Todos Contra Todos

Não Fui Eu Quem Propôs? Sou Contra!
Somos Um Povo de Rezingões
Ao longo dos dias, das semanas e dos meses, variadíssimas pessoas do governo, da oposição, das sociedades civis, anónimos cidadãos e outros menos anónimos, foram fazendo propostas para que eventualmente se melhore este ou aquele aspecto da nossa vida.
Por cada um que o faça, milhares de outros se manifestam contra.
Por cada medida que se implemente, milhares de pessoas, agrupadas ou sozinhas, dizem que não concordam, que é uma estupidez, que tudo vai ficar pior, que não pode ser feito assim, e as mais diversas opiniões e conselhos e exigências e ameaças são feitas por causa disso.
Por cada medida que se anuncie, uma greve é proposta. Por cada greve que se efective no actual estado económico do País, o País empobrece.
Veio o Acordo Ortográfico, meio País está contra o outro meio. Veio o acordo com a Troyca, meio País está contra o País todo. Não há dinheiro, todo o País está contra tudo e contra todos. Propuseram-se regiões, ninguém se entende. Aparece mais um buraco financeiro, todos apontam o dedo mas ninguém faz nada. O governo é rosa, a laranja e todos os outros estão contra, o governo é laranja, a rosa está contra em coro com os restantes. Muda-se o ensino, está mal, muda-se a saúde, está mal, tenta-se mudar a justiça, está mal, muda-se ou tenta mudar-se seja o que for, está mal, mas antes não estava bem e quem diz que não concorda com as mudanças não sabe propor outra coisa, e se souber, está mal. Todos ralham e se calhar ninguém tem razão.
Somos um País de rezingões, detestamos tudo o que não tenhamos sido nós a fazer ou a propor ou simplesmente a lembrar-nos. Detestamos tudo, inclusivamente detestar.
Sabendo que vivemos até há bem pouco tempo sem rumo, sem rei e sem roque, os mandantes deste nosso País, desde o chefe máximo do pessoal mínimo ao chefe do pessoal máximo, tudo têm feito para serem eles mesmos os reizinhos que nos irão levar a porto seguro, desde, claro, que os deixemos continuar sentados nas suas cadeiras do poder político, na maior parte das vezes bem remunerados, a mandar e a incendiar com palavras ou com actos o povo que os segue.
À laia de exemplo sobre o que disse, ontem o governo anunciou medidas para incrementar o emprego. Serão boas, serão más, serão assim assim? São pelo menos medidas para tentar resolver ou atenuar a crise em que vivemos. De imediato, uma central sindical, que com ela leva muitos cidadãos, veio a terreiro dizer que assim não pode ser, que não é assim que se faz, que é tudo uma burrice e uma palhaçada, só não marcando imediatamente uma greve porque, por motivos de agenda e de afirmação do seu novo chefe, já tinha sido marcada uma “geral” para o mês que vem.
Este meu País cansa-me!

Comments

  1. Tito Lívio Santos Mota says:

    AI É?

    eu acho que somos mas é um povo de mansos.
    tudo quanto se conseguiu conquistar com esforços infinitos desde o 25 de Abril nos está a ser roubado para reembolsar bancos estrangeiros e instalar de novo as condições sociais e de trabalho que havia no tempo do Marcelo Caetano.
    Tempo aliás em que o PSD e o CDS ainda faziam parte do partido do Marcelo, a ANP.
    Ninguém se mexe, ninguém faz nada.
    greves? apenas setoriais…

    Mas somos um povo de mansos a combustão lenta.
    Em geral quando explodimos as coisas resolvem-se rápido.
    regra geral em pouco mais de 24h.
    é a História que no-lo ensina
    Pelo menos desde 1640.

    Tito Livio Santos Mota

  2. eyelash says:

    Sr. Magalhães, o senhor também cansa! O que nos vale é que o Aventar não é o sr. José.

  3. eyelash says:

    A atitude expressa neste post é a do conformismo. Aquilo de que nunca precisaremos. Como foi muito bem dito no primeiro comentário, nada se consegue sem roturas, sem lutas. O conformismo (reacionarismo) nunca fez evoluir nada! A verdade não está nas organizações, sejam elas de que tipo forem, mas na capacidade de pensar e de lutar pelo que se pensa, mesmo que esse pensamento possa, conjunturalmente, ser minoritário.

  4. chatice_tuga says:

    Talvez sim ou talvez não!!!
    A causa da rezinguice é simples, na verdade nunca falamos das medidas sérias porque uns têm pouca ou nenhuma consciência delas e porque outros têm medo de as abordar.

    ‘Bora fazer uma reviravolta no país como fizeram os islandeses, lá em casa?
    Bora lá, alguém quer?
    Hum!!! Alguém?


  5. Sr Magalhães tem um bom remédio imigre.

  6. Céu Mota says:

    José, gostei! É verdade: quando não somos nós a ter a ideia… ela não presta. Falta-nos humildade e outras coisas mais.

