximidade quando o seu nº ultrapassa a centena de indivíduos

    pela pressão populacional geram-se tensões e cisões na massa gregária

    uns palermas pensam vou bloquear aquele gajo que quer protagonismo

    protagonismo tal como a educação é uma falácia

    resulta de convénios de ordens de bicada …de rituais palermas

    que conferem a este educação e à fada não….

    bão…

    é por estas pequenas idiossincracias da palermagem que pensa que ensina algo

    que nada se ensina….apenas se repete um modelo velho de séculos


  17. uma vez escrevi uma coisa bonita (para mim que tal como Soares escrevo para mim as minhas mitologias mas ou o blogue foi apagado ou já não o acho)

    foi numa altura em que pensei desistir de dar aulas (educativas ou repetitivas tenho dias) a educa a são depende da são estar receptiva a recebê-la…

    ou acreditar que aquilo é educação

    como dizia o Jorgé Voçê nã dá aulas esta formação cívica nã tem matéria

    atão qual é a matéria de F.C

    são coisas sei lá testes e coisas assim e questionários era o ca minha setôra fazia o ano passado…entendido

    lamento…mas não posso dar mais tenho de ir usufruir do subsídio…

    e quando vem dá em força saravá


  18. e fazer power points sobre os feriados…

    Que feriados?

    o 25 de abril e os outros

    e o 25 foi o quê

    ora mataram o rei…a educação tem dias

    e quem sabe o puto tinha razão….se calhar mataram mesmo o rei e não podemos fazer roque

    vê um trocadilho com uma referência literária pelo meio

    quem é o autor?

    nã sabe né?

    nã se pode saber tude

    o jorgé sabia o nome de todos os jogadores da 1ªdivisão e os nomes de todos os pókemons e do naruto e…é educação

    e serve para o mesmo que a restante

    aumenta a auto-estima do possuidor…

    é pena a 1ª que tinha feito era muito melhor que isto…mais educativa
    ou menos depende do gato de shrodingágá


  19. tendes razão e tendes a verdadeira varinha de con dão e alviela educativa

    ê cá sou um brute associal de cujas más intenções se deve proteger o systema

    io e outros 40 mil fora do quadro (por minha parte graças a Deus…há muitas e honrosas excepções…mas poucas têm estômago para serem directores…sub-directores eu sou coordenadora e plutão já não é um planeta….temos de coordenar estas importantes….(se um corpo aparentemente é o mais frequente num sistema solar
    as anomalias à média são as representativas desse sistema?

    percebeu?

    ela tamém não

    e felizmente a sua boa educação reformou-se aos 61…infelizmente deve viver até aos 1000


  20. para os 20 ou não

    o x do problema

    meu major peço a sua celência

    chame socraste ou sidónio

    ou aquele do metro ou do nónio

    ou o mais prefundo da sciência

    a todes façe igual aposta

    esprando cu sabedor

    dê á questÃO a minha resposta

    Batalhão d’infataria 29

    cabo morto em-1917-1918 e copiado mal por seu alferes mais erudito


  21. já ahora bloqueiam só aquele e este não puquÊ?

    puket ilha thai antigo mangal sodomizado pela educação europeia

    o cação é bom mas gorducho…mas outro tubarão grelhado é melhor


  22. o do Alferes freitas de barros copiado (ou não)do cabo defunto e semi analfa

    Meu major (podia ter posto general mas…) eu peço a V.Excelência

    Chame aqui Pytagoras ou Sidónio

    O autor célebre do metro ou do nónio

    Ou o mais profundo homem na sciência

    A todos eles faço igual proposta

    Esp’rando desse grupo sabedor

    Á minha questão só esta resposta…e continua e tem muita coisa mais

    a diferença é um é verdadeiramente educativo

    porque revela o verniz que é a educação

    e a cópia (o outro até pode ser corruptela deste) é inferior ao inculto cultor

    pecebide


  23. يا أبناء القردة والكلاب
    25 Şubat 2012 Cumartesi
    DA VERA EDUCA A São E DA SÃO QUE EDUCA A VERA
    o x do problema

    meu major peço a sua celência

    chame socraste ou sidónio

    ou aquele do metro ou do nónio

    ou o mais prefundo da sciência

    a todes façe igual aposta

    esprando cu sabedor

    dê á questÃO a minha resposta

    Batalhão d’infataria 29

    cabo morto em-1917-1918 e copiado mal por seu alferes mais erudito

    ou cabo erudito que corrompeu o corrupto alferes?

