Penálti sr. Árbitro

Escrever sobre bola é sempre um momento muito delicado em terras lusas – como alguém terá dito um dia, o futebol é a mais importante das coisas, de todas aquelas que não têm interesse algum.benfica

Mas, em Portugal há uma forma muito estranha de ver futebol – muito pouca gente vê futebol e quase todos, com umas lentes coloridas, observam apenas o que o coração quer ver, mesmo que os olhos teimem em mostrar uma realidade diferente.

O Sport Lisboa e Benfica só foi grande porque Salazar queria. Mais tarde, outros ganharam, apenas e só porque a fruta era de qualidade. De um lado ignoram-se craques como Jardel, Falcão ou Hulk e do outro, jogadores como Oblak, Aimar, Saviola ou Enzo não eram suficientes para se esquecerem colinhos e túneis.

Nos tempos mais recentes, o JJ mudou de lado, lá na BCI da mouraria e assiste sentado e em silêncio aos comentários do seu patrão, que um dia atrás do outro, insiste em dizer que todas as vitórias que Jorge Jesus teve vestido de vermelho, se deveram às caixas do Eusébio. Já agora, uma nota de interrogação: não há por aí uma só alma jornalística que pergunte ao JJ o que pensa ele desse comentário do patrão?

E, chega todo este paleio redondo aos vossos ecrãs, porque o fim-de-semana foi fértil em erros de arbitragem. Jonas saltou para uma falta inexistente, a mesma falta que levou Maxi ao chão.

Depois de Paços de Ferreira, a corrente azul nas redes sociais encheu espaços e posts com comentários ao erro – escândalo, colinho, reclamam! Hoje, depois da queda do Maxi, nem uma. Nem um só a dizer: sim. O árbitro errou e o meu clube foi beneficiado com esse erro.porto

Seria normal ter esse comportamento, mas, mais normal ainda, será aquele dia em que os árbitros não vierem a ser notícia.

Não. Não é impossível.

Sigo a Liga Inglesa semanalmente e acompanho também o que se vai dizendo e escrevendo sobre a melhor liga do mundo. E não se vê, apesar dos erros, nada do que por cá se assiste. É mesmo uma questão de cultura. Por cá, um árbitro erra, é um corrupto, um vendido. Não é apenas um homem que erra.

Ou antes, se erra contra o BENFICA, é um gatuno, gritaria eu. Se erra a favor, acontece, se calhar não viu, o teu clube também teve, falas deste e não daquele na Madeira, contra o Nacional

No dia em que me passar pela cabeça que os árbitros se vendem, deixo de seguir a bolinha. Não quero, com isto dizer que sou anjinho ao ponto de imaginar que a corrupção ou o doping não existem na nossa bola: que diabo, eu vi o que foi o problema do Mozer e do Hêrnani ou o vídeo do Casagrande. Eu vi os vídeos do apito dourado e não fui na viagem do Sr. Calheiros. Mas, não pode ser por aí.

Só a mudança de paradigma poderá ajudar o futebol português a melhorar.

Caso contrário, vamos andar sempre nisto – mais queda, menos queda, é penálti sr. Árbitro.

Até ao dia em que eles desistem.

Comments


  1. Permita-me concordar |||

  2. Nightwish says:

    Uma entrada com a sola é penalty de qualquer forma, tenha ou não tocado na bola. Ainda por cima depois de se esquecer de assinalar lançamento antes do primeiro golo.


    • Sim, foi. Tanto como o do Jonas. Mas o que é que o lançamento tem a ver com o Maxi? Será que então não era falta e foi para compensar?

      • Nightwish says:

        Significa que com aquele senhor (e com muitas outras arbitragens desde o Ricardo Costa) é para o lado que durmo melhor.

  3. Nicolau Silva says:

    A unica coisa que me admira é os adeptos portistas não apoiarem a equipa nas horas difíceis, ouvia se um coro de protestos até ao momento em que o porto passou para a frente. Só a partir daí se ouviu as bancadas a cantar. No meu clube “Benfica” a equipa é apoiada do primeiro ao último minuto, por vezes com um nó na garganta mas é isto ser benfiquista…..nos bons e nos maus….. momentos. ..


