Imposto Europeu: Eureka!

A história conta-se assim: Vital pediu o coelho emprestado ao camarada Jorge e tirou da cartola a ideia do imposto europeu, anunciada ontem para além do Marão: – Porque não criar uma espécie de imposto sobre transacções financeiras. Ou levar uma fatia de impostos nacionais de todos os estados membros para o orçamento europeu.

Já em texto ontem publicado, eu tinha demonstrado que o papel do PE, em matéria de fiscalidade, se confina a poderes consultivos. Basta consultar o ‘site’. Mas, para além disto, que não é despiciendo, propor aos eleitores “levar uma fatia de impostos nacionais”, criando, também com essa alternativa, o tal imposto europeu, não lembra ao diabo, quanto mais a um político que pretende captar votos para o PS, ou para qualquer outro partido.

Para nos descontrairmos, encaremos o lado humorístico do episódio; e nesta perspectiva, parece que estou a ver o Capoula Santos, ao que penso director de campanha do PS, a ripar do telemóvel e sussurrar a Sócrates: – Oh Zé, então o Vital foi dizer em Trás-os-Montes que iria propor um imposto europeu!? Sabem qual foi a resposta de Sócrates: – Porreiro pá! Então, o Capoula começou a voar baixinho, porque o chefe é quem mais ordena.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    O Vital está mesmo convencido que ser prof. Dr. de Coimbra lhe dá carta de alforria em termos de política europeia.O Sócrates está desgraçado!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.