E se o moço for culpado?

Não, claro que não. Claro que não tenho a certeza de que foi Renato Seabra que assassinou Carlos Castro. Não estava lá. O que sabemos acerca de uma eventual confissão terá sido soprado aos jornalistas pela polícia. E a polícia de Nova Iorque, como toda a gente sabe desde A Balada de Hill Street, não é de fiar. Ainda se o interrogador tivesse sido o Frank Furillo… Assim, nunca se sabe quais as reais intenções dos polícias.

O comportamento alegadamente suspeito do jovem pretendente a manequim, o sangue na roupa, a alegada tentativa de suicídio são tudo coisas que se podem explicar ou, não podendo ser clarificadas, podem sair da fértil imaginação de detectives com muito tempo livre ou dos poderosos adversários do ex-concorrente de programas televisivos. Uiii, que segredos não terá ele a revelar?

Não, não sei se Renato Seabra é ou não o assassino. Não estava lá. Não sei eu nem sequer as boas pessoas que, pelos vistos, sairam à rua na sua terra. Para, alegadamente, se solidarizarem com um eventual homicida. Se tiverem razão e o moço for inocente, podem cantar vitória. Se for culpado, quero vê-los a promover uma sessão de homenagem a Jack, o Estripador, Charles Manson, Ted Bundy ou o Estripador de Lisboa.

Comments

  1. Antonio de Almeida says:

    Desde sábado que faço uma pergunta, mas ninguém responde. Teriam os familiares, amigos e conterrâneos o mesmo comportamento face aos media, não entram aqui preocupações ou considerações de âmbito privado, mais intimas, que afectam o círculo mais restrito, dos que privam com o Renato, caso a vítima, no lugar do Carlos Castro, tivesse sido por exemplo uma editora de moda, com os mesmos 65 anos? É que poderíamos considerar à mesma o jovem ser um prostituto, assassino, apenas não diríamos que é gay.


  2. António falas no Renato como prostituto, mesmo se fazes essas acusações tendo por base apenas e só os relatos das gentes ligadas ao lobby gay. E se o Renato, que por acaso tem um pai ausente, viu em Castro um amigo que lhe estendeu a mão? Pois, é que fala-se muito (eu também) mas sabemos realmente muito pouco. Hoje à conversa com um insuspeito professor meu catedrático, que conhecia o C.Castro desde os tempo de Angola, fiquei a saber, que o Castro não é de facto essa boa peça que muitos dizem ser… Predador desde novo (palavras de um catedrático que pediu para guardar segredo).


  3. Não tem muito a ver.

    • Eduardo Pinto says:

      Se for um velho a comer uma miúda de 20 anos é um garanhão,mas se comer um miúdo de 20 anos é pedófilo, nojento, predador.

  4. Antonio de Almeida says:

    Aguardo! Mas como sabes, a minha opinião sobre o pessoal do mundo da moda, já não
    é famosa, quando entram estes que buscam a fama, piora um pouco.

  5. graça dias says:

    Perante tanta falta de senso, agora até já entro no humor- “se o moço for culpado” ?
    ” E se o moço for Culpado?”
    – foi o espírito do diabo!…
    E se o moço nao for culpado?
    – foi o espírito do Diabo!…

  6. de NY says:

    Explicam-me esta, gentinha de Cantanhede: Se o Renato realmente foi um inocente que reagiu de tal maneira quando o CC finalmente lhe pediu o recompenso da viagem, como é que voces explicam que ele dormiu SETE NOITES num quarto com UMA CAMA SÓ com o sr. Castro???

    Não pediu quarto para si. Não mudou de hotel. Não pegou taxi para o aeroporto.
    Ou até acham que o CC se fez de cavalheiro e ofereceu de passar as noites a dormir no chão para que o santinho Renato pudesse ter a cama sozinha?

    Acho que o inocente e ingenuo não é o Renato mas a gente que o defende.

    • Diana Ferreira says:

      Enfim, amigos do jovem acreditam que não era capaz de tal monstruosidade, é normal, visto a própria jovem que vivia a dois meses um romance com Renato Seabra e que sabia das viagens que ele passou a fazer ( Londres, Madrid e por fim Nova Iorque), mas o jovem nunca ter falado no Cronista Carlos Castro, enfim algo existia a esconder!? Ou não? Enfim na boca de todas as pessoas, relatam apenas que era um jovem sem qualquer tipo de problemas emocionais ou com estupefacientes!
      Mas o certo é que agora já se coloca a questão dos estupefacientes, visto ter cometido uma loucura!
      No meu entender algo o pode ter levado, mas para isso voltamos atrás um pouco, Não têm qualquer problema psicológico, nunca foi afectado com a separação dos pais, mas segundo a mãe olhava para Carlos Castro como pai. Vejamos então existe ou não algum problema psicológico. Sendo um crime com enormes contornos de raiva e ódio, podemos achar que uma pessoa “normal” cometer tal crime. O jovem referiu que achava ser homossexual, mas depois do crime cometido deixou de o ser! Estava com dificuldades em aceitar o que era?! Não conseguia admitir que poderia gostar de alguém do mesmo sexo que ele.
      Conclui-se que não podem dizer que ele estava bem a nível psicológico ou então voltamos a outra versão!
      Vendeu seu corpo para obter o que queria: fama, luxos e subir no mundo da moda! Ou outra perspectiva que é a de se ter passado por homossexual.
      Enfim este jovem além de ir cumprir uma pena em outro país, junto de 14 mil presos, 50 perigosos gangs onde a violência gratuita e até mesmo os assassinatos não são poucos. Pode se dizer que a partir do momento em que ele entrar na cadeia é que vai viver com todos os demónios e não vai ser fácil.
      Mais caricato é que realmente ficou muito famoso, sai em todas revistas, jornais, mas pela pior forma.
      Acredito que nas cadeias não exista a passadeira da fama!
      Tenho é “pena” da mãe!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.