Infante D. Henrique – O Navegador

Apesar de realizado no âmbito do triste concurso dos Grandes Portugueses, ganho, relembre-se, pelo não menos triste Salazar, há partes deste documentário que são aproveitáveis para discorrer sobre o Infante D. Henrique. É uma questão de fazer a montagem respectiva.

Tema 5 – Expansão e Mudança nos secs. XV a XVI.
Unidade 5.1. – A Abertura ao Mundo

Comments

  1. Maquiavel says:

    O Infante D. Henrique foi uma personagem polémica, até odiosa (virou-se contra um dos irmäos, João, e deixou morrer outro, Fernando, em cativeiro), que foi alvo de uma tremenda lavagem de imagem por Zurara nas “Crónica dos feitos da Guiné”–encomendada pelo próprio Henrique e baseada nas suas memórias–que é um tremendo panegírico ao Infante.
    Descoberto apenas em 1839 (em Paris), a Crónica continha no frontispício a imagem do “homem do chapeläo”, que se assumiu na altura ser a do Infante, personagem central da narrativa, e näo se conheciam outras imagens anteriores, aparte a da sua tumba na Batalha, onde näo tem bigode.
    Investigaçöes sobre os ditames da moda europeia revelam que o “homem do chapeläo” mais näo é que o rei D. Duarte (já de si um tardio adoptante da moda), que usava bigode, e morrera em 1438. Outro facto é que o normal na época era de colocar a imagem do rei no período a que reportava a crónica, e com efeito ela inicia durante o reinado de D. Duarte
    No entanto, o panegírico levou à reavaliaçäo dos painéis de S. Vicente de Fora: sendo a mesma figura do livro central nos painéis, só podia ser o mesmo D. Henrique, e os painéis outra consagraçäo do Infante, como a de Zurara.

    A verdadeira imagem do Infante encontra-se nos painéis de S. Vicente de Fora, no “Painel dos Cavaleiros” (que mais näo é que o painel do resto da Ínclita Geraçäo, estando D. Duarte, já representado noutro painel), aquele ajoelhado, que corresponde à tumba, e a descriçöes coevas, incluindo a de Zurara (cabelo branco, etc.).
    http://en.wikipedia.org/wiki/File:Alternative_Henry_the_Navigator_%28St._Vincent_Panels%29.jpg
    http://en.wikipedia.org/wiki/File:Alternative_Henry_the_Navigator_%28St._Vincent_Panels%29.jpg

    Com efeito, Nuno Gonçalves quis pintar um retrato muito desfavorável do Infante (ajoelhado, desconjuntado), mas que näo correspondia à imagem de “Grande Português” que se tinha desde o reinado de D. Manuel–que se ocupara de recuperar a sua imagem do seu “avô adoptivo”. Daí a interpretaçäo errónea. A profusa utilizaçäo da figura pelo Estado Novo no contexto do “passado glorioso de Portugal” fez o resto.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.