Repita lá: nove por cento?!

Com o trombetismo arauteiro do costume, informaram-nos acerca de um “chorudo negócio” que Portugal assinou com espanhóis e alemães, os eternos “caçadores de proximidade”. Explorar-se-ão jazidas de gás na costa algarvia e a dita prospecção custará aos estrangeiros, a “astronómica soma” de 30.000.000 de Euros. Enfim, uma quantia tão colossal que apenas se aproxima do montante regularmente pago quando da renovação da frota automóvel do Estado.

Poderão certeiramente argumentar de que nada percebemos destes assuntos e terão toda a razão do seu lado, exceptuando na questão do número em si: 9% (nove por cento)? Digam-nos uma vez mais, queremos entender.

Seria interessante explicarem-nos o porquê da ausência da GALP num assunto que devia ser monopólio nacional. Mesmo que a tal “Europa” não goste, existem sempre maneiras para se “fazer de conta” e gerirmos melhor os nossos interesses. Neste caso e como um certo senhor dizia, “em política, o que parece, é“. E é mesmo, isto tresanda a colonialismo do mais descarado, coisa que por cá já não se via deste os tempos em que o último vizir foi chutado para além do Estreito de Gibraltar.

Que pena não termos um Xá… Este também assinaria o contrato e aguardando na gaveta, lá estaria o futuro decreto de nacionalização. Parece-vos que os ingleses e os noruegueses nos imitariam, concedendo  prospecções quase grátis no Mar do Norte?

Comments

  1. como por cá se says:

    Então agora assinasse contratos sem saber quanto é que valem?
    Porreiro pá.

  2. MAGRIÇO says:

    Vergonhoso! É a confirmação que esta gente intelectualmente imberbe está empenhada na venda do país e, lamentavelmente, nem sequer pelo preço justo!

  3. Nuno Castelo-Branco says:

    Olhem, pelos vistos não sou só eu a ficar de boca aberta…

  4. jorge anyunes says:

    Já estava á espera de uma noticía destas era uma questão de meses.
    È a cereja pequena no topo do bolo.A vontade de ir ao pote era tão grande que teria que ser por negócios colossais que se previam e não pelo trabalho de corrigir desvios colossais.São as privitatizações a qualquer custo,para júbilo dos mesmos que nos “ajudam”,o gás no Algarve e por fim vai ser a ceraja grande do petróleo em Mira que também existe e em quantidade .Mas só vai ser divulgado quando o país estiver de rastos e vier a ser o Mega negócio para os mesmos do costume.Até lá lança-se o caos no país destroi-se a economia,e depois vendem-se gás e petróleo por uma tuta e meia.Daqui a uns anos e não são precisos muitos vamos ver esta gentalha que nos governa e se governa a estar principescamente bem de vida.O modelo norueguês de distribuiçao dos dívidendos do petróleo vai ser uma miragem em Portugal.
    Antigamente isto era alta traição á patria e seria julgada como tal.Condenar os portugueses a passar por aquilo que vão passar numa manobra fria e calculada é traição á patria .
    Quem não acreditar lembre-se do BPN e da Ground Force vendidas ao desbarato.E por que ninguém fala do ouro que Portugal tem, nem comentadores nem economista,ninguém á assunto tabu.Não somos obrigados a fazer esta politica recessiva com tanto ouro e a valer tanto.Não se vende porque não interessa a venda a quem nos “ajuda” e se tem o pretexto para as “reformas que são necessárias.”
    Numa afliçao o que fazem as famílias ?Vendem os aneis e ficam con os dedos.O governo corta os dedos e fica com os aneis.Fará isto sentido? Claro que faz mas com outra lógica.
    A mesma que poderão a vir julgados no futuro por Alta Traição á Pátria aqueles que nos governam hoje.

  5. Nuno Castelo-Branco says:

    Jorge e quem julgará isto? Já se imagina o que daqui sairá, ou seja, o fim do Estado português. Tudo isto é escandaloso e como costumo dizer, “ainda falam eles de Alcácer Quibir”! Como se não estivéssemos em situação bem pior…

  6. lara says:

    Meu caro amigo é assim em todo mundo!
    A GALP tambem explora petroleo no brasil!
    9% a nivel dos mercados mundiais e até é um bom negócio
    Ficou admirado porque nao sabe do que esta a falar!
    A nao ser que a sua ideiea seja nacionalizar!

    Nao se esqueça que para alem dos 9% do total explorado, as empresas exploradoras tambem tem que pagar impostos em portugal sobre os lucros da exploração mais taxas muncipais mais o aluguer dos terrenos
    Em vez de se lamentar invista voce numa empresa prospetora de petroleo

  7. Nuno Castelo-Branco says:

    Cara Lara, até seria uma excelente ideia, mas não tenho dinheiro para nessas coisas. E pelos vistos, quanto às minas de ferro em Moncorvo, estamos na mesma nos tais 9%. De uma receita de quase 60 biliões, acabaremos por encaixar pouco mais de 5 biliões, um “bom negócio”. Não me tome por tão parvo como à primeira vista lhe parece. Pensa que não estou informado acerca dessas percentagens? O que deixo em interrogação é se isto nos interessa.
    Bom, se leu o post até ao fim, verificará que falo nisso mesmo: Nacionalizar, nada mais, nada menos. Se estivéssemos ao nível de uma Noruega, este talvez fosse um negócio normal, como diz, mas hoje não estamos em situação de fazer favores a “empresas amigas”. O problema é que não temos um Xá para fazer o que mais nos conviria e depois tomar conta do assunto. É que isto pressupõe outras coisas. Fiquemo-nos com Cavaco ou o “pernas a dar a dar” Sampaio. Temos o que queremos.