Madeira, a luta continua

Mais um episódio da luta dos resistentes anti-fascistas no território ocupado da Madeira.

Haveria mais frases para legendar este vídeo.

Há um estilo que me abstenho, a partir de agora, de alimentar: o sacudir o pó do casaco, o não tenho nada a ver com estes tipos do PND, mas.

A esquerda na Madeira passou a vida a encostar-se à igreja. A UDP (que se recusou a ser BE durante anos), perdeu-se com quem preferiu o encosto ao PS. O PCP ainda anda no embalo de outro sacerdote.

São opções. Respeitáveis.

Mas respeito muito mais quem tem tomates para levar porrada.

A versão cristã da resistência às ditaduras nunca foi o meu género. Achar que se pode combater Alberto João Jardim como quem concorre a eleições em Lisboa não deu Daniel Oliveira, nem dá.

Por isso abstenho-me de marcar distâncias com o PND madeirense. Marco-as sim com a UDP/BE e com o PCP.

Se fosse madeirense ou me tinha exilado, ou era aqui que estava.

A levar no focinho, que é para isso que o temos, quando ainda temos cara e dignidade.

Comments

  1. FMSá says:

    Subscrevo!


  2. E vão dois.

Trackbacks


  1. […] nisto fui salvo pelo José Manuel Coelho. Já tinha aventado, numa das vezes em que levou porrada, que o homem era a oposição que Alberto João merecia, dando aulas aos oposicionistas do […]

Deixar uma resposta