  7. Nightwish says:

    Há duas ideias essenciais que transparecem e infelizmente são estupidamente comuns e só mostram o que temos a progredir intelectualmente.
    A primeira é que mistura todos os tipos de protesto, independentemente de serem feitos por pura cor partidária, luta de classes, ou por simples bom senso; de serem feitos por meia dúzia de gatos pingados ou por metade da população; sobre a sua constitucionalidade, sobre o impacto por décadas ou sobre coisas sem importância, etc etc. Afinal, tanta coisa sobre o aborto e o casamento homossexual, o governo decide e pronto, não há discussão. Pode sempre escolher a Coreia do Norte se quiser homogeneidade…
    A segunda, e a pior de todas, é assumir o papel do típico tuga que acha que as coisas que vê mal só acontecem cá : só cá é que se faz greve, só cá é que se tira férias nas pontes, só cá é que os alunos não estudam, só cá é que há corrupção, só cá é que se protesta, só cá é que se é manso, só cá é que há chico-espertos, só cá isto, só cá aquilo. Cansa e não serve para nada, porque são qualidades das sociedades, para o bem e para o mal, e há que viver com isso sem achar que somos abaixo de cão.


  8. claro que o país perde com cada greve e greves parciais podem ser mais danosas que as gerais, mas é uma greve para expressar descontentamento….
    obviamente que em tempos de crise são todos contra todos sempre foi assis
    se calhar pensa que evoluimos?
    este gaijo deve ser mação….


  9. ou seja se a maioria decidir ser por bem entrarmos em feudos ao estylo grego ou corso eu cá por mim já tenho ácido para uns 15 cocktails….agora gasoilina nem por isse
    e andar com fósforos com tanto incêndio cápráhi
    quando começar a faltar água inda vã protestar mais

    s’amofine não qu’isto só amelhora em 2157


  10. ahahahahah!!! Típico! Continuando com a rezinguisse!! 😆


  11. Se em vez de um Povo, que apostaram teria de ser o mais ignorante da Europa, como cobaias no terreno para a implantação de uma ditadura mundial (e não á à toa que o nosso Bilderberg Balsemão, tem um monopólio dos Media) fôssemos um Povo esclarecido e bem informado, a questão nem se colocava.


  12. Vou fazer greve! Não… é melhor não… Agora não é boa altura para fazer greve! O país está em risco de bancarrota (risco 😆 😆 😆 ) porque eu e outros quantos parvos iguais a mim andamos a trabalhar pouco e a comprar muito… 1º foram as tv’s a cores, depois tv’s stereo, depois tv’s com dvd incorporado, depois tv’s lcd, depois tv’s led e agora tv’s 3D, pelo meio comprei um carro, que após 3 anos estava velho e era feio, saiu um novo… o mesmo modelo apenas diferente do que comprei há 3 anos nos faróis, que foram redesenhados, e o motor debita mais 15 cv (e eu adoro cv), e assim já consigo ser multado por circular a 80 km/h acima do limite máximo nas auto-estradas, pagas… Mas feitas com dinheiros de Fundos Comunitários, e de Receitas de Impostos e empréstimos bancários co-financiados… Comprei casa… o meu senhorio é o Banco… menos mal… pois se for um senhorio uni-pessoal a renda é bem mais alta… E, assim como assim, pagar renda e pagar, pago a mais baixa… Se a coisa correr bem ao fim de 30 (ou mais) anos a casa a cair ou a necessitar de grandes obras até é minha… Vou fazer greve… não, é melhor não, o país está de mão estendida… E já cheguei à conclusão de que as greves nunca são oportunas… NUNCA… Quando tudo está bem não tenho motivo para fazê-la… quanto tudo está a descambar ainda pior, tenho é que arregaçar as mangas e ir tal escravo colher o algodão, e pedir para me pagarem menos, pois tenho que ajudar o país a recuperar. Por isso a greve, tal como muitos milhões de animais humanos, é areia na engrenagem do Sistema Monetário… e nós não queremos areia… Aliás para manter o Sistema Monetário em pleno ronronar até estamos disposta a matar, invadir, extorquir, explorar… não interessa… o importante é que os nossos queridos Bancos nunca vão à falência… bem nem todos! Se forem daqueles que apenas têm contas de escravos de linha reles, esses podem ir à vontade. Não… Não vou fazer greve… mas adoro todos aqueles que as fazem.

  13. antonio oliveira says:

    “Novas Oportunidades II” a estrear, brevemente, num cinema perto de si.


  14. Fada do bosque em 24/02/2012 ás 18:25 disse:

    Se em vez de um Povo, que apostaram teria de ser o mais ignorante da Europa, como cobaias no terreno para a implantação de uma ditadura mundial (e não á à toa que o nosso Bilderberg Balsemão….ó filha já ninguém lê jornais nem vê televisão

    o pessoal vai-se vindo na internet

    e há cada psico-maga-pata-ilógika que nem sei sô…óxente


  15. A dita dura mundial?
    Com a disfunção eréctil que aí anda pô…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.