    o do Alferes freitas de barros copiado (ou não)do cabo defunto e semi analfa

    Meu major (podia ter posto general mas…) eu peço a V.Excelência

    Chame aqui Pytagoras ou Sidónio

    O autor célebre do metro ou do nónio

    Ou o mais profundo homem na sciência

    A todos eles faço igual proposta

    Esp’rando desse grupo sabedor

    Á minha questão só esta resposta…e continua e tem muita coisa mais

    a diferença é um é verdadeiramente educativo

    porque revela o verniz que é a educação

    e a cópia (o outro até pode ser corruptela deste) é inferior ao inculto cultor

    pecebide o significade da vera educar a são?

    ou da são educar a vera?

    não?

    atão perdão…
    Gönderen nã ficou grande coisa mas é a crise….


  24. Tito Lívio Santos Mota …já agora esta perla da pseudo educa a são
    (1º o referente legitima-se com a tetra pakologia da sua filologia nomine mota…

    não Tito Lívio S. Mota ou Tito lívio pois não quer ser con fundido com tal gentinha inferior untermensh kulturais

    comenta dizendo que não o faz…do mesmo modo que os professores metem em coventry os alunos inconvenientes (são inferiores porque não pensam como eu…
    não comentarei os habituais escarros mentais de ódio de gentinha que só vem para estes blogues destilar o ódio de frustrações recalcadas….

    ou seja os que veêm os blogues como espaços com existência real e perdurável no tempo
    e com valor de psicólogo-confessionário

    na sua vertente educacional não os veêm como um espaço lúdico pois tal iria contra a sua concepção do etos kosmos e do seu propósito no infinitum

    na realidade destilar o ódio tem o preconceito de pensar

    que o ódio é produto refinado proveniente de destilação

    quando o ódio é um dos produtos mais puros y originais

    livre das máculas destilativas a quente ou a frio à pressão ou…


  25. é só esperar até ao próximo flash solar e todas estas opiniões e espaços virtuais serão kapputs tal como a vera educa a são

    como um gaijo disse num con gresso sobre democratização da ciência ou koisa assis

    A verdadeira educação resiste ao tempo e às civilizações, a verdadeira educação resiste (resistiu e resistirá)a todas as catástrofes (passadas e )futuras (tinha ficado melhor) ela consiste em adaptar(?consiste em adaptar que merda neodarwin) o homem ao seu meio…e é por isso que educação popular e científica jogam pouco
    democratizar a ciência é uma falácia
    o que voçêis querem dizere é que querem que todos pensem como boçês

    oviamente um gaje brute destes num é demokrata…

  26. João Paulo says:

    #8 Meu caro AD, dar notas às pessoas e elas iriam achar bem é o seu argumento. Mas, o que é que isso tem de relação causal com o Magalhães? O computador símbolo de Sócrates teve um impacto TREMENDO na informatização dos nossos miúdos ao nível do 1ºciclo. Se para si e para mim, com computadores por perto, os nossos filhos terão esse acesso garantido, para muitos milhares este foi o único computador em que vão tocar até chegarem ao mercado de trabalho. E isso, só por si, foi fantástico. Houve claro, ERROS – o maior dos quais ser usado como símbolo, ao que os docentes responderam, ignorando-o. Se o Magalhães tem sido colocado no terreno num momento positivo da relação Professores / Ministério poderíamos estar a falar de uma revolução neste momento. Perdeu-se essa oportunidade.

  27. jorge fliscorno says:

    Vejamos, não teria enorme adesão qualquer outro programa que proporcionasse um diploma fácil e apresentasse vantagens financeiras para os organizadores? Lá se vai a apologia do programa medido pelo número de participantes. Quanto à OCDE, esta organização olha para números. Nem sequer os obtém por estudos próprios, pedindo aos respectivos estados para os fornecer. Se os estados lhes dizem que certo programa formou x pessoas, a única coisa que a OCDE faz é comentar esses números. Viva o sucesso estatístico-educativo.

