Nuno Crato prescinde de ser Ministro da Educação

Embora tenha criado, ao longo dos últimos anos, uma imagem de rigor, Nuno Crato limita-se a tomar decisões importantes, usando de uma enorme leviandade com a educação dos jovens portugueses, talvez porque ser um assunto que não lhe interessa, uma vez que é Ministro da Educação de direito e não de facto.

Durante a apresentação de um livro de José Azcue, em que o autor, segundo parece, defende a importância das turmas pequenas, Nuno Crato volta a proferir uma série de disparates, regressando à argumentação de que antigamente até havia turmas com mais de trinta alunos.

Com a falta de rigor e de preocupação que o caracterizam, ainda diz coisas como: “quando se está a fazer experiências de laboratório, convém que a turma seja mais reduzida, mas se se está a dar uma lição sobre outro assunto qualquer pode-se facilmente ir aos 30 [alunos] que não vai haver problema nenhum”.

De Nuno Crato já só espero que saia do Ministério da Educação o mais depressa possível. Enquanto não sai, gostaria que nos explicasse por que razão as turmas não podem ter 35 ou 40 alunos.

Comments

  1. maria celeste d'oliveira ramos says:

    com Crato tudo é esperável – avariou

  2. Porque não cabem nas salas – só por isso.

    • António Fernando Nabais says:

      Olha que cabem e nem é preciso apertar assim tanto: não pode é haver espaços entre as mesas.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.