Da cegueira…

Hoje os especuladores esfregam as mãos de contentes: com uma taxa de juro como esta (6,7%) até eu ficava eufórico!

O nosso país, hoje, ao colocar os quase 600 milhões de euros a uma taxa de juro desta grandeza (6,7%) vai pagar, por ano, só em juros qualquer coisa como 41 milhões de euros! Em Abril de 2010, para a mesma quantia, pagava 25 milhões de euros. Porreiro, pá!

Anda tudo doido…

O equívoco Alegre

-Inicio aqui a minha colaboração no Aventar. Deixando para trás as apresentações, começo por cumprimentar todos os autores do blogue, mas principalmente os leitores, sem os quais nada disto faria sentido. Ponderei o tema a escolher para este post, hesitando, acabei por me decidir sobre a eleição presidencial, mais concretamente Manuel Alegre e sua relação com o PS, partido onde milita desde 1974.

Almocei há dias com uma amiga, militante socialista, que me confessou estar incumbida de mobilizar os filiados na estrutura local a que pertence. Começou como habitualmente por enviar mails e sms, mas estranhou receber menos telefonemas de retorno que noutras ocasiões, até que constataram no primeiro evento realizado, uma apresentação em sala num Concelho dos arredores de Lisboa, adesão abaixo do mínimo expectável. A minha amiga terá efectuado a partir daí alguns telefonemas, mas encontrou de tudo um pouco, os que vão porque sim, não podem, sabem ou lhes convém recusar, mas outros menos dependentes ou assíduos, apresentam justificações como trabalho excessivo ou falta de saúde, que segundo a minha amiga, se percebe facilmente serem desculpa. Quando lhe perguntei a interpretação para o facto que me acabara de confessar, respondeu que os militantes do PS estão habituados a vitórias, as notícias de sucessivas sondagens com resultados desfavoráveis para Manuel Alegre, estarão a contribuir para a falta de entusiasmo que todos percebem nas hostes. [Read more…]

Afinal o FMI não se veio hoje

A direita ejaculou precoce, a direita quer os orgasmos todos aqui, já, agora e não chegam.

Mais tarde ou mais cedo vai-se vir com o FMI, a menos que por uma vez na História nos valha aquela mania do resto do mundo meter Portugal no mapa da Espanha e perante o impensável custo de continuar a dar de comer aos banqueiros por via do estado espanhol os boches se acautelem. Para todos os efeitos 20% do que Portugal pediu emprestado hoje foi comprado por bancos portugueses, felizes e contentes pelos empréstimos que receberem a 1%.  Foi bom não foi?

O cavaquinho lá se danou na agenda de campanha mas insiste: agora tenta capitalizar para si o legítimo ódio que o governo em função merece. Tivesse tomates e assumia que sendo reeleito o demitia. Mas só tem anonas. Nem sequer é pena, aquela parte que é das aves e das pessoas que com uma esmola consolam a sua sofrida consciência. É apenas a vida de um agricultor do Poço de Boliqueime que por alguma semelhança física com um outro, vindo de S. Comba Dão, chegou onde nem a nossa direita merece como castigo. A impressionante forma como anda caladinha só o confirma, e bem a compreendo.

Punir o Empobrecimento Ilícito

O Correio da Manhã iniciou uma campanha que visa criminalizar o enriquecimento ilícito.

Compreendo o alcance, mas parece-me insuficiente. Eu proponho punir o empobrecimento ilícito quando causado por grandes instituições e governantes.

Alarga-se o leque e pugna-se por um país mais decente.

Renato Seabra: É mais grave ser gay, prostituto ou assassino? (onde se assacam muitas das culpas aos beatos da Igreja Católica)


