Ontem à noite…quem diria!

(pormenor - adao cruz)

Ontem à noite…quem diria!

 A poesia era o espaço entre a inocência e o dia, uma espécie de alforria e resgate da cidade, redimindo às portas da sorte o silêncio de mil noites. Vago sentimento de uma consciência acordada pelo gemido do vento, poesia real fundida e refundida, sensual e nua.

 A vítima que há dentro de nós procura sempre o amor na oculta complexidade dos processos, na constante empatia do sofrimento. Nada mais relativo do que o sofrimento, movimento de tudo, senhor do silêncio vivo que arde dentro do poeta.

 A poesia distorce a relação com a vida, abraça o sonho parasita do amor verdadeiro e cada um tem dos restos de si próprio a elegante ideia de uma identidade interior.

 A poesia é assim!

 Ontem à noite…quem diria!

Comments

  1. graça dias says:

    o sr não é pintor? tem uma fabrica a produzir quadros? bom industrial de quadros? e bom publicitário. – bravo, bravo sr adão o país precisa de pessoas produtivas.

    • Ricardo Santos Pinto says:

      O nosso Adão Cruz é médico, pintor, escritor e pai da uma Inclita Geração.

    • Luís Moreira says:

      Graça, o Adão, é mesmo uma pessoa muito capaz, muito acima da média.Como médico, pintor, poeta e como homem. Aprenda com ele em vez de fechar os olhos…

Trackbacks

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Blogue Aventar, Jorge Almeida. Jorge Almeida said: Ontem à noite…quem diria! http://bit.ly/bw3CyR […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.