    Quanto ao Magalhães, tal como os quadros electrónicos, não passou de um instrumento de propaganda pago com os nossos impostos:
    – não foi o primeiro computador português, já que apenas cá foi montado. Comparando com a autoeuropa, seria como dizer que os WV são carros portugueses;
    – já se sabia desde o início que não seria possível manter o programa pois isso implicaria um aumento significativo do custo do aluno. Mas insistiu-se neste modelo com vantagens eleitorais em vez de um modelo de fornecer equipamentos às escolas que pudessem ser partilhados pelas sucessivas gerações;
    – quanto ao argumento de os professores não o terem usado por reacção negativa à ministra, acho que será melhor perceber que, tal como quando se constrói uma casa pelo telhado, não se pode esperar que uma ferramenta seja usada se não se sabe o que fazer com ela.

  28. António Duarte says:

    #26
    No comentário apressado que fiz em #8, o que pretendi dizer é que não me parece bom argumento dizer-se que uma coisa é boa apenas porque foi oferecida a muitos milhares de pessoas e estas a aceitaram. Sejam magalhões ou certificados das novas oportunidades.
    De facto, é preciso considerar que tudo tem custos, e ser grátis para quem recebe significa apenas que outros estão a pagar. Por outro lado, multiplicar-se a quantidade de diplomas escolares, sem que estes correspondam a efectivos conhecimentos e competências adquiridos por aqueles que os recebem é apenas uma forma, não de valorizar, mas sim de desvalorizar, as habilitações académicas, ou seja, precisamente o oposto do que em teoria se pretenderia alcançar.
    De resto, neste seu comentário tocou em dois pontos importantes que gostaria também de destacar: Primeiro, nenhuma reforma educativa resulta se feita contra os professores, muito menos pensando que gadgets electrónicos podem desvalorizar ou substituir o papel dos professores. Segundo, trabalho diariamente com alunos do 2º e 3º ciclos e ainda não vi esse impacto “tremendo” de que fala. Para os tais que não têm computadores por perto, o magalhões é neste momento uma maquineta que está para lá, inútil e arrumada a um canto, pois entretanto se desconfigurou, avariou ou encheu de vírus. Felizmente, ao longo da escolaridade, hão-de mexer muitas vezes em computadores a sério, que ainda vão existindo nas escolas, ao dispor dos alunos…

  29. Zuruspa says:

    Só num país atrasado é que se podem criticar oportunidades de Ensino. Por alguma coisa se diz que “o saber näo ocupa lugar” e “aprender, aprender, aprender sempre”.
    Que me interessa se as NO säo fáceis? Para muitos näo säo. Para quem estuda, é. Como é a escola em geral. Ou isso serve para, entäo, acabar com o Ensino em geral, visto também ser fácil para muita gente?

    Fáceis? Deveis pensar que o Ensino nos outros países é assim täo difícil. No Norte da Europa fazem grande festa com diplomas e tuditudo no fim do 9.o ano, celebrando o concluir da “escola toda”. E que sabem eles nessa altura, além de escrever o nome? Talvez por isso 100% continue a estudar, pois, pasme-se, afinal desde há 100 anos que o Estado garante Ensino grátis até ao nível de Mestrado.
    Pasme-se entäo ao saber que quase 50% escolhem cursos profissionais. Pasme-se 3.a vez ao saber que apenas 25% seguem para o Ensino Superior… e, pasme-se, nem todos acabam os cursos.

    O certo é que no Norte da Europa 100% acabam o 12.o ano com 18 anos, de uma forma ou outra. E que é uma vergonha que em Portugal apenas 67% (se tanto) o faça. Na OCDE apenas a Turquia está pior. Na maior parte dos casos, porque a família näo tem posses para manter filhos na escola (há norme correlaçäo entre rendimento e sucesso escolar). Logo as NO vêm corrigir esse problema, aliás, näo é favor nenhum que fazem aos cidadäos permitir-lhes estudar. Eu poderia ser contra as NO apenas e só se o Ensino em Portugal fosse täo gratuito como na Alemanha, mas nesse caso näo haveria necessidade de existir NO…

    • jorge fliscorno says:

      Estarei enganado ou o NO é um programa de certificação e não um programa de aprendizagem? A diferença traduz-se entre ter um esquema de passar diplomas ou ter pessoas que no fim do programa sabem mais do que sabiam no início.

