O equílibrio maldito


O que se está a passar com José Sócrates e Dias Loureiro é de uma gravidade extrema. Há muito que ultrapassou as circunstâncias pessoais ou mesmo funcionais das personagens, cavando cada vez mais fundo na credibilidade das instituições fundamentais da Democracia e do Estado de Direito!
Já não é o caso ou casos tomados “de per si” que minam os alicerces da Democracia, é este acumular de suspeitas, de miseráveis explicações, de esquecimentos, amnésias parciais e temporais, o que foi ontem deixa de ser amanhã, como de um encadeamento engendrado por mentes que nunca fizeram outra coisa. Escondendo-se no poder que exercem, fazem de conta que tudo não passa de campanhas negras.
Não sei se são campanhas negras, nunca me pronunciei sobre a eventual culpa de qualquer deles, mas já não é isso que realmente importa. Ou melhor, deixe-se a eventual culpa para a Justiça. O que importa, o que nos importa é que esta situação prejudica gravemente a nossa vida comum, a capacidade dos próprios de exercer as altas funções em que ambos estão investidos.
É isso que nos devia preocupar a todos. É isso que chama a atenção para o silêncio ensurdecedor dos partidos e das mais altas instituições do Estado.
O PS não se pronuncia enquanto Sócrates for o abono de família. Iniciou um movimento de ataque a Dias Loureiro tentando colá-lo ao PR e ao PSD, mas logo percebeu que isso íria tirar o PSD da sua “atitude de Estado”! Não se pronunciar enquanto o caso estiver nas mãos da Justiça. Mas não deixa de ter o assunto em “lume brando” na Comissão de análise ao caso BPN.
O que temos é PS e PSD “ligados como dois irmãos siameses” sabendo que se salvam juntos ou nenhum se salva. Ora, esta evidente cumplicidade só aponta para um caminho e para uma decisão. Vai tudo para o segredo dos arquivamentos. Mas quem fica “arquivado” para sempre é tambem o Estado e a sua credibilidade perante os cidadãos. Não há pior final!

Comments

  1. Adalberto Mar says:

    Muito bem Oh Luís, não queria estar de mal contigo nunnnncca!!!

  2. Carlos Fonseca says:

    Estou cem por cento de acordo com o que escreves. No dito ‘Estado de Direito’ é revoltante constatar a inoperância do sistema de justiça, deixando estes e outros figurões enriquecer ilicitamente, com prejuízos para o País e para milhões de cidadãos. Que república é esta?


  3. Olha mais um sinal do Bloco Central.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.