Poemas do lusco-fusco

No caminho do teu rosto
junto ao rio dos teus olhos
há sempre uma estalagem
onde paro
para beber um poema.

   (adao cruz)

(adao cruz)

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.