As viúvas do outro senhor não mudam….

Ali para os lados do twitter anda a rapaziada a discutir umas coisas sobre o ex-presidente do Sporting e a namorada e o Big Brother Famosos. Entre os partidários de uma senhora intitulada “Pipoca mais Doce” e os partidários de Bruno Carvalho a coisa está mais bélica que a fronteira da Ucrânia. De repente, foi lançado um morteiro deste calibre:

O tempo passa mas as viúvas do outro senhor não mudaram nadinha. É o que temos.

Há pessoas a viver na minha mente

Se pensarmos bem, a leitura é uma espécie de alucinação positiva. Esta ideia circula pela internet com alguma facilidade pela sua natureza humorística mas, sobretudo, porque assenta numa lógica de realidade: é que passamos horas a ler livros, que são árvores transformadas enquanto temos alucinações, porque imaginamos coisas que não existem mas que, na nossa cabeça, parecem tão reais. 

Concordando com esta ideia, não posso deixar de pensar na forma como também a escrita é uma espécie de alucinação mas de uma forma mais concreta e palpável. É que somos nós, escritores, que criamos as condições para que os leitores possam alucinar com as nossas histórias. O processo para chegar aí… tem tanto de prazeroso como de, lá está… alucinante. 

[Read more…]

O sítio do Pica-Pau laranja

 

O PSD perdeu as eleições. Na noite eleitoral o seu Presidente foi, na minha opinião, ambíguo quanto à sua permanência como líder. Entretanto tem havido movimentações várias, umas noticiadas, outras não, sobre a vida interna do PSD. Rio vai embora, Rio não vai, Rio vai mas…..

Enfim, um barco encalhado, em que o comandante diz que só desencalha quando achar (tem mau perder, e quer condicionar tudo e todos, para tentar negociar com António Costa alguns assuntos, regionalização, por exemplo, pois quer ser mais um líder regional, perdida a hipótese de ser 1º. Ministro). Rui Rio, que se acha um homem providencial, quer definir o futuro do partido, pasme-se! 

Os eventuais candidatos Rangel, Pinto Luz, Montenegro, continuam no jogo táctico, qual ciclistas num velódromo, antes da última volta, a marcarem-se uns aos outros. O outro eventual candidato, Ribau Esteves, também quer ser líder regional e daí se ter atirado para o jogo.

O Chega e a IL agradecem.

António Costa assiste com um sorriso de orelha a orelha.

Capitalismo e crime

Credit Suisse, uma das maiores e mais poderosas instituições bancárias do planeta, é o centro do Suisse Secrets, o novo escândalo ético-financeiro que foi hoje revelado. Segundo a investigação do Süddeutsche Zeitung, o banco suíço terá servido de esconderijo para os milhões de criminosos ligados ao tráfico de droga, a violações gravíssimas de direitos humanos, a corrupção e lavagem de dinheiro. Se não servir para outra coisa, que sirva para que nunca nos esqueçamos que os bancos têm poder a mais para que os deixemos sem escrutinio. E enquanto permitirmos que instituições da dimensão do Credit Suisse sejam albergue das fortunas de ditadores e mafiosos, não manchadas, mas a pingar sangue, argumentando que os Estados não podem interferir no sector privado, a nossa capacidade de dar lições de moral aos regimes autoritários está e estará comprometida. E não é só na banca, e muito menos se resume ao Credit Suisse. É na energia, nas telecomunicações, nos fundos de investimento, na têxtil, na automóvel, na aviação e, claro, no futebol. Quem pactua com este estado de coisas escolhe um lado, e não é o lado da democracia.

Um tacho, é um tacho é um tacho….

Nunca fui meigo quando a coisa vinha do PS. Nunca serei meigo quando a coisa é obra do PSD. A fonte é o Observador, a realidade é portuguesa. E não há inocentes nesta matéria.