      • Ricardo Santos Pinto says:

        A ideia original até era boa. Mas como tudo o que a Prevaricadora Maria de Lurdes Rodrigues fez, fez mal.

  30. João Paulo says:

    #26
    Obrigado pelo novo comentário. Também sou Professor e sinto a diferença significativa nos alunos que me chegam com o 1ºciclo concluído pós.Magalhães. A relação com o computador é muito mais efectiva e mais natural. Existe de facto. Quanto a haver computadores nas escolas, umas sim, outras nem por isso – mas a maioria está MUITO bem equipada: mérito do projeto PTE que veio em articulação com o Magalhães. Depois, o que eu quis dizer é que em muitas famílias aquele será o único pc que os alunos iriam ter, em contexto familiar.
    O Magalhães poderia ter sido outra coisa?
    Claro que sim. Mas, a ideia é fabulosa!

    Quanto às NOVAS oportunidades, não me parece que a questão fosse a aprendizagem só por si. É um modelo de certificação. Não de aprendizagem escolar pura e dura.

    Houve erros? Excessos? Facilidades? Claro que sim – mas, num projecto desta dimensão os erros teriam que acontecer e em grande número. Mas, para acrescentar à discussão uma realidade que percebi na escola onde trabalho:

    – o regresso dos Pais à escola para participar nas Novas Oportunidades fez com que vissem a escola dos filhos com outros olhos. E esta questão é também muito importante.

  31. João Paulo says:

    #31 De acordo Ricardo. Maria de Lurdes e a sua equipa tiveram a capacidade de pensar algumas medidas bem interessantes: escola do 1ºciclo a tempo inteiro (AEC’s, cantinas), Magalhães, Novas Oportunidades, Parque Escolar… Mas, depois, na comunicação e na relação com os Professores foi um erro total!

    • Tito Lívio Santos Mota says:

      estas coisas é assim, como diria o outro.
      agora o que é interessante quando se vive e ensina no estrangeiro é observar a capacidade de compreensão de uns e doutros.
      O que observo ?
      Que estudantes saídos do secundário francês não são capazes de ler um texto.
      Mas que encontro muito mais portugueses que o são.
      Os franceses julgam que sabem ler mas não sabem. Decifram caracteres de imprensa e reproduzem os sons que lá estão escritos até ao fim. Só que, no fim, são incapazes de dizer, e muito menos explicar, o que leram.
      O ensino português não é perfeito. Mas constato mesmo assim uma maior quantidade de gente que sai dele a saber ler. O que já não é mau.
      O portuga sabe menos coisas “bonitas” tipo “como redigir um comentário textual” ou “como redigir uma dissertação em três partes, introdução e conclusão”.
      Isso o francês em geral até sabe, só que não sabe ler, pelo que lhe adianta pouco o Alcufurado.
      O portuga também sabe menos coisas tipo “Shakespeare” ou “cálculo diferencial”. Mas sabe ler e expor uma ideia própria.

      Resultado, talvez a OCDE só lide com números mas chega à conclusão que qualquer professor do superior francês pode chegar se comparar alunos portugueses e franceses.

      Daí que…

  32. jorge fliscorno says:

    o regresso dos Pais à escola para participar nas Novas Oportunidades fez com que vissem a escola dos filhos com outros olhos. E esta questão é também muito importante.

    Esta poderá ser de facto a mais valia. Que, por ventura, poderia ser conseguida por meios que não passassem pela falsificação de habilitações. Convenhamos, como é que pode colocar em pé de igualdade um diploma obtido em meses e outro que leve 3 anos a conseguir (falo da passagem directa do 9° ao 12°)?

    E como obter essa mais valia por outros meios? Na já referida Alemanha, as escolas funcionam após as 18 para cursos profissionais. A escola fornece os meios materiais e os alunos pagam uma mensalidade que cobre os custos com o professor e a manutenção da escola nesse período. Foi assim que aprendi o pouco alemão que sei. Há cursos de tudo, desde as artes às áreas técnicas.


