RTP e Pordata, podia ser uma boa ideia

Ontem a RTP transmitiu a primeira de várias histórias baseadas em informação da Pordata e a ideia com que fico é que se esqueceram da parte jornalística da coisa.

Digo isto porque pelo que vi limitaram-se a debitar a informação que nós já conseguimos ver no site, que por sua vez já poderia ser consultada noutras fontes de informação como o INE, Banco de Portugal, etc.

Claro que é um trabalho meritório e como a televisão ainda vai tendo mais impacto que a internet serviu para mais pessoas ficarem a conhecer o trabalho excelente da fundação Fundação Francisco Manuel dos Santos. Mas o que eu estava à espera de um trabalho jornalístico era algo que relacionasse informação.

Certo, gastamos 3,5x mais (a preços correntes) em impostos do que há 30 anos atrás… mas, e quanto é que o estado gasta em serviço de saúde, educação, pensões? Acompanha essa percentagem? É proporcional ou não? Onde é que aumentou mais?
E que avaliação é que nós fazemos dos serviços que o estado presta, tem melhorado, diminuído?

Isso sim seria um trabalho que estaria à espera que a RTP fizesse. Para ver números descontextualizados já vou actualmente ao site da Pordata.

Comments


  1. Vi hoje a apresentação dessa reportagem. Informação tendenciosa e ultra sencionalista, e a jornalista usando frases como: “é muito dinheiro” ou “contra factos não há argumentos”.

    Também foi escandaloso a jornalista “lamentar-se” por haver impostos sobre o porte de armas e sobre a utilização do automóvel…

    E claro, há 30 anos atrás o pais nem estava tão infra-estruturado nem dispunha do mesmo número de serviços…A informação no seu pior..


  2. de facto, o grau 0 do jornalismo e o 20/20 da propaganda.

  3. miguel souss says:

    Concordo. Vi agora a noticia na parte do irs e…é muito fraquita. Mas é preciso ver que isto é numa televisão de grande audiencia, a maior parte dos espectadores mal faz ideia do que é a pordata. Nem querem saber desde que haja guito para ver o Benfica.