Duarte Lima acusado da morte de Rosalina

duarte-lima_dn_cej

Por razões ligadas à minha carreira profissional, e sobretudo ao facto de ter tido relações profissionais e pessoais com Lúcio Tomé Feteira, a filha Olímpia e a secretária Rosalina Ribeiro, tive sempre particular interesse em apurar, com verdade, o desfecho das investigações policiais e judiciais das responsabilidades do assassinato de Rosalina.

Desde o início, e em face da evolução e multiplicação das notícias, as suspeitas sobre o ex-deputado laranja, Duarte Lima, foram-se adensando, até na própria sociedade portuguesa em geral.

A falta de explicações credíveis, as contradições e os truques de vazia argumentação usados na entrevista a Judite de Sousa, na RTP1, justificaram alguns ‘posts’ no Aventar, o último dos quais este, publicado em 24 de Setembro de 2010.

Como noticiado esta noite pela SIC, mas também pelo ‘Público’, o Ministério Público do Rio de Janeiro acaba de anunciar a acusação de Duarte Lima, comunicando a decisão à Interpol para efeitos de detenção do suspeito. Portugal não tem acordo de extradição com o Brasil, o que dará a Duarte Lima margem de manobra para se eximir de julgamento em tribunal daquele país.

Seguindo o tradicional princípio de qualquer suspeito ser inocente até julgamento final pela Justiça, fico a aguardar o desenrolar do caso; sobretudo também para avaliar se o Sistema de Justiça do Brasil é mais célere, em casos de envolvimento de políticos, do que o congénere português.

Comments

  1. Konigvs says:

    Que todos estes políticos não enriquecem pelo suor do rosto todos nós sabemos. Que Duarte Lima foi mais um dos políticos que enriqueceu muito rapidamente certamente à custa de uns “robalos” também sabemos.
    Que recebeu mais de 5milhões da senhora por “honorários” – quanto é que ele receberá à hora?!!! – todos já sabemos e que ele deve ter andado a chupar a velha até ao tutano.

    Agora ser capaz de elaborar um esquema manhoso, ao estilo do pior criminoso de espetar dois tiros na velha para ficar com a massa, ainda me custa a acreditar. Ainda para mais tendo o homem passado por um cancro e ter “ficado mais próximo da morte e dado valor às coisas mais importantes da vida”…

    Na volta estou só a ser ingénuo, e esta gentinha nunca sabe quando parar e quer sempre mais e mais dinheiro, e até de matar a mãe são capazes.
    Mas eu ainda prefiro acreditar que Carlos Cruz está inocente….

    Mas já agora: Obrigado Duarte Lima.
    Amanhã não se falará de FMI nem de crise, nem dos mercados, nem da Merkel e do Sarkozy

  2. Carlos Fonseca says:

    1) Falei de Duarte Lima porque tive uma relação profissional e pessoal estreita com Lúcio Tomé Feteira, Olimpia Feteira e Rosalina Ribeiro;
    2) Falei de Duarte Lima por força das contradicções e falta de credibilidade de alegações que o advogado utilizou: ir e vir ao Rio de Janeiro pelo aeroporto de Belo Horizonte até poderia ser normal se tivesse justificado ter tido afazeres nesta última cidade;
    3) Falei de Duarte Lima por este não se lembrar sequer da marca e cor da viatura com que fez mais de 1.000 km, alugado, afinal, a uma ‘rent-a-car’ de que era cliente há 3 anos e cujo nome também disse desconhecer;
    4) Falei de Duarte Lima, que se abotuou com mais de 5 M€ e parece que queria mais, justamente por transferência da conta da mulher que morreu;
    5) Falei de Duarte Lima porque até hoje ele nada fez – antes pelo contrário – para provar a sua inocência.Espero que a prove em tribunal;
    6) Falei de Duarte Lima por que com Carlos Melancia, António Vara, Jorge Coelho, José Sócrates, Dias Loureiro, Oliveira e Costa, Valentim Loureiro, Isaltino de Morais, Fátima Felgueira e muitos outros que para aí andam são os principais responsáveis pela queda do país nas mãos do FMI e UE.
    7) Falar do caso Duarte Lima – Rosalina Ribeiro não implica necessariamente esquecer ou ficar alienado da situação calamitosa do País, mas antes associando-o a esta última que, com as medidas governamentais, já me mereceram diversos ‘posts’.
    Duarte Lima não faz esquecer o problema da “ajuda externa” e vice-versa.
    POR ÚLTIMO QUERO DECLARAR QUE, DA PRIMEIRA VEZ QUE ESCREVI NO AVENTAR SOBRE O ASSUNTO, RECEBI UM COMENTÁRIO EM TOM DE AMEAÇA VELADA, REMETIDO DE UM IP DA UCP! Chega?

    • nancy says:

      Estimado Carlos Fonseca,
      Faco minhas as suas verdadeiras palavras.
      Falar da entrega do nosso pais a Troica e o mesmo que falar nesses todos que mencionou. Sao os responsaveis, como ainda muitos outros, por minarem o nosso rico pais pobre.
      A unica resposta a todos eles devia se chamar JUSTICA… caso exista algum dia
      Atenciosamente
      Nancy

      • Carlos Fonseca says:

        Nancy, Grato pelas suas palavras. Julgo que é um dever de cidadania denunciar e contestar estes casos. Um abraço, CF

  3. xico says:

    Há duas coisas que todos os portugueses deviam perguntar, e ainda não vi nenhum jornalista fazê-lo.
    O Sr. Duarte Lima foi acusado no Brasil do homicídio de uma cidadã;
    Portugal não extradita cidadãos portugueses, protegendo os seus nacionais:
    A vítima, ao que julgo saber, também era cidadã portuguesa. Que fez o governo português para proteger ou apanhar os culpados da sua morte? Não devia ser um imperativo das autoridades nacionais colaborarem com a investigação brasileira em defesa de uma vítima portuguesa?
    As autoridades nacionais sabem do paradeiro do Sr. Duarte Lima? Se não sabem, ele deve continuar a receber pensões do estado? (se é que as recebe.)

  4. Carlos Fonseca says:

    Xico,
    Creio que esta opinião de Saragoça da Matta (http://sicnoticias.sapo.pt/programas/edicaodanoite/article943337.ece), respondem em boa parte às questões que pertinentemente coloca.