Pensei que não ia ter de voltar ao assunto, mas uma série de factos nos últimos dias deixaram-me perplexo. Nas redes sociais, mais parece que a vítima é o frágil Renato Seabra, criança indefesa que não teve força para suster os avanços do corpulento Carlos Castro. Para a família, que não, que não, o Renatinho não é gay. Ser assassino não tem mal nenhum, ser gay é que sim. Em Cantanhede, reza-se hoje uma missa a favor de… Renato Seabra. Não me enganei, é mesmo uma missa a favor de Renato Seabra.
Vamos por partes. Que é assassino não parecem restar dúvidas. Ele próprio já terá assumido o crime. É grave e merece um castigo exemplar, sejam quais forem as circunstâncias. Que é gay, ou pelo menos bissexual, também parece não haver dúvidas – o que não tem mal nenhum, a não ser para a família e para o próprio. Que é prostituto, está visto no verdadeiro objectivo que norteou a sua relação com Carlos Castro.
Foram dois os verdadeiros problemas de Renato Seabra. Primeiro, ter a cabeça cheia de preconceitos acerca da homossexualidade. A Igreja Católica, que frequentou durante muitos anos como acólito, encheu-lhe a cabeça com essa noção do pecado. Em seguida, não ter percebido – ou não ter querido perceber – que subiria na carreira com a ajuda de Carlos Castro, sim, mas mediante um pagamento. Não há almoços grátis. Aceitou seguir para Nova Iorque e dormir na mesma cama do cronista como se de um ser angélico se tratasse, como se nada soubesse sobre o que vinha a seguir. [Read more…]

Vou botar o meu voto no José Manuel Coelho

JoseManuelCoelho Onde botar o voto nestas presidenciais estava complicado.  O voto rege-se pela sua utilidade e necessidade,* e perante António Cavaco Silva só votando noutro gajo se fica com a consciência tranquila. Qual gajo?

Manuel Alegre foi demasiadas vezes deputado por Coimbra para não ter reparado nele. É da geração do meu pai na sua passagem pela aldeia universitária, quando deixei de o ouvir em ondas curtas continuou a ser um poeta muito pouco interessante para o seu tempo (convém lembrar que Herberto Helder é seu contemporâneo mas sempre escreveu poemas e não se lhe conhecem rimas para cantarolar), caçador, e aquela parte da voz ficou-se-me eternamente associada a coisas politicamente muito más quando passou a ouvir-se em frequência modulada. Voto numa segunda volta, sem urticária, mas irrita-me. Os tactitismos dos meus camaradas que continuam no Bloco de Esquerda são tacticismos muito pouco estratégicos, que é quando se faz da politíca um jogo de sorte e azar. Para a próxima espero que tenham sorte.

Fernando Nobre, que não é grande apelido para um presidente da República como Mário Alberto Nobre Lopes Soares percebeu ao deixar-se conhecer simplesmente por Mário Soares, li esta piada algures e copiei, escutei-o numa missa no Pátio da Inquisição quando a Marisa Matias e o Rui Tavares eram candidatos ao parlamento europeu e fiquei com a ideia de que não iria votar nele para a presidência da república se uns meses mais tarde lhe desse para ser candidato, julgamentos de Inquisição em seu pátio, admito, precipitado, aceito, mas sem dúvidas pelo menos para uma 1ª volta. [Read more…]

Sem vaselina… e de saca-rolhas

Afinal, passo a passo, vai-se confirmando o post aqui publicado em Novembro último acerca das novas medidas planeadas pelo Governo para as escolas.
Aqui em baixo, o Arnaldo já deu o mote, anunciando que na sua escola as visitas de estudo foram todas canceladas. Hoje, o Jornal de Notícias refere que todos os projectos vão ser suspensos nas escolas. Inclui-se aqui o Desporto Escolar, os Clubes, as Tutorias e até as Aulas de Apoio.
Como se referia no já citado post de Novembro, a redução da componente lectiva dos docentes pelo exercício de muitos cargos intermédios vai reduzir-se ao mínimo e a escola a tempo inteiro passará a ser um mito.
Pelo meio, Área de Projecto, Estudo Acompanhado e Formação Cívica já acabaram, os pares pedagógicos fazem parte do passado e Câmaras há, como a da Anadia, que estão a recusar continuar a assumir as AEC’s – Actividades de Enriquecimento Curricular.
De uma violência inaudita, este ataque à Escola Pública. Sem vaselina… mas com um saca-rolhas bem pontiagudo.

O Diário do Professor Arnaldo – O fim das Visitas de Estudo

Hoje, o meu Coordenador de Departamento avisou-me que todas as visitas de estudo previstas para o que resta do ano lectivo foram canceladas. Não há dinheiro no Agrupamento, logo não pode haver Visitas de Estudo que, pelo menos para os alunos mais necessitados, costumam ser pagas pela tesouraria da Escola.
No fundo, é uma medida que se compreende, embora não se goste dela. Não há dinheiro, não se pode fazer nada. Há que cortar em algum lado.
Só é pena que os ditos governantes de sucesso, aqueles que destruíram o país, estejam aí todos contentes e se preparem para um novo mandato na cadeira de Belém. Para que não haja dúvidas, era a esses que me referia no meu penúltimo post.

