Da nobreza no futebol

O futebol é mais do que um jogo, infelizmente. É um lodaçal feito de uma mistura de irracionalidade, negócios racionalmente escuros e agressividade também verbal, ou seja, de valores antidesportivos. É, portanto, raro encontrar, entre jogadores, dirigentes e treinadores, palavras ou atitudes nobres.

José Mourinho e Cristiano Ronaldo são profissionais extraordinários e estão entre os melhores do mundo, mas estão muito longe da nobreza de Guardiola ou de Messi, uma vez que raramente conseguem esconder o arruaceiro ou o vaidoso que estão dentro deles.

Guardiola foi, para além disso, um dos melhores médios que já vi jogar, discreto, inteligente, elegante (podem revê-lo, depois do corte). Como treinador, manteve as mesmas características e, mesmo na hora da saída, consegue ser grande, dispensando-se de inventar desculpas ou de criar fricções escusadas.

Messi, o profissional apaixonado, o atleta improvável, não esteve presente na conferência de imprensa da despedida e explicou: “Preferi não estar porque sabia que os jornalistas iriam à procura dos rostos de pena dos jogadores.” Também fora de campo, Messi é melhor do que Cristiano Ronaldo, convencido de que é perseguido por ser rico e bonito.

No nosso campeonato, Ontem, Sérgio Conceição, depois de ganhar em Braga, declarou que o empate teria sido o resultado mais justo. Leonardo Jardim, ao contrário da maioria, não fez referência a erros do árbitro.

O futebol é mais do que um jogo e torna difícil manter a serenidade e a elevação. Os que o conseguem devem ser elogiados, porque são esses que devem ser imitados.

Comments

  1. MAGRIÇO says:

    Raramente se lê ou se ouve uma opinião sobre futebol tão isenta e tão realista como a que acabei de ler. As referências a Guardiola e a Messi já eu próprio as tenho manifestado no meu círculo de amigos. A verdadeira grandeza não necessita da muleta da arrogância e da vaidade para ser reconhecida, e sinto alguma mágoa por compatriotas meus, de inegável valor profissional, não terem a formação cívica necessária para se furtarem a situações ridículas de auto-elogio ou declarações não menos ridículas de novo-riquismo. O mesmo se passa com alguns dirigentes de clubes que, embora de reconhecida valia enquanto gestores desportivos, são verdadeiras negações enquanto seres humanos, incapazes de respeitar adversários, que em vez de terem um discurso apaziguador e cordato tudo fazem para criar tensões entre as acéfalas massas partidárias, com uma falta de desportivismo e de grandeza absolutamente lamentáveis. E têm seguidores. mesmo entre aqueles que julgamos sensatos.
    Está de parabéns, António Nabais!

  2. António Fernando Nabais says:

    Não tenho o costume de comentar os que concordam comigo, porque seria um elogio demasiado fácil. De qualquer modo, não posso deixar de lhe dar os parabéns pela qualidade da forma e do conteúdo. O facto de nunca poder haver isenção não pode servir de desculpa para atitudes reprováveis.

  3. Luís says:

    Excelente post, do qual eu discordo em parte.
    É verdade que tanto Mourinho como Cristiano Ronaldo têm atitudes arrogantes, mal educadas e muitas vezes anti-desportivas.
    E sobre estas atitudes estamos conversados.
    Mas para sermos imparciais temos de falar sobre as atitudes anti desportivas de Guardiola que, surpresa, também as tem e que me abstenho de focar porque são publicamente conhecidas.
    Quanto a Messi recordo-lhe as cuspidelas nos adversários e o remate que fez dirigido ao público do Bernabéu.
    Claro que escuso de dizer que tenho simpatias pelo Real Madrid por antagonismo ao Barça, pois foi em Camp Nou que nasceu o famoso grito xenófobo do “este português filho da puta es” e dos insultos aos portugueses que trabalham no Real, apenas porque são portugueses.
    Recordo-me também, de um artigo no Sport, jornal desportivo catalão, onde se via na primeira página as fotografias do Ronaldo e do Mourinho a encimar um inquérito onde se perguntava qual dos dois “portugueses” era o mais odiado de Espanha.
    Mais actual, aconselho-o a ler o artigo no El País de hoje, sobre a saída do Pep Guardiola do Barça.
    Afinal, como diz Mourinho, “somos iguais”, ele e Guardiola, só que um assume aquilo que diz e o outro não assume o que faz.
    Cumps,

    • Gabriela says:

      Fala-se aqui de futebol e não de preferências. E nisso o Méssi e Guardiola são bem superiores!

