Postcards from Romania (19)

Elisabete Figueiredo

Os olhos do Drácula

Desço da torre sem dificuldades. Haverei de ter algumas um pouco mais tarde. Atravesso a rua que vai dar à praça principal de Sighisoara, passo a casa onde supostamente nasceu e viveu Vlad Dracul, no século XV e dou de caras – estamos no século XXI, portanto – com um homem vestido de Drácula.

Falemos de folclore, então, se vos apetecer.

Tiro uma fotografia ao homem. Há no olhar dele qualquer coisa de profundamente triste, talvez não triste afinal, mas há nestes olhos qualquer coisa difícil de compreender, enquanto encara a máquina que lhe aponto. Chego a envergonhar-me. Hei-de cruzar-me com ele, mais três ou quatro vezes neste dia e reparar sempre na dificuldade daqueles olhos.

Se eu tivesse que me vestir de Drácula, todos os dias, como seria o meu olhar? Ainda bem que, assim como assim, prefiro o Rato Mickey.

(Sighisoara, 11 de Agosto de 2012)

Comments

  1. Amadeu says:

    Se a troika o descobre contratam-no como consultor

  2. Miguel says:

    Gosto destes posts! Fazem-me viajar. Obrigado.

  3. Elisabete Figueiredo says:

    Miguel, não tem nada que agradecer. pode crer que o prazer foi e é meu 🙂

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.