Por que se ri o Ministro das Finanças?


Portugal é obrigado a pedir ao estrangeiro mil milhões de euros de 2 em 2 meses, mas o Ministro das Finanças ri-se.
Portugal paga quase 7% de juros por esses empréstimos, mas o Ministro das Finanças ri-se.
Portugal aguenta-se sem ajuda internacional graças a regimes como o chinês, mas o Ministro das Finanças ri-se.
Portugal vai ter de pedir ao longo de 2011 20 mil milhões de euros, mas o Ministro das Finanças ri-se.
Portugal recusa-se a pedir ajuda ao FEF, adiando o inevitável e pagando juros altíssimos, só para que Sócrates se mantenha no poder. E o Ministro das Finanças ri-se.
Por que se ri o Ministro das Finanças? Por que se ri este pedaço de asno?

ser pai – ser amante – amar sem condições

pode-se ser pai ou pela paixão, ou por ventre alugado, ou por adopção

As palavras são semelhantes, as pessoas são diferentes. No entanto, uma está amarrada a outra, atada. Não amor de pai sem filho, não há filho sem mulher. Um facto é a condição do outro, como o sol que brilha no inverno e tiras-nos o frio, como as estrelas que cintilam ao longe. Não há filho sem mãe, como não há mãe sem homem nem paixão sem sol ou sem estrelas, que na intimidade da paixão, são capazes de engendrar uma nova criatura. Este triângulo de pai, mãe filho, tem um ponto de partida. A paixão diz aos que querem ser pais que sem o sol da paixão nem o cintilar das estrelas, é impossível dar da sua vida íntima e pessoal, o sopro de vida de um bebé que começa aos gritos primeiro, até o seu desejo de carinho estar calmo e satisfeito e a sua [Read more…]

Barca d'Alva – Fregeneda

Troço internacional da Linha do Douro (construído e pago pelos portugueses) Barca d’Alva-Pocinho, contando, nos seus primeiros 17 km, com 13 pontes e 20 túneis. O troço Pocinho-Barca d’Alva-Espanha encontra-se encerrado desde 1988. Este é o caminho mais curto entre o porto de Leixões e o centro da península, poupando cerca de 200 km à viagem via Linha da Beira Alta. Para lá de ligações anteriores, no mesmo tempo em que os Beatles faziam sucesso, circulavam aqui comboios directos Porto-Madrid…

Danger, El Corte Inglés

Sr. X, via unurth

Um Coelho no Pombal


A quase invisível campanha presidencial, deu hoje mais alguns exemplos daquilo que é a república portuguesa. Enquanto a conhecida faceta seráfica do sr. Cavaco Silva dava tratos de polé ao seu putativo principal oponente, chamando-lhe ignorante quanto a tudo e mais alguma coisa, o sr. Coelho da Madeira, acabou com as falinhas mansas. Nada mais nada menos, garroteia na Justiça e diz a alto e bom som, marcher pela Revolução Francesa – bonjour, madame guillotine – e que é necessário o regresso do Marquês de Pombal, possibilitando-se assim, uma reforma daquela senhora ceguinha que segura a balança. Em suma, se tivermos Coelho em Belém, podemos desde já contar com um incêndio na Trafaria, um avianço da omnipotente mão nos cofres do erário público, a liquidação daquilo que resta do ensino, a apropriação de terrenos para distribuir pela família e sobretudo, um erguer de forcas, muitas forcas.

Para aqueles que ficarão famosos no futuro, está desde já reservado um certo espaço quase ermo, situado mesmo ao lado da estação fluvial de Belém. Qualquer atrevido escolho aos desígnios do sr. Coelho, para ali será arrastado, a ainda carcaça viva colocada sobre aspas para se lhe quebrarem as canas das pernas, esmagados os ossos do tronco, desconjuntadas as articulações e finalmente, queimados em roda os despojos e atiradas as cinzas ao Tejo.

Com um bocadinho de sorte, ainda assistiremos a uma ressurreição de mortos. Como deve estar contente a malta do Afonso Costa! Coisas há, que não mudam.