  4. António Fernando Nabais says:

    Caro Luís

    Também eu, em parte, discordo de mim, se me é permitido. Sei que não há perfeição e que estamos todos condenados a ser, na melhor das hipóteses, pouco estúpidos. Tirando isso, é claro que Messi nem sempre se porta bem, mas há poucos jogadores que não tenham cedido a instintos animais. Também é verdade que falta a Guardiola mostrar que é competente fora do Barcelona, pelo que tem muito que andar até chegar ao currículo de Mourinho.

  5. Daniela Major says:

    Apoiado António Nabais, excelente post. Guardiola é um senhor do futebol que ensinou a todos os que prestaram atenção que apesar do futebol ser um jogo competitivo e onde o dinheiro é cada vez mais a palavra de ordem, há uma série de valores morais inerentes ao jogo. É isto que distingue Guardiola.
    Quanto à reposta do Luis. Independentemente do valor que têm, não há dúvida nenhuma que Mourinho e Ronaldo são odiados pelos catalães. Mas não só pelos catalães. Há muitos adeptos do próprio Real Madrid que não gostam da atitude de treinador e jogador (a própria Marca fez uma campanha contra Mourinho). Afinal de contas, já houve portugueses no Barcelona nos anos recentes (Deco) e noutros clubes espanhóis (Atlético de Madrid por exemplo) e sempre foram bem recebidos pelos espanhóis em geral e catalães em particular. Em Espanha, o que me parece, é que Ronaldo e Mourinho contribuem para os insultos aos portugueses e não o contrário. Há jogadores do Real que são muito respeitados na Catalunha: Casilhas, Alonso. Quanto ao comportamento de Messi: dentro de campo todos os jogadores se passam. Mesmo assim Messi em geral tem um comportamento bastante correcto (a bola contra o público foi num jogo contra o Real Madrid onde os animos quase sempre aquecem). Fora de campo contudo, não há dúvida que o seu caracter é discreto, humilde, e que tem um amor enorme ao clube.


  6. E cá temos o Joaquim Evangelista…
    Bom artigo.

  7. Jaime Grilo says:

    O Luís bem que tentou apontar razões sobre a imperfeição de Guardiola e Messi, mas as palas anti-Mourinho e Ronaldo falam mais alto.
    Também eu acho Guardiola um treinador fantástico e Messi um fora-de-série, mas não ver a qualidade de Mourinho e de Ronaldo, só porque são arrogantes ou, qui ça, porque Mourinho ganhou títulos pelo FC Porto e Ronaldo pertenceu à formação do Sporting CP. Estou mais inclinado para esta esta segunda hipótese.

  8. Jaime Grilo says:

    Em adenda ao que acima disso, e a julgar pelas respectivas páginas do Facebocas do António e da Daniela (são ambos simpatizantes do SL Benfica), desconfio que o sentimento anti-Mourinho e anti-Ronaldo é mesmo mais pela segunda hipótese que escrevi, sendo a arrogância apenas o pretexto.

  9. Jaime Grilo says:

    No comentário anterior, onde se lê “acima disso” leia-se “acima disse”.

  10. MAGRIÇO says:

    Caro Jaime Grilo, não me parece que os seus comentários sejam muito justos, já que em qualquer dos casos que refere(é só ler com atenção) se faz referência às qualidades profissionais de ambos os visados. A tentativa de atribuir uma crítica mais do que justa a meros despeitos clubísticos, vai-me desculpar mas não considero muito isento. É esse género de atitudes excessivamente fanáticas que leva ao extremar de posições entre claques ou meramente simpatizantes. Eu gosto do futebol desporto mas detesto futebol negócio e radicalizado, onde se dá azo às frustrações pessoais e ao que de pior a Humanidade, infelizmente, ainda conserva.

  11. Jaime Grilo says:

    Caro MAGRIÇO
    Eu disse “estou mais inclinado para” e “desconfio que”, não afirmei que era essa a razão de, em comparação, se afirmar que Guardiola é melhou ou mais íntegro que Mourinho, o mesmo a respeito de Messi e Ronaldo.
    Mas, tal como Mourinho e Ronaldo não são santos (têm virtudes e defeitos), também Guardiola e Messi não o são.
    Apenas acho estranho dizer-se que Guardiola e Messi são melhores que Mourinho e Ronaldo porque estes últimos são arrogantes. São bons, mas arrogantes e vaidosos.
    Há coisas que se passam e que não são do conhecimento do público em geral…
    Eu gosto muito de todos eles. Para mim, são todos fantásticos. Cada um à sua maneira.

