Temos contas para ajustar, senhores banqueiros

big-fish

Caros banqueiros deste nosso Portugal, temo apresentar-me perante vossas excelências como portador de más notícias. Tudo indica que os senhores andaram a viver acima das vossas possibilidades, apesar do péssimo trabalho que vêm desenvolvendo, o que levou a que fôssemos forçados a disponibilizar-vos uma considerável fatia das nossas parcas economias, pelas quais pagamos juros altíssimos, sem falar em todos os cortes e aumentos de impostos que vieram por arrasto.

Vai daí, e depois de tantos anos a sustentar os vossos Bentleys, Rolexs e Zegnas, as vossas “férias” nas Bahamas e no Panamá, as vossas viagens de “negócios” para o Luxemburgo e para a Suíça e os casamentos de luxo das vossas filhas, chegou a hora de fazermos contas e de pagarem o que nos devem. Como somos gente de bem, pacífica e sensata, seremos magnânimos e garantiremos, a todos vós, um salário mínimo e uma habitação social numa localização à vossa escolha. Se milhares de portugueses conseguem sobreviver, alguns com muito menos, vocês, habilidosos que são, também vão conseguir. Depois é uma questão de empreender e, num ápice, estão de volta à casa de férias na Comporta. O resto, pelo menos até que o vosso calote seja saldado, é nosso. E mesmo assim não deve chegar.

Comments


  1. Sendo MUITO complexa as questões sobre a BANCA ; pelo menos fazem-nos crer nisso … será para nos enganar?, ao reflectir no que se disse e diz fico perplexo.
    Constou-se que o 1º Sinistro, ao tempo, não atendeu o telefone ao DR. Salgado quando este pretendia ajuda do governo para resolver o BURACO em que se????…NOS METEU com o seu grupo de “malfeitores”.
    Igualmente se constou que o Sectº. Estado Adjunto, creio que Carlos Moedas, tambem evitou, ou não falou, com o Dr. Salgado, quando este queria meter a cunha.
    Com excepção do BES, toda a banca foi aos DOZE MIL MILHÕES que a troika emprestou para aquele sector da economia.
    Os banqueiros cortaram nos salários e mordomias enquanto não liquidassem o dinheiro emprestado via Estado.
    Constou-se que alguns banqueiros, logo que devolveram o dinheiro ao Estado, foram imediatamente “sacar” os cortes que tinham sofrido e mante-los activos, como era hábito, continuando a receber chorudos prémios de boa Gestão (???).
    Um ex.-sectº de estado anda à cerca de um ANO feito vendedor de DEZ estrelas a vender coisa nenhuma e a sacar, ao que consta, €1.000,00/dia. E para terminar ; alguém sabe porque é assim tão IMPORTANTE a estabilidade do sistema financeiro, que já vai buscar dinheiro ao pó do bolso dos pobres, para pagar os desmandos da Banca? Qual foi a razão porque não foram atendidos os alegados pedidos do Dr. Salgado se era assim tão importante para estabilidade do “SISTEMA” financeiro. Alguém consegue explicar porque é que sendo a Banca privada, continua a pagar salários obscenos e mordomias e prémios aos ??EXCELENTES??? gestores e dividendos aos accionistas, e a conta de todos nós, contribuintes, a ser exaurida do pouco que consegue receber dos outros muito ricos? Bancos e Seguradoras entre outros potenciais “mendigos” dos GRANDES créditos, que depois fica…. mal parado. COMPLEXO E ESTRANHO!


  2. A boa gestão, o empreendedorismo, o empowerment, as boas práticas, o benchmarking deram nisto: a banca vira bancarrota e nós pagamos e “aguentamos”.

    Somos todos patriotas!

    Viva Portugal!
    Viva a Banca!
    Viva EU!

  3. Manuel Santos says:

    João Mendes
    Assino por baixo, sem rebuço, o seu escrito.
    Mas, nesta altura do campeonato (afinal, já passaram 41 anos), pergunto: os vigaristas têm todo o direito de fazer uso de todas as manigâncias que acharem úteis para os seus intentos ou não?! Têm… Não tem dúvidas, pois não? Ora, como com certeza estamos de acordo, não era mais apropriado substituir as personagens do seu escrito pelos políticos a quem, esperançosos por uma boa gestão da res publica, depositamos o nosso mais nobre acto político… o voto?… Por uma vida melhor?, não digo. Mas mais digna…
    Pode ser… para futuro


  4. Muitas vezes divergimos… mas neste tema e humor estamos em sintonia total

  5. Rui Naldinho says:

    ” Isso é pura inveja, João! Lembra-te que ela sempre foi má conselheira”

