Rui Rio não descansa enquanto não acabar de vez com o PSD….

Um exemplo de estadista. Anda o mundo civilizado preocupado com a desgraça que se está a passar na Ucrânia, em saber se Putin está com o problema de o Tico não falar com o Teco e este nosso estadista veio chamar a atenção para o verdadeiro problema: esta merda vai-nos sair muito cara, as contas não vão ficar certas.

Que Rui Rio não se enxerga já muitos de nós sabíamos. Que o seu verdadeiro fito é acabar com o PSD só alguns desconfiavam. Que vá rápido e pela sombrinha….

Cuidado Lisboa….

#AmigosaEnviarCoisasBoas

O habitual cinismo do governo português

O que eu gostava mesmo era que Portugal, desta vez, agisse à altura das suas obrigações internacionais no combate ao branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, em vez de esperar sentado que uns quaisquer leaks, daqui a uns meses ou anos, venham revelar relações perigosas com cleptocratas. Cúmplices de um regime que está a matar civis no coração da Europa.„

Escreve Susana Peralta, no Público. Pois, eu também gostaria imensamente que, por uma vez, Portugal assumisse uma posição corajosa.

Mas do governo português, como sempre, só é de esperar o cinismo habitual, aqui demonstrado por Santos Silva na reportagem da RTP2, sobre as sanções a aplicar:

Não estou a par nem estou interessado em saber qual é a fortuna do presidente Putin ou do ministro Lavrov no sistema financeiro europeu (…);“

E quanto aos 431 “vistos gold” concedidos por Portugal a cidadãos russos, não, nada de investigar, só se estiver na lista, só se tivesse mesmo, mesmo, mesmo que ser.

A gula e a hipocrisia do governo português é vergonhosa, cínica e perversa.

O Equilíbrio do Terror #5 – Uma luz no interior do túnel

Lá em cima, nas ruas de Kiev, o carniceiro de Moscovo espalha o terror. Lá em baixo, na estação de metro convertida em bunker para os refugiados que não conseguiram sair da cidade a tempo, uma mãe de 23 anos dá à luz a pequena Mia, no cenário mais adverso. Uma luz de esperança numa cidade tomada pelas trevas.

Mesmo na hora mais sombria, a vida teima em resistir e enfrenta a tirania. Na criança que nasce no metro de Kiev, nas manifestações violentamente reprimidas nas principais cidades russas ou na Ilha das Serpentes, onde os militares ucranianos que a defendiam foram abatidos pelas tropas de Putin, não sem antes mandarem foder o regime.

“Mesmo na noite mais triste
Em tempo de servidão
Há sempre alguém que resiste
Há sempre alguém que diz não.…”

O Equilíbrio do Terror #4 – SWIFT: a bomba atómica financeira que pode eventualmente incomodar os verdadeiros donos disto tudo

Durante estes dois longos dias, muito se tem falado na possibilidade de utilizar a bomba atómica das sanções: banir a Federação Russa do SWIFT, um sistema integrado de comunicação de transacções transnacionais, que engloba mais de 11 mil instituições financeiras. O resultado prático da utilização deste nuke, long story short, seria a exclusão da Rússia do sistema financeiro internacional, mainstream, obrigando as suas empresas e bancos, bem como os seus fornecedores internacionais, e encontrar alternativas para as suas operações.

Diz quem percebe da poda que seria inútil recorrer a este instrumento de dissuasão, na medida em que Putin poderia optar, por exemplo, por criar uma cryptomoeda, ou aproximar-se ainda mais da China, que funcionaria como seu pivot na economia internacional. Mas eu, que percebo poucos destas podas, apesar de já ter assistido a umas quantas em Sobreposta, terei a ousadia de contrariar os especialistas. Por um lado porque Putin não invadiu a Ucrânia sem ter a lição bem estudada, como de resto nos vem provando, e já terá a crypto-opção em cima da mesa. Se nós temos esta informação, ele também a terá, prévia e devidamente estudada. Por outro lado, porque a aproximação à China está mais que consumada, como revelam os acordos para compra de petróleo e gás russo, firmados esta semana, para não falar na narrativa dominante na imprensa chinesa, toda ela controlada pelo comité central do PCC, assente na ideia de uma luta comum das duas potencias contra a opressão ocidental. [Read more…]

O doutor tasqueiro

Que maravilha. Adoro este discurso intelectual de tasca. Traduzindo para linguajar da Areosa:
“O gajo violou-a mas ela estava mesmo a pedi-las, aquela mini saia….”