    • Viva, meu caro, o autor do post que agora começa por agradecer o comentário, é sócio do Sport Lisboa e Benfica. Não era esse o ponto da minha reflexão. No entanto, não sabendo o que se passa nos outros estádios, sim, há verdade na sua afirmação. A forma como o público se levantou quando perdemos por três com o Sporting foi histórica.

      • Ricardo Santos Pinto says:

        Pois não, o ponto da tua reflexão é fazer notar que os adeptos do Porto que criticaram a arbitragem do Benfica nada dizem agora sobre a arbitragem do Porto. Daí escolheres a dedo 2 imagens e 3 links para vincar o teu ponto.
        Curioso que não te surpreenda – e que não ilustres devidamente com imagens e links – que adeptos do Benfica que agora criticam a arbitragem do Porto tenham estado caladinhos aquando da arbitragem do Benfica.
        Se era uma tentativa para mostrares que consegues ser imparcial no futebol, valeu pela tentativa. Lamento, não conseguiste.


        • Imparcial? Isento? Isso não existe e não quis escrever sobre isso, mas como os textos são e quem lê e não de quem os escreve, é uma leitura possível, embora discorde. Em momento algum quis ser imparcial. Só procurei, com factos, mostrar que por cá não ser gosta de bola. Apenas de clubes e por isso vais tudo. O que é válido para azul e para vermelho. Agora imparcial não. Nunca. Parcial e vermelho. Sempre.

  4. Afonso Valverde says:

    É uma excitação!!! Viva o negócio da bola. Excelente negócio para angariar morcões. Divirtam-se


  5. https://scontent.flis1-1.fna.fbcdn.net/hphotos-xtf1/v/t1.0-9/12745943_1133624219989284_601833388612015521_n.jpg?oh=28d44b97ef755d987a2932e3ee5df3e5&oe=5771A487

    Entrada de sola de pé direito, travagem do pé de apoio com o pé esquerdo… Não, não é penalty… Qual a parte da regra do penalty que tu não percebeste, João Paulo?! Abraço


    • Mas… achas mesmo que foi falta? Estou esclarecido. Aliás, durante 8 anos defendi que as quedas do Maxi dentro da área – sim, algumas nas proximidades – eram falta.
      No entanto, o meu ponto não é esse – nós não falamos do cruzamento (com bola fora, é verdade!) que deu o 3º golo no Dragão, das dificuldades defensivas da defesa do porto na primeira meia hora, das fragilidades de jogo sem bola do Renato ou da fragilidade do Samaris em conquistar as segundas bolas. Não. Tudo se resume às coisas dos árbitros e, como joguei muitos anos à bola, sei, muitas vezes, como é “fácil” enganar os árbitros.
      JP

  6. Konigvs says:

    Emitir opiniões sobre futebol (tal como sobre política por exemplo) é sempre complicado se à partida nos conhecem as simpatias. Fui comentando no blogue Jogo Jogado da TSF (que encerrou portas sem que, nem uma satisfação fosse dada a quem por ali andou uns anos a participar) mas nunca revelei a minha simpatia clubista. Porquê? Porque sabia desde logo que, se a revelasse, de imediato tudo que pudesse argumentar já estava condicionado, como se eu não conseguisse ser imparcial. E o meu maior regozijo, foi ter sido acusado, alternadamente, de ser portista, benfiquista e sportinguista, conforme eu fosse escrevendo sobre os defeitos/virtudes de cada desses clubes. Porque não cabe na cabeça de ninguém dizer mal do seu próprio clube. Nem pensar! Adepto que se preze é burro, ou faz-se de burro e só vê os penaltis mal marcados a favor do adversário! Como disse um célebre treinador do Belenenses há uns anos: “O desportivismo é uma treta”.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.