    Se só sabes trabalhar, e nunca aprendeste as artes mágicas de enriquecer, o que não me espanta porque o maior banco da cidade da Trofa é aquele no Jardim, em frente à Igreja da Senhora das Dores, … então volta para a universidade, inscreve-te numa Jota, de preferência da direita, pois é lá que está a massa, arranjas um padrinho na Administração dum Banco, e desenrascas-te.
    Mas não digas mal dos bancos, e muito menos, nada aos teus amigos, caso contrário, no dia seguinte é só filas à porta do teu padrinho.
    Como é que tu querias ser rico, banqueiro de profissão, se não sabes vender um CDS?
    Tu sabes o que é um CDS?
    Não, João. Não é a “Assunção Cristãs”, …
    é um Crédit Default Swap!
    Já alguma vez fizeste um CDA?
    Não, João. Não é nenhum partido madeirense!
    É um “Capital Dividend Account”…
    Não sabes o que isso é !?
    Deixa lá, eu também não! Mas deve ser mais um daqueles nomes pomposos com que os banqueiros nos fazem a folha…
    Já abriste alguma conta ou uma empresa num Off Shore, mesmo que fosse com o nome de um amigo, ali para os lados do nosso Ti Alberto João?
    Então, se não abriste, como queres enriquecer, se vais ter de pagar impostos no final do ano?
    Eu podia perguntar-te mais coisas, mesmo não sabendo nada, mas para não te cansar ficamos assim.
    Deus é justo com todos. Mas alguns são mais devotos. O Ricardo até tem uma capela já em casa.
    Lembra-te:
    “Não cobiçarás a casa do teu próximo, nem desejarás a sua mulher, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu burro, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo” (Ex 20,17)
    João, não ouses colocar os mandamentos da lei de Deus em cheque, … nem que seja um daqueles sem cobertura, do BPN!

    Cumprimentos
    “José António Saraiva”
    http://sol.sapo.pt/artigo/410047/a-inveja-dos-ricos

    PS: Deixa-me por aspas no nome do gajo, assim evito ser processado.

  6. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Caro João Mendes.
    Não tenho qualquer ilusão.
    Enquanto o Sr. Presidente da República que ainda anda em campanha não puser em causa o normal funcionamento das Instituições – caso da Justiça e das Finanças – tudo isto andará numa paz podre.
    É o único responsável que o pode fazer – e está dentro das suas responsabilidades e atribuições.
    O problema é que este presidente é um pouco mais do mesmo que temos tido para mal dos nossos pecados, defendendo com unhas e dentes um sistema podre e os seus apaniguados.
    E o que me custa é que há 70% dos portugueses que acredita nele… Tal como havia mais de 50% que deram quatro (4) maiorias absolutas a um ser como Cavaco, como PM e PR.
    Dá que pensar, mas já não admira.


    • Isto já é tão mau e o Ernesto ainda nos vem lembrar o Cavaco!!!!

      É pior a ementa que o cimento.

      • Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

        🙂 Mas não está tudo igual?
        Credibilidade financeira, estabilidade financeira, validação do Orçamento, juros da dívida pública, blá, blá, blá… Mudou o presidente, este aparece mais vezes e até se ri, mas diga-me o que mudou na realidade? O Salgado já tem ordem para sair do País. Andam aí a entreter-nos com o negócio do plasma e com outras vigarices, a passar um ar de credibilidade nesta podre justiça, mas aquilo que já levou mais de metade do empréstimo da Troika … nem sinal. E os causadores da catástrofe estão bem protegidos… E o presidente, o único que poderia dar credibilidade a tudo isto, dá entrevistas, entretém muitos meninos e assobia para o lado.

  7. joão lopes says:

    um dia o Tony Soprano exclamou o seguinte(ficção portanto):”ai eu é que sou o mafioso?” o episodio referia-se a trafico,venda de armas para o Iraque pela e ajudada pela CIA( e todo o episodio era uma bofetada de luva branca em relação a instituições publicas,bancarias,ou outras.lá esta ,geridas por mafiosos-ao contrario do Tony Soprano,pois claro)

    • Fernanda says:

      Um amigo dizia há bastante tempo que já não havia gangues de ladrões de bancos à velha maneira pelo simples facto de se terem tornado banqueiros.

      Razão tinha o outro, quando afirmava que o pessoal tinha de ser entrepreneur e encontrar janelas de oportunidades.

      Agora fala mais do Diabo e dos Reis Magos e deixou de ter piada.

  8. anónimo says:

    Eles roubavam porque o Banco de Portugal, em vez de fiscalizar a banca como lhe compete, andava ocupado a clamar, que os funcionários públicos ganhavam demais, que o salário mínimo não podia subir, e que era preciso alterar o código do trabalho.
    Mesmo quando o roubo era publicado e estava à vista de todos, o Constâncio não via nem ouvia nada.
    Portanto, o grande defensor da banca foi promovido para o BCE, onde mandam outros criminosos do mesmo calibre.

  9. anti pafioso diabrete says:

    se houver justiça a devolução do desfalque tem de ser a dobrar ,

Trackbacks

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.