  12. António Fernando Nabais says:

    #11
    Tem de ler com mais atenção: nunca pus em causa as qualidades profissionais de Mourinho e de Ronaldo. Escrevi sobre a nobreza, as atitudes. De resto, penso que, como futebolista, Messi estará uns milímetros acima de Ronaldo; por outro lado, Guardiola ainda tem de ganhar muita coisa fora do Barcelona para se aproximar do currículo brilhante do Mourinho.
    Sou benfiquista, mas procuro não ser primário, como se pode ver por estes dois textos: http://aventar.eu/2011/03/08/primeira-pagina-de-a-bola-lamentavel/ e http://aventar.eu/2011/04/04/benfica-o-tamanho-e-importante/

  13. maria celeste ramos says:

    Todos estes “notáveis” não deveriam pelos lugares e notoriedade a que chegaram ter “lições de afinação de comunicação”??? Para já Jorge Jesus devia aprender a falar sem estar sempre a “arrotar” – até os deputados têm liçôes de projecção da voz – como teve Churchill – como têm os homens do teatro + etc – como se chama o livro de etiqueta da srª Bobone ??? Por acaso os próprios jogadores que falavam e era uma desgraça e nem português falavam – estão uma maravilha comparado com anos atrás – e alguns treinadores têm um português impecável – já evoluiram muito – andam é devagar e se calhar sem pensarem que não basta andarem bem vestidos

  14. Jaime Grilo says:

    Caro António

    O que o amigo fez foi o tão chamado “passar o mel pela boca e o rabo pelos tojos”.
    “José Mourinho e Cristiano Ronaldo são profissionais extraordinários e estão entre os melhores do mundo, mas…”
    “raramente conseguem esconder o arruaceiro ou o vaidoso que estão dentro deles.”
    “Também fora de campo, Messi é melhor do que Cristiano Ronaldo, convencido de que é perseguido por ser rico e bonito.”

    Depois, quanto a Guardiola e Messi, apenas teceu loas, como se não tivessem defeitos.

    Porque razão Mourinho e Ronaldo são assim tão arrogantes? Os portugueses são os mais massacrados em Espanha, quer pela imprensa, quer pelo público. Veja-se o caso dos lasers e objectos atirados a Ronaldo durante os jogos fora do Bernabéu… é natural que reajam. E é essa reacção que passa. A má.
    Serão mais impulsivos que os outros? Talvez… Mas porquê? Veja-se o que tem acontecido nos encontros entre o Real Madrid e o Barcelona nos últimos anos e veja-se quem têm sido os “manhosos” e os beneficiados pelas arbitragens.

    A imagem que passa é que Ronaldo é um puto mimado, rico, que só tem atitudes de puto. A parte da nobreza deste “puto”, como acções de caridade que faz desde os tempos do Sporting, isso são pormenores para esquecer. O Messi é que é nobre, porque não faz gestos… espera! Afinal sempre faz…
    http://youtu.be/zPNALZxmvGo
    http://youtu.be/W2LlyGOcixo
    Afinal sempre é humano… Ora bolas!…

    O seguinte vídeo ilustra, segundo o seu autor, as razões porque Ronaldo é odiado pelos de Barcelona (já desde jogador do Manchester United):
    http://youtu.be/O5LkE1hXph8

    O defeito de Cristiano é não relevar as provocações. Vejam este vídeo, onde Cristiano empurra Guadiola. Porquê? Vejam…
    http://youtu.be/Tyq_vhWkD7I

    Dois grandes treinadores, dois grandes jogadores. Quem é melhor? Fica ao critério opinativo de cada um…

  15. António Fernando Nabais says:

    #14
    Os vídeos que publicou são tão facciosos como muitos outros publicados por adeptos do Barcelona, onde se mostra os jogadores do Real a agredir jogadores do Barça ou o Messi a passar por vários jogadores. A argumentação das arbitragens manhosas é, demasiadas vezes, usada por quem perde (o caso do Benfica é sintomático: não soube ganhar o campeonato e põe culpas nas arbitragens). De resto, é verdade: são dois grandes treinadores e dois grandes jogadores.

  16. Jaime Grilo says:

    Claro que os vídeos são facciosos. Mas o que lá é mostrado é real. Messi não é um “menino de coro” e Ronaldo é muitas vezes “picado”.
    O contrário também é válido, mas isso já vocês sabem e viram, por isso não incluí esses vídeos. Apenas incluí aqueles que parciam ser do desconhecimento de quem coloca Messi e Guardiola num pedestal.

  17. Jaime Grilo says:

    Onde se lê “parciam” deve ler-se “pareciam”.

  18. JOSE says:

    O que distingue as pessoas inteligentes dos medíocres é a sua capacidade de análise crítica, sem nacionalismos ou clubismos bacocos é isso que o António Navais e o Magriço mostram, já o Luís é incapaz e formular um juízo crítico sem mostrar o sentimento recalcado de inferioridade.
    Se a gente está envolvido no futebol, dirigentes e jogadores tivessem a postura do Pep Guadiola e do Messi Seguramente que teriam muitos mais adeptos, a começar por mim. Obrigado Guardiola por me teres proporcionado momentos extraordinário

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.