A carga dos quase 300 000…

Quem diz à Inês de Menezes que as mulheres polícias são gente de trabalho?

Na Jugular conta-se a versão “porreira”. Estavam acabados de chegar ao Rossio, a beber a  cerveja da praxe, quando a polícia carregou, assim, sem mais . Corre que corre, olha se eu tivesse levado a minha filha de 5 anos, mas que não levei mas podia ter levado, quase sempre a levo, olha se a tivesse levado…

O meu amigo Vitor, estava no mesmo sítio, no Largo de São Domingos a beber uma jinginha com os camaradas do partido e topam um grupo de camaradas jovens a prepararem-se para atacar dois polícias, logo os acalmaram “camaradas, não façam isso, logo nas televisões só vão falar do vosso ataque e esquecem a manifestação dos 300 000…” Entretanto os dois polícias ao verem-se encurralados já tinham chamado por socorros.,

Mas como não há duas sem três, um comentador na Jugular vem dizer que um polícia levou uma cabeçada de um dos manifestantes, eram só dois polícias tiveram que chamar reforços…

De Paula Cabeçadas a 30 de Maio de 2010 às 16:02

Olá boa tarde,
Por mero acaso, e porque, depois da Manif, estava a beber a minha imperial nas Portas de Santo Antão, como de costume assisti, desde o princípio à cena de que aqui se fala.

Tenho pena que as pessoas que não testemunharam o que se passou façam juízos de valor precipitados.

Aqui fica o testemunho:

5 indivíduos completamente bêbados quiseram ocupar lugares inexistentes numa esplanada. O empregado disse-lhes que teriam de esperar até haver lugar.
Muito ofendidos, provavelmente quereriam que alguém saísse para lhes dar lugar, a 1ª reacção foi chamar “boi” e “corno” ao indivíduo que estava a atendê-los. Penso que trabalhador como eles. Durante cerca de meia-hora, esses indivíduos continuaram a ofender o dito empregado como a incomodar quem ali estava pacificamente a comer uns caracóis.

Alguém, entretanto, chamou a polícia. Apareceram dois PSP (daqueles que têm que pagar do bolso deles os coletes à prova de bala e o arranjo do carro quando batem… e que todos defendemos) que estiveram a falar com o grupo durante cerca de 10 minutos. A certa altura, um dos indivíduos (não o que passou minutos a ofender o empregado, mas um amigo) deu uma “cabeçada” num dos jovens polícias. De imediato foi algemado (se fosse polícia faria o mesmo).

Entretanto, um conjunto de pessoas que não tinham assistido a nada acharam que a melhor maneira de acabar a tarde era chamar fascistas aos polícias. A partir daí foi o caos.

Ainda tentei ir explicar o que se tinha passado. Impossível! Os carros da polícia já estavam cercados

E nós que não estivemos nos 300 000, qual é a nossa versão?

Comments


  1. Eu sei que 300.000 custa a engolir. O resto são piolhices de quem quer denegrir o significado e a força de 300.000. Um aparte: se é verdadeira esta mulher polícia da foto, é uma provocação reaccionária.

  2. Luís Moreira says:

    Não estiveram 300 000 ,estiveram 100 000, dito por uma ex-sindicalista que teve como função, avaliar o número de pessoas. Agora, meu caro Adão, como é que a verdade é reaccionária é que uma suspresa!

  3. maria monteiro says:

    Claro!!! os números oficiais do dia 29 têm que ser inferiores aos números oficiais do dia 11. Nestas coisas o respeitinho é muito bonito

  4. Luis Moreira says:

    Não cabem 300 000 pessoas naquele espaço, caberão 150 000 e já é de amigo. O que eu acho piada é que recentemente com o Papa a conversa era ao contrário. Não cabiam 200 000…ai,ai.

  5. maria monteiro says:

    Eu bem vi o que vi. Testemunhei, no local as gentes que estavam nos dois recintos e na sua envolvência.
    A 29 fiz todo o caminho desde o Saldanha e… era um mar de gente. (previsto 200mil)
    A 11 peregrinei desde a Alameda … só peregrinando é que se dá conta dos acontecimentos e o cheio de nada não era cheio de coisa nenhuma mas sim cheio de… “fardas” muitas fardas (previsto 220mil)

    mas no real, bem no real, eu bem vi o que vi ….como sou pela igualdade de oportunidades todos têm direito a sonhar… «diz que são esperadas cerca de 80 mil pessoas na praça. Na Infante D. Henrique, nas ruas Augusta, do Ouro e da Prata, e na Praça do Município haverá seis ecrãs. O som chegará ainda à Praça da Figueira e ao Rossio. Estas estruturas permitirão a participação de um total de 220 mil pessoas.»

  6. Ricardo Santos Pinto says:

    Exactamente, Luis. Com o Papa vias milhões. Agora vês uns pequenos milhares.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.