Memórias do Pintarroxo (I)


Uma componente forte do Aventar será a colaboração, a nível de parcerias, com a imprensa regional. Com as Autárquicas no horizonte, algumas surpresas estão guardadas para o futuro.
A partir de hoje, dedicarei uma série de «posts» a José Pinto da Rocha, o «Pintarroxo», desconhecido jornalista regional de meados do século XX. Boémio, libertino, desregrado, doidivanas. Mas inteligente, sarcástico, divertido, fascinante e muito talentoso. A crónica social, a crítica mordaz, os problemas familiares do «Zé da Pouparelha», no seu trabalho de correspondente no jornal «O Progresso de Paredes».

«Hoje, dia de Entrudo, vamos comer um caldinho de azeite, porque estamos em dieta rigorosa. O médico que nos recomendou isto é um bocado azarento!… Mas, diz ele, que tenho os intestinos corrompidos de beber tanta vinhaça americana! Como tenho uma correia para apertar o estômago e vão arrancar as videiras, talvez melhore da barriga. Vou passar a beber vinho de seis tostões o quartilho, visto não poder beber água; basta falar-me nela para apanhar uma constipação! Se for obrigado a bebê-la, duro pouco tempo, e é uma pena morrer…»

in «O Progresso de Paredes», 5 de Março de 1935

Comments

  1. Helena says:

    A mim não me parece boémio, parece-me mais hipocondríaco… 🙂


  2. Mas era. Acredite.


  3. […] (continuação daqui) […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.