  33. Obrigado pelo novo comentário….bolas pá tás uito mexexitadinhu

    Também sou Professor (com P grande)e sinto a diferença…? (a diferença sente-se? é perceptível em termos emocionais ? nã arranjaste grelha para a quantificares ? dou-te já uma

    significativa nos alunos que me chegam com o 1ºciclo concluído pós.Magalhães…..bolas és um desses do 2º ciclo? a neo-ralé do professorado…

    A relação com o computador é muito mais efectiva (ou afectiva) e mais natural (ou mais anti-natural…é que as obsessões.são processos naturais

    mas esta pode con siderar-se naturalmente induzida?

    باسم مغنيه انت كتير عليا. y♫♪ ….. (Um caso de obsessão ….relação com uma máquina?

    pois

    • Tito Lívio Santos Mota says:

      Eu não trabalho com grelhas nem tenho inspetor de academia, nem contas a prestar a seja quem for se não a quem ensino.
      Nem preciso de dar lições aos meus colegas que passam muito bem sem elas.
      Somos pessoas adultas.
      grelha deve ser a que tem enfrente dos olhos e que lhe turva a vista.
      e pare de interpretar o que eu digo em função da sua “grelha” apenas para armar em espertinho e fazer piadinhas.
      E meta o P grande num sítio que eu cá sei.
      quem arma aqui em pedagogo de P grande e espertalhão das dúzias com E é você que vem para aqui dar lições aos outros e fazer pouco de quem não conhece.
      Se a sua pedagogia é essa, deve ser um lindo cinema lá na sua escola.
      Pelo menos se tem a falta de respeito que demonstra aqui em relação a nós, pelos seus alunos.
      Nisso da pedagogia, pelos vistos estamos conversados.

      Se quer fazer pouco de alguém faça-o na sua família, de preferência a quem o pôs no mundo.

  34. Carlos says:

    “Que outro projecto nacional envolveu tantos portugueses?”

    O Euro 2004.


  35. Funk cionarius pubicus irritatus

    Eu não trabalho com grelhas…. nem tenho inspetor … nem contas …a prestar a seja quem for ….
    Nem preciso de dar lições aos meus colegas…. que passam muito bem sem elas….
    Somos pessoas adultas corporativas e livres que não amocham

    e pare de interpretar o que eu digo em função da sua “grelha” …
    esta é a merdologia típica do prof…grelhas os putos fizeram-me isto …eu trabalho para quem ensino….
    E meta o P grande num sítio que eu cá sei….se tem a falta de respeito…pois nota-se
    o respeito é inter-pares enquanto os pares

    quem arma aqui em pedagogo (isso é acompanhar crianças…nã pá nã te metas nisso…de P grande e espertalhão das dúzias com E é você …boçê quem

    discurso empolado e enervado…respect como os chefes de gangues

    que vem para aqui dar lições ….era só o que faltava dar? dar o que o resto vende

    e fazer pouco de quem não conhece….ora claro que conheço…
    Se a sua pedagogia…psicologia diferente de acompanhar putos pedo gogein
    nã ensinam nada a estes brutes

    deve ser um lindo cinema… lá na sua ….(possessivo)escola…a minha escola os meus funcionários.
    Pelo menos que demonstra aqui em relação a nós, pelos seus alunos….isto tá tão mal escritinho…ó Tito..nã sabias queras lívido…


  36. Tito Lívio Santos Mota

    eu sou Lívio e tu és parvo prehendimus primum ex parvo dolore

    olha que para tito nã sabes muy latinório ó parvovírus

    Mota é do grande deus mota né?

    acho que és notavelmente incaracterístico…

    e és persistente nã sabes desistir

    isso é péssimo se és professor

    temos que saber ficar na mó de baixo porque putos como tu são legião…

    já tive até uns de 60 e tal anos e um de 80 e tal

    tangebam parvus olivo grandia si nollem morituri


  37. Mota é do grande deus mota né?

    acho que és notavelmente incaracterístico…

    e és persistente nã sabes desistir

    isso é péssimo se és professor

    temos que saber ficar na mó de baixo porque putos como tu são legião…

    já tive até uns de 60 e tal anos e um de 80 e tal

    tangebam parvus olivo grandia si nollem morituri


  38. gostei nã…

Trackbacks


  1. […] das coisas boas que algumas pessoas continuam a ver no seu trabalho e sobre as quais já escrevi no Aventar, vi sempre (defeito meu!) um ódio naqueles olhos de alguém que